Compartilhe

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Escondendo o sol com uma peneira

Queridos leitores,
nós cristãos muitas vezes não nos posicionamos 100% em Jesus Cristo. Ficamos com um pé no espiritismo, no poder das pirâmides, na nova era, na numerologia, enfim, nas diversas crenças e dos falsos poderes paralelos, enquanto nos consideramos bons cristãos. Se não fosse pela misericórdia do nosso amoroso Deus estaríamos perdidos, literalmente. Não há como crer totalmente em Jesus Cristo e ter uma vida cristã plena, ainda com remanescentes das velhas coisas das nossas vidas. Devemos entregar nossas vidas, integralmente, à Jesus Cristo de Nazaré. Esquecer das velhas crenças e dos falsos poderes paralelos que nos tornavam, de certa forma, supostamente "especiais".  Saber da falsidade, por exemplo, daquele sonho onde alguém que já expirou pede-nos alguma coisa, nos deixando-nos aflitos, sem saber o que fazer, ou gerando compromissos que nos escravizam.  Quem já passou por isso, sabe do que estou falando. Jesus Cristo nos liberta de toda a escravidão.Temos que entregar nossas vidas integralmente à Jesus Cristo, inclusive nosso descanso, nossos sonhos e a ministração do nosso espírito, enquanto dormimos. Deus pode se manifestar por sonhos, como consta em diversas passagens da bíblia. Como saber? As coisas de Deus são boas, perfeitas e agradáveis. Se essas condições não forem satisfeitas, devemos desconsiderar. Pode acontecer de Deus se revelar através de sonhos e ficarmos inseguros, quer seja por medo, por não concordarmos com o que devemos fazer, ou seja por imaturidade espiritual, o que não desqualifica a revelação. Devemos também saber que as as coisas de Deus não geram dúvidas. É necessário orar com muita fé, todos os dias, pedindo à Jesus Cristo e ao nosso Pai Celestial, que nos livre de todas as tentações e investidas do mal, além de muito livramento. Pedir a Deus que nos dê, principalmente, a mente, o pensar, o agir, o viver, o caráter e a postura do nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Desejo um novo ano, 2012, calcado na verdade, de muita oração, de muita fé em nosso Deus, de muito amor, de muito perdão, de muita amizade e de muitas felicidades para as nossas vidas. Que sejamos todos 100% posicionados no Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Um natal diferente

Queridos leitores,
Espero sinceramente não chocá-los pelo que exponho a seguir, no entanto é necessário explicar meu ponto de vista a respeito do natal. Todos sabemos que o dia 25 de dezembro, dia de natal, é o dia simbólico de nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Sendo assim, onde entra então o papai noel, árvore de natal, renas, gnomos, trono, roupa vermelha, fábrica de brinquedos, um dia somente para fazer o bem e lembrar do próximo, etc.? Pergunto também: O que diz nosso Deus, Jesus Cristo, sobre a mentira, a enganação e a falsidade? Lembra o que Jesus Cristo disse aos fariseus? "fariseus, hipócritas! pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniqüidade." . Sim, Jesus Cristo admoestou muito os fariseus, pois esses pregavam um viver, mas viviam outra realidade, bem diferente. Cheios de mentira, enganação, falsidade, colocando um jugo e uma carga pesados demais aos outros, enquanto eles mesmos não moviam um dedo para carregá-los. O que diz isso a respeito do natal? Muito! No natal, que é uma data onde todos procuram fazer o bem, ser honestos, praticar a verdade, estar imbuídos do bom "espírito do natal" é o tempo que acontecem coisas inaceitáveis, como se fossem normais, tudo em nome do bem. O fim justificando os meios. Preste atenção: mentimos, enganamos, iludimos e desiludimos nossos amados filhos. Assim mesmo, descaradamente. Nos aproveitamos das suas inocências e aplicamos essa grande mentira. Orientamos-os a esse mau caminho. O pior disso tudo é que ainda substituímos Jesus Cristo, por uma ilusão, pelo papai noel, vestido de vermelho (vermelho?), sentado num trono (seria uma representação do trono de Deus?), com ajudantes gnomos (seres encantados), e por aí vai. Como a mentira não dura para sempre, nossa mentira é descoberta, nossos filhos amargam a desilusão, e ficamos todos, com caras de mentirosos, diante dos nossos queridos filhos. Mentimos para eles durante toda as suas infâncias. Como confiarão em nós nas outras coisas? Por que fazemos isso? é um mau começo, sem dúvida! Pergunto-lhes, então: quem é o pai da mentira? obviamente, o mal. Como podemos então, comemorar um dia santo com uma mentira? Não tem lógica, sem fundamento algum. Dessa forma o ano inteiro, esquecemos dos nossos próximos. Fazemos o bem somente num dia, no dia de natal, no dia do papai noel. Isso é aceitável? Quais serão os objetivos dessa mentira que não sejam fazer as pessoas esquecerem Jesus Cristo, o verdadeiro motivo da festa e de que devemos ser bons e praticar o bem o ano todo? Se formos falar, então, de comércio, esse artigo não teria fim. O consumismo, o comércio desmedido dominam essa data, algo puramente material. Os três reis que visitaram Jesus Cristo, no seu nascimento, levaram-Lhe presentes preciosos, para o Rei dos reis. Reconheceram a importância de Jesus Cristo para o mundo. O que podemos fazer então? Vamos todos comemorar o nascimento de Jesus Cristo no natal, em verdade e em espírito. No ano todo, vamos ser bons, lembrando do próximo, a cada momento, praticando sempre o bem, sendo compreensivo, paciente, tolerante, amigo, passar mais tempo com a família, parar a roda viva do nosso dia-a-dia, para conversar, para amar. Não esperar o dia de natal para dar aquele presentinho tão esperado, pois o tempo passa e não volta. Não esqueça, que o melhor presente, é estar com pessoas, em amor; o verdadeiro amor que é reflexo do amor do nosso maravilhoso Deus. Não precisamos fazer o que todos fazem. Sejamos livres. Deixar de lado os vícios, que tantos males causam. Valorizar as pessoas. É difícil? Com Jesus Cristo não é! Com Jesus Cristo é possível. Façamos todos, um natal diferente, em verdade. Mudemos nosso status de mentirosos para aqueles que valorizam a verdade e o verdadeiro bem.

Queridos, só um lembrete: não precisamos de bebidas alcoólicas, cigarros e drogas para fazer uma festa e nos divertirmos. Tudo isso causa destruição. Mude! Você será surpreendido! Seu foco será outro e você verá a alegria real da festa, especialmente nas pessoas e na graça que Deus derramará sobre todos da sua casa. Não deixemos o mal instalar destruição nas nossas casas, nesses dias de festa. Não abramos brechas para acidentes, para discussões, desentendimentos, enfim, para o mal. A nossa amada família é muito importante para que sejamos descuidados, displicentes e irresponsáveis, ao abrirmos essas brechas. Fiquemos todos atentos!

Um Feliz Natal, na Paz,  que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Roupas sensuais

Queridos leitores,
estive pensando, num dia desses, sobre as roupas que usamos. Se fizermos uma análise fria e crítica você verá que nos vestimos pelo vestir social, comum a sociedade, só acompanhamos. Logicamente devemos estar vestidos adequadamente para frequentar os lugares a que nos dispomos. Exponho a seguir, meu ponto de vista sobre esse assunto: Ao nos vestirmos procuramos uma roupa e sapatos legais, que combinem. Até aí, tudo certo. Antes disso, nas roupas de baixo, underwear, procuramos usar algo que deixe "tudo em cima". As próprias indústrias de roupa criaram o padrão e a ilusão, que devemos sempre ser sensuais. As mulheres com seus decotes muitas vezes exagerados, usando artifícios para avantajar seus seios, tudo em busca de uma sensualidade. Os homens, por sua vez, com suas calças e camisas justas, transparecendo seus atributos físicos. A pergunta é simples: quais os objetivos disso tudo, dessas nossas atitudes, que não sejam os de ser notado(a)s, de se destacar, de sermos sensuais? Até mesmo dentro das igrejas isso acontece, infelizmente. Há uma grande confusão entre moda e sensualidade. Roupas da moda, não precisam ser sensuais. Roupas adequadas devem ser usadas para cada situação, o que não dá sinal verde para o uso de roupas sensuais, fora das igrejas, por simples motivos: uma boa postura deve ser seguida em todos os lugares; a pessoa que usa roupas sensuais é pedra de tropeço para muitos irmãos nas igrejas e motivo de infidelidade nas ruas. É necessário que saibamos que o mundo quer que sejamos sensuais, sedutores, num vale tudo, fazendo-nos cair em pecado. Na verdade, nem percebemos o quanto essas coisas estão enraizadas na nossa cultura e vida. Parece normal. Devemos sempre estar atentos, vigilantes, e analisarmos todas as coisas com mais atenção. A manipulação do mundo está aí, temos o livre arbítrio para escolher o que é melhor para nós. Basta que saibamos, o que diz Paulo, em 1 Coríntios 6:12: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma."

Fiquemos todos na paz, do Nosso Senhor Jesus Cristo, que excede todo o entendimento.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A morte de Jesus Cristo

Queridos leitores,
Conhecemos de Jesus Cristo, muitos dos seus milagres, seu ministério, sua vida, seu exemplo e supostamente a sua morte. No filme "A paixão de Cristo", Mel Gibson, o diretor, quiz mostrar, com detalhes, o sofrimento, a tortura impingidas ao nosso Senhor Jesus Cristo, até a sua morte na cruz. Clique aqui e veja esse artigo. No entanto isso não é o principal. O mais importante foi a vitória de Jesus Cristo sobre a morte, a sua ressurreição, vivificado pelo poder do Divino Espírito Santo de Deus. O propósito de Deus, por amor ao homem, sua criação, estava escrito e não poderia ser frustrado. O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo deveria ser sacrificado. Jesus tinha conhecimento disso o tempo todo. Os apóstolos demoraram para entender. Muitos acharam que estava tudo acabado com a morte de Jesus, pensavam em fugir. Não aceitaram essa situação até o fim, quando viram Jesus ressurreto. Jesus Cristo é Deus, mas é filho do homem também, por isso o seu sofrimento no Getsemâni. Há, no entanto um detalhe na morte de Jesus Cristo, que muitas vezes nem pensamos. Jesus Cristo poderia ter sido somente transpassado por uma espada, lança ou flecha, se assim fosse, os escribas e fariseus poderiam simplesmente dizer que a morte e ressurreição de Jesus poderia ter sido uma farsa. Pôncio Pilatos reconheceu que não havia crime, em Jesus, para a pena de morte e uma crucificação. Deus, conhecendo bem o coração dos homens, sabia que não poderia deixar dúvidas da morte e ressureição de Jesus Cristo, seu filho, o Cordeiro de Deus. A crucificação de Jesus Cristo não deixou dúvidas à ninguém da sua morte. Todos O viram morrer levantado no madeiro. Morreu Jesus, o homem, a carne, mas ressuscitou Jesus Cristo em corpo glorificado, no terceiro dia. Estava à caminho do Pai. Estavam, os fariseus, avisados da sua própria condenação, pelos seus maus feitos, pelo próprio Messias, no entanto não se deram por vencidos, na sua maldade. Quando souberam que Jesus havia desaparecido do túmulo, subornaram os guardas, que guardavam o sepulcro onde estava sepultado o corpo de Jesus, para mentir, dizendo que os apóstolos haviam roubado o corpo de Jesus do sepulcro, à noite. Os judeus acreditam nisso e esperam até hoje a vinda do Messias. Todos sabem, que na ressureição, aconteceu um terremoto, um anjo do Senhor, apareceu sentado sobre a pedra que antes fechava o sepulcro. Esse anjo informou à Maria Madalena e Maria (mãe) que Jesus não mais estava ali, que havia ressuscitado. Os fariseus não puderam colocar em dúvida a morte de Jesus, mas geraram dúvidas, imputadas pela mentira, da ressurreição de Cristo. Jesus Cristo ressuscitou pessoas, para que nEle acreditassem, que era filho de Deus, enviado pelo próprio Pai, e que era o Messias, que todos esperavam. Dessa forma como poderiam as escrituras não se cumprir no que diz respeito a própria ressureição de Jesus Cristo? Os mestres da lei, fariseus e judeus, não creram que Elias já havia vindo e muito menos o Messias que ali estava. Não os reconheceram. Veja que já estamos no fim dos tempos, por isso pergunto: até quando serão incrédulos? Até quando vão esperar o Messias? Quando vier o anti-cristo? O mal certamente fará muitos acreditarem que ele será o salvador. Isso Jesus já alertou. Jesus Cristo comprovou a sua ressurreição aparecendo em corpo glorificado para Maria Madalena e Maria (mãe); também para os apóstolos na galiléia; para Tomé, que disse que só acreditaria vendo e se tocasse nas feridas de Jesus, junto dos outros apóstolos; para dois viajantes na estrada; na praia para os apóstolos pescadores e subindo aos céus, desaparecendo entre as nuvens, no Monte das Oliveiras, diante dos olhares abismados dos apóstolos.

O mais importante desse artigo é lembrar-lhes: Jesus naquelas horas na cruz, carregava todos os nossos pecados, humilhado, caçoado, despido, sua túnica lançada como objeto de sortes, foi abandonado por Deus, devido a sua pesada carga de pecados, impossível da presença divina. Na hora da entrega do seu espírito à Deus, Seu Pai, o céu escureceu, tremores de terra se sucederam, mortos ressuscitaram, saindo de seus túmulos rumo às cidades. Sinais foram vistos por centenas de pessoas. Morreu, Jesus na cruz, no entanto a verdadeira morte de Jesus Cristo, é aquela que diz respeito a morte dEle dentro dos nossos corações. Jesus morreu na cruz para habitar nos nossos corações, se assim acreditarmos, tivermos fé. Ele morreu na cruz para nos remidir dos nossos pecados, mas crucificamos Jesus Cristo, todos os dias, quando pecamos e continuamos no pecado. O matamos dentro dos nossos corações, pela nossa falta de fé, pela nossa incredulidade, pelo nosso "cair no mundo". O matamos quando não ouvimos a voz do Senhor nas nossas vidas e trilhamos caminhos errados, que nos levam a perdição. A cruz era nossa, deveríamos estar, cada um de nós, naquela cruz pagando pelos nossos pecados, mas Jesus que não os tinha, tomou o nosso lugar, por puro amor e propósito do Pai. Hoje, temos nossos pecados lavados pelo sangue de Jesus, bastando para isso reconhecê-los e nos arrependermos, sinceramente. Por isso digo, num mundo tão desvirtuado e descrente das coisas espirituais e sobrenaturais de Deus, logo de início, se não acreditarmos, que Jesus Cristo foi concebido pela ação do Divino Espírito Santo de Deus, como poderemos acreditar nas suas obras e na sua ressurreição. Se não acreditamos no início como acreditaremos no fim? O caminho à Deus é Jesus Cristo! "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14:6). Vamos manter Jesus Cristo bem vivo dentro dos nosso corações, seguindo seu caráter e a sua postura nas nossas vidas. Jesus Cristo é vida, vida em abundância, como Ele mesmo prometeu: "O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância." (João 10:10). Você crê nisso, ou não?

Fiquemos todos na paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Excedendo o entendimento

Queridos leitores,
Muitas vezes, ficamos frustrados ao ler a bíblia, por termos dificuldades no entendimento das escrituras sagradas. Sabemos de pessoas com grande conhecimento, até intelectuais que leem os trechos bíblicos, no entanto não entendem a verdadeira mensagem que foi transmitida. Por que isso acontece? Podemos dizer, com toda a certeza, que a bíblia deve ser lida à luz do Divino Espírito Santo de Deus. Nas trevas das coisas mundanas não se conseguirá o entendimento. Digo mais, a palavra de Deus, a bíblia, deve ser lida com muita fé. Fé em Deus, em Jesus Cristo. Falando do Novo Testamento, de início, se não crermos que Jesus Cristo foi concebido pela ação do Divino Espírito Santo de Deus, como poderemos acreditar nas demais coisas de Deus? A fé é pré-requisito para todo o processo de entendimento da palavra de Deus. Sim, é um processo. Quanto mais formos íntimos de Deus, mais abre-se o nosso entendimento para a Sua palavra. Como podemos entender da vida e das coisas de alguém, se não o conhecemos? Escrevi vida, porque nosso Deus é VIVO. O pior disso é, se ainda, não quisermos saber e conhecer à Deus, à Jesus Cristo. Quando temos fé, as portas do sobrenatural e os olhos espirituais se abrem. Jesus Disse a Nicodemos, quando esse foi ter com Ele, à noite: "Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das coisas celestiais?" (João 3:12). Que declaração maravilhosa de Jesus, que nos alerta da nossa impossibilidade de ver e entender o mundo espiritual, de entendermos tudo mundanamente. Nossa fé deve ser muito forte para que possamos entender, realmente, as coisas de Deus. Não devemos confiar na nossa sabedoria, na nossa inteligência, somente na razão. Paulo escreveu: "Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus; porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se dircernem espiritualmente." (1 Coríntios 2:14). A fé em Deus, em Jesus Cristo, traz o sobrenatural, que excede o nosso entendimento. Mecanismos são acionados no nosso cérebro por Deus, e então passando pelo devido processo, começamos a ver e compreender, o que a "olhos nus", não conseguem, as maiores mentes incrédulas do mundo. Quem não crê em Jesus Cristo de Nazaré, não terá o entendimento exato da bíblia e de tudo o que disse e ensinou Jesus.

Para fechar esse artigo, explico, que para nós, que muitas vezes achamos que sabemos muito, veja o que diz em 1 coríntios 3:18-20: "18 Ninguém se engane a si mesmo, se alguém dentre vós se tem por sábio nesse século, faça-se estulto para se tornar sábio. "19 Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles." "20 E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são pensamentos vãos.". Para se ter fé é preciso aceitar Jesus Cristo, Deus, nas nossas vidas. Crer que Jesus morreu na Cruz para a redenção dos nossos pecados, mas acima de tudo crer que Ele venceu a morte e ressuscitou no terceiro dia, conforme o perfeito plano de Deus. Crer ainda, que Jesus Cristo, encontra-se em corpo glorificado à Destra do Pai, e que retornará, conforme suas próprias palavras, para buscar sua igreja, da qual ele é a cabeça. Desafio você à buscar esse entendimento.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, do nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.


terça-feira, 15 de novembro de 2011

O sacrifício do nosso tempo

Queridos leitores,
É certo afirmar que destinamos muito tempo de nossas vidas com frivolidades e coisas que não valem o mover dos nossos olhos. Quero hoje escrever-lhes, obviamente, sobre a perda e tempo com a TV, internet, DVDs de filmes e até documentários, que realmente não valem o mover dos nossos olhos. O que dizer então, da nossa intenção e disposição do nosso tempo para fazer isso. Na TV são apresentadas novelas, filmes prá lá de comerciais, séries e seriados que fazem parecer débeis, a quem assiste. Muito mau exemplo na transformação de coisas inaceitáveis, imorais e até repugnantes, em coisas normais. Erroneamente, muitos de nós assistem TV enquanto fazem suas refeições, tranformando essa hora especial de comunhão com nossa família e com Deus, numa hora de entretenimento vazio e supérfluo, prejudicando ainda nossa saúde. O mal quer nos distrair fazendo-nos perder o nosso precioso tempo de vida com falsos entretenimentos, fazendo-nos deixar de lado tudo o que é mais importante nas nosssas existências. Bem, vamos falar de internet. Esse assunto pode gerar vários artigos específicos, mas vou escrever resumidamente. Atualmente, devido ao avanço tecnológico, temos em nosssas casas, computadores melhores do que aqueles utilizados na maioria das empresas. Devido a isso o nosso "poder computacional", é grande. Nossas máquinas, contrariamente ao que aconteceu há alguns anos atrás, ficam conetadas na internet 24 horas por dia. É só ligar o computador, iniciar o sistema operacional e navegar. Programas comunicadores iniciam-se automaticamente, trazendo uma possibilidade praticamente ilimitada de comunicação com outras pessoas, de qualquer lugar do mundo. Programas como o messenger, MSN e hotmail da Microsoft, Gmail do Google com a sua grande variedade de aplicativos e interação on line, Skype e Facebook, entre outros, que ao serem iniciados começam a receber chamadas dos diversos "amigos" cadastrados. Aquela nossa visita à internet, cujo objetivo era somente de ler alguns emails, tranforma-se num trabalho maciço de atendimento de chamadas, abertura de anexos, visitação de links sugeridos, visualização de fotos e vídeos, envio de mensagens de aniversário à pessoas fora do nosso círculo próximo de amizades, tomando várias horas do nosso precioso tempo, que poderiam ser destinados à nossa família. Há ainda as compras desnecessárias devido a moda das compras coletivas. Se parássemos nessa hora e fossemos o suficientemente críticos conosco mesmos, poderíamos avaliar o que disso tudo, seria realmente necessário. Perdemos um tempo precioso, na frente de uma máquina, realizando tarefas fúteis, que poderíamos passar com nossa família. Pergunto-lhes: caso perdessemos, nesse instante, alguém muito próximo dentro da nossa família, o que dizer sobre esse tempo perdido? o quanto de arrependimento e lamentação seria suficiente para nos consolar, caso esse consolo fosse possível por nós próprios? Certamente, pelo viver do mundo, não conseguiríamos e talvez caíssemos numa tristeza profunda, a famigerada depressão. Será que precisamos que essas e outras coisas ruins aconteçam para que paremos e mudemos nossas atitudes? Pensemos nisso! Nosso tempo é muito especial e único. Deus nos disse que ao homem caberá morrer somente uma vez. Veja: "E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo," (Hebreus 9:27). Dessa forma não pensemos em uma nova vida na terra, como é hoje, uma nova chance, uma evolução. Nosso tempo é agora. As coisas corretas devem ser realizadas agora. Não nos deixemos enganar. O mal quer que pensemos que teremos outra chance depois dessa, objetivando tomar nossas vidas agora. O mal quer nos "entreter" para que não prestemos atenção nas coisas verdadeiramente importantes. Coisas como ter uma via estável e produtiva em todos os sentidos, em Jesus Cristo e ainda: conversar mais com esposa(o) e filhos ou com seus pais, saber como passaram os seus dias, colocar na pauta aquela conversa há tanto tempo adiada, planejar uma viagem, ler a Palavra de Deus, a Bíblia, visitar um amigo, visitar uma pessoa que precisa de ajuda por alguma perda ou situação difícil de vida, ou ainda passear no parque com a família, visitar alguém que está enfermo, fazer um piquenique em família ou com amigos ou simplesmente plantar uma plantinha num vaso ou no fundo do quintal, entre outras. Contrariamente, ficamos acessando a internet desmedidamente em detrimento de todas as coisas maravilhosas que poderíamos fazer. Veja que estou escrevendo sobre o bom uso da internet, mas ainda há o lado escuro da rede. Quantas(os) esposas(os) são deixados de lado por aquelas pessoas que viciaram-se em sites sensuais, pornográficos, homosexuais, pedófilos e de aberrações, tornando-se escravos do mal. A má fé e a malícia tomam conta dos pensamentos e expressões dessas pessoas. Essas pessoas desorientadas, abrasam-se e abrem as janelas das suas almas para todo o tipo de imundicia virtual, chegando isso, invariavelmente, até o seu mundo físico. Como ex-provedor de internet conheço muito bem esse terrível mundo virtual. As estatísticas de acesso estão aí para quem quiser ver.


Não percamos esse precioso tempo de nossas vidas, com distrações e todos os vícios providos e promovidos pelo mal. O inimigo visa destruir a maravilhosa criação de Deus, que somos nós, e nossas famílias devidamente contituidas e abençoadas por Deus. Sabemos que o objetivo do mal sempre foi claro, qual seja; roubar, matar e destruir, usando para isso, a mentira, a manipulação e a culpa, para conseguir seus maléficos objetivos. A família é a base de tudo e é um dos principais alvos do mal, o inimigo. Não permitamos que nossa família seja destruída pelos falsos entretenimentos (maus exemplos que geram discussões, desentendimentos, brigas, separações, divórcios e mortes) maquinados pelo mal. Não entreguemos a autoridade, sobre nossas vidas e sobre a vida das nossas famílias, para o inimigo. Não ofereçamos "sacrificios" (verdadeiramente) do nosso tempo para o mal, para o inimigo. Devemos destinar, oferecer, nosso tempo para o bem, para nossa família, para o próximo, para as virtudes e acima de tudo, para o soberano de todas as virtudes, nosso Deus.


Temos que estar fortes espiritualmente para combater o mal e todas as distrações por ele oferecidas. Somente somos fortes espiritualmente através da oração, comunhão e muita proximidade com Deus. O mais importante de tudo é viver uma vida digna, na retidão, na honra, seguindo a postura de Jesus Cristo de Nazaré. Joguemos fora, a má fé e a malícia dos nossos pensamentos e do nosso expressar. Cultivemos a pureza de pensamentos e de expressão. O mal não é carne mas espírito, por isso oremos à Deus, à Jesus Cristo e peçamos livramento e a liberdade da escravidão engenhada pelo mal. Entreguemos nossa vida à Jesus Cristo de Nazaré. Leiamos a Bíblia e comecemos a derrotar o mal. Para derrotá-lo basta nos posicionarmos, pois nosso Deus já nos fez vencedores. Basta ter fé. Havendo nosso posicionamento em Deus e em Jesus Cristo, o mal já está derrotado. Por nossas próprias forças nós não conseguiremos. Digo novamente, oremos à Jesus Cristo, à Deus e não percamos mais nosso tempo de vida. Valorizemos já, o que é, realmente, importante. Saibamos discernir o que é engano, erro, falsa distração, enfim, perda de tempo.


Fiquemos todos na paz, que excede todo o entendimento, do nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Uma breve mensagem

Às vezes queremos mudar, sair do lugar de onde moramos, sair do nosso ambiente atual, para que as coisas melhorem, para que os relacionamentos melhorem, para que sejamos mais felizes. Isso pode ser necessário, mas normalmente trata-se de uma fuga, um adiamento de um posicionamento, de uma solução. Devemos tratar o problema agora, buscar as soluções aqui e hoje. Resolver os problemas, não na esperança de mudança de atitude dos outros, mas das nossas própria atitudes. Devemos ser mais compreensivos, mais dóceis, mas bondosos, mais carinhosos, mais amorosos, querer bem. Devemos começar as mudanças por nós mesmos, e não mudança de lugar e nem das pessoas que nos cercam. Devemos ser o exemplo, e então todas as demais coisas acompanharão. Devemos criar um ambiente calcado no amor de Deus, no amor de Jesus Cristo, seguindo o seu exemplo. Devemos buscar o Reino de Deus e todas as demais coisas colaborarão.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, do nosso Senhor Jesus Cristo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

As coisas dão mais certas para os cristãos?

Para sabermos a resposta, precisamos, no mínimo, responder a outras duas perguntas, quais sejam: você acredita em Deus? Você acredita na Bíblia e que ela foi escrita por pessoas inspiradas pelo Divino Espírito Santo de Deus? Vá refletindo, enquanto faço algumas considerações. Na minha vida antiga, sempre acreditei que cria em Deus, mas seria mesmo? Hoje sei que para crer em Deus, devo conhecê-lo, ter intimidade, comunhão, confiança, fidelidade, fé e acima de tudo amor à Ele. Assim então, posso ter em mim, que acredito n'Ele. Bem, eu não sentia e tinha tudo isso por Deus. Entrando então no assunto do título deste artigo, tenho que falar das situações que enfrentamos. Acontecem-nos situações boas e outras que consideramos "ruins" (não desejadas). Todas as circunstâncias, boas ou "ruins" são bençãos ou permissões de Deus, respectivamente. Muitas coisas embora não sejam o que desejávamos, podem ser consideradas provações de Deus, no nosso vago entendimento. Na verdade, essas coisas indesejadas, quase sempre são resultado do nosso distanciamento de Deus ou algo que realmente não temos condições de entender, naquele momento. O que devemos ter sempre em mente é que devemos aceitar as coisas com o coração no Senhor, sem murmurações, mas com determinação de resolver as situações adversas através do nosso Deus, entregando todas as coisas à Ele.
Finalmente, sobre a pergunta: será que as coisas dão mais certas para aqueles quem creem em Deus, cristãos crentes? Se sim, Porque isso acontece? Espero poder ajudar a encontrar essas e outras respostas às perguntas acima e as muitas outras que surgirão sobre esse assunto. Creio que Sim, a vida é menos conturbada (eu disse menos mas não sem problemas) para os cristãos crentes. Os motivos são bem simples, entre eles: porque essas pessoas seguem a PALAVRA de Deus. Também erram, como qualquer um, pois todos somos iguais, mas pecam, reconhecem seus pecados (desde que sinceramente), pedem perdão à Deus e se esforçam para não mais cometê-los. Quando insistimos em realizar algo que não é o correto, que fere os propósitos de Deus, ainda assim, Ele nos ama e nos tem misericórdia, sendo nosso Fiel Consolador. Voltando a palavra de Deus, afinal, o que é essa PALAVRA de Deus? É a BÍBLIA. Você crê na Bíblia? Na palavra de Deus constam orientações para que levemos um vida abençoada, com menos perigos, uma vida justa e correta, calcada no amor à Deus e ao próximo. Não precisamos, à todo instante, de ações sobrenaturais de Deus (embora elas aconteçam mesmo), para que vivamos uma vida abundante em todos os sentidos. Basta seguir a Palavra de Deus e amá-lo assim como ao próximo. Veja: "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Romanos 8:28). Bem, mas se você não crê em Deus, ou crê só de ouvir falar, porque muito do que se fala de Deus virou chavão, experimente ler a bíblia, nem que você pense que seja somente para que sua vida flua melhor. Poderá ser a cura para aquele vazio que insiste em tomar o seu ser. Assim, você poderá levar as orientações ali presentes, na bíblia, para a sua realidade. Peça ajuda de alguém, para a melhor compreensão dos textos. Não esqueça, que na Bíblia, há muitos simbolismos, por isso seja humilde em pedir ajuda para quem tenha mais conhecimento bíblico. Inclusive pedir indicação por onde começar a leitura. No entanto, já aviso: não garanto que você NÃO vá virar um cristão, crente em Deus, depois disso. :) Caso aconteça, não tenha medo, pode acreditar, será uma benção para você e sua família e um claro sinal que Deus o escolheu para Seus propósitos. Será você, um escolhido de Deus? Faça o teste. Aceita? ahhh... sim... não posso terminar esse artigo, sem citar esse maravilhoso trecho bíblico, sobre quem é Deus: "Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta." (João 14:8). "Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?" (João 14:9).

Aceitar Jesus Cristo, nos torna filhos e herdeiros de Deus.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo.


terça-feira, 27 de setembro de 2011

Gerações transformadas

Queridos leitores,
hoje escrevo-lhes sobre algo que tocou muito meu coração. Assistia, novamente, o filme de Moisés e a travessia do Mar Vermelho, rumo a terra prometida. Aproveito para lembrar que muitas evidências, provas concretas, foram encontradas no mar vermelho que comprovam a veracidade dessa história bíblica. Vejam nesse link. Nesse episódio bíblico, mesmo depois de presenciar o poder de Deus, o povo permanecia descrente. Deus deu alimento, Manar e aves que deveriam ser abatidas para que tivessem carne para comer. Veio-me alguns pensamentos na minha mente, sobre essas necessidades básicas das pessoas, os quais compartilho agora, com vocês. Pergunto-lhes no que, ou em que nos transformamos? As pessoas, nas últimas gerações, transformaram-se simplesmente em seres viventes supérfluos, que não tem condições de sobreviver a mais tênue modificação no seu ambiente de vida. Somos pessoas que dependem exclusivamente do que oferecem os frigoríficos, as indústrias, enfim, os fornecedores de alimentos. Me incluo nisso. Não consigo comer um frango "conhecido". Como diz o menino do vídeo no youtube, aquele da formiguinha: dá dó. O que dizer então das redes de água, energia e até comunicações? As pessoas tornaram-se exclusivamente dependentes do fornecimento de terceiros para sobreviver. Não conseguem sequer pensar em matar uma ave para seu alimento, preferem sucumbir de fome. Chegamos a situações absurdas, em que muitas dependem, de seus banheiros pessoais para fazerem suas necessidades fisiológicas, tendo sérias dificuldades de fazer isso em lugar não costumeiro. Dessa forma podemos concluir que se algo muito errado acontecer ao mundo, como o conhecemos; se as redes caírem, se as fábricas pararem, se os abates nos frigoríficos não mais funcionarem, a maioria das pessoas sucumbiriam em pouco tempo. Só os mais fortes, com mais experiência, teriam condições de sobreviver, se pensarmos somente na força de nossos braços. Não quero criar aqui, uma visão catastrófica do fim do mundo ou algo parecido, como nos filmes de Hollywood, mas cabe-nos pensar o que somos na verdade? Seremos somente pessoas que desfrutam de todas as facilidades do mundo moderno, ficando a mercê, exclusivamente, do que oferecem as cidades? Ou será que na hora "H" reagiremos? Pior do que tudo isso, é que se o nosso "mundo" cair, seremos alvo fácil, para alguém que manipule o fornecimento de alimentos, água e energia. Não somos capazes de suprir nossas próprias necessidades. Sei que é difícil falar desse assunto, mas convém, para que possamos refletir. Há ainda, o agravante de que muitas pessoas foram criadas exclusivamente em ambientes urbanos, desconhecendo totalmente a origem de muitos alimentos básicos e importantes. Não sabem se dá em árvore, no chão, ou até se algum animal os produz. Há pessoas que não sabem sequer preparar, cozinhar, um alimento básico, tamanho o despreparo para a vida. O homem não pode mais mudar isso. Somos importantes no mundo atual, porque somos a força de trabalho. Nossos esforços geram a "energia" e recursos, para que tudo o que nos rodeia funcione. Somos pseudo-escravos. Um tipo de escravos livres, obrigados a cumprir nossos papéis, para que nos mantenhamos vivos. Dessa forma somos manipulados para tomar atitudes, consumir produtos, trabalhar muito, para ter mais confortos e facilidades. Uma vida supérflua, frívola e sem sentido. Escravos do mundo. A bíblia, a palavra de Deus, fala do apocalipse, do arrebatamento, da vinda do anti-cristo, dos sete anos de tribulações antes da vinda de Cristo. Mais do que nunca, as pessoas devem saber, que dependemos exclusivamente da misericórdia de Deus. Por nossas próprias forças, nada conseguiremos. Devemos aceitar Jesus Cristo como nosso único salvador, não somente pela salvação em si, mas pelo amor que devemos à Ele, pelo seu sacrifício para a remissão dos nossos pecados e por amor à Deus, em retribuição ao dEle, por nós. Assim diz a Palavra de Deus: João 5:21-29:
"21 Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer."
22 "E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;"
23 "Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou."
24 "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida."
25 "Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão."
26 "Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo;
27 "E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem."
28 "Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz."
29 "E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação. "
Todo o poder está em Deus, em Jesus Cristo! É necessário que tenhamos o firme posicionamento, de ter Deus nas nossas vidas. Aceitar Jesus Cristo como nosso salvador e o único caminho que leva à Deus, pois assim estaremos na Paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Glória à Deus.



segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Um amor incondicional

Queridos leitores,
falo-lhes hoje, sobre algo que nos alegra, que dá sentido a vida, que nos enobrece, que nos acalenta, que nos dá refrigério, que transforma todas as coisas em boas coisas, algo maravilhoso que vem de Deus, o AMOR. O amor maravilhoso, que excede a compreensão e a intelectualidade humana. O amor de onde derivam os mais nobres sentimentos, o amor mais puro, verdadeiro, perfeito, fiel e incondicional. O amor sem o qual não vale a pena viver. Falo do amor de DEUS, que é a eterna essência do nosso maravilhoso Criador, como dito na música "Perfeito amor", da banda gospel Oficina G3. Impossível falar de amor, sem citar este maravilhoso trecho Bíblico: Pegue, por gentileza, sua bíblia e acompanhe: (1 Corintios 13:1-13)
1 "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine."
2 "E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria."
3 "E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria."
4 "O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece."
5 "Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 "Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;"
7 "Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
8 "O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;"
9 "Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;"
10 "Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado."
11 "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino."
12 "Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido."
13 "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. "

Esse é um lindo trecho bíblico, escrito por Paulo, cheio do Espírito Santo de Deus. Esse texto é muito utilizado em casamentos, no entanto fala do amor ao próximo. Que amor é esse? Podemos entendê-lo? Amor ao próximo, amor de Deus. Quando falamos de amor de Deus, falamos, naturalmente, em Jesus Cristo. Jesus Cristo é o Retrato do amor de Deus. A personificação do amor de Deus. JESUS CRISTO É O AMOR DE DEUS para conosco. Além disso Jesus Cristo é o próprio Deus.Veja: "Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. (João 14:7). Para que se entenda isso, é necessário saber, que nosso Deus é composto de três pessoas distintas, mas um Único Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Continuando... queridos, quero lhes dizer que para que amemos verdadeiramente o próximo é necessário que amemos primeiramente o nosso Querido e Maravilhoso Deus. Esse Deus VIVO nos ama a ponto de entregar seu filho, por nós, pecadores desde nossa primeira semente. Trata-se de um amor sem medidas. Jesus Cristo amou-nos de tal maneira, que entregou-se em sacrifício para a remissão dos nossos pecados. Quem de nós daria a vida para salvar aqueles que mentem, que se comprazem com o mal do próximo, ou aqueles que o estão torturando? Quem daria a própria vida por amor? Quem intercederia, junto ao Pai, a favor daqueles que o maltratam, inimigos, por entender que essas pessoas, não sabem o que fazem, por não entenderem, não crerem, não terem fé? Devemos aceitar que não compreendemos esse grandioso amor. Como nada podemos sem nosso Deus, peçamos então, ao Senhor Deus, que nos dê essa compreensão, esse entendimento e que derrame uma chuva torrencial, de amor, sobre todas as nossas vidas, em nome de Jesus Cristo de Nazaré. Amém! Você quer? Diga Amém! Profetize o amor de Deus na sua vida! Peça ao Pai em nome de Jesus Cristo! Veja: "Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra". (João 16:24). Aceite Jesus Cristo na sua vida, como seu único Salvador. Como o único caminho que leva a Deus. Ame Jesus Cristo. Peça ao Pai, em Seu nome. Peça amor e tudo o mais que for para o bem, não para somente para o seu deleite, mas o que for bom, também para o seu próximo, o que for edificante, o que Jesus Cristo aprovaria.
Para finalizar gostaria de citar Lucas 10:27: "E, respondendo Ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.". Peça esse amor ao nosso Pai Celestial, para que você também possa amá-lo, porque Jesus Cristo te ama! Quem ama o Filho ama o Pai. Quem honra o Filho, honra o Pai e o Pai o honrará! Acredite! Ame-o e honre-o também!

Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré; essa paz que excede toda a compreensão e intelectualidade humana.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A Traição de Judas. Somos todos Judas?

Queridos leitores,
escrevo-lhes hoje sobre a detestável traição, nos seus mais diversos aspectos. A falsidade é companheira da traição. A lealdade é o oposto da traição. Cristo foi traído por Judas Iscariotes, que queria luta armada contra o império romano e achava que Jesus teria vindo para isso. Não conseguiu entender, mesmo estando com o Mestre durante todo o tempo, sendo seu discípulo, que Jesus Cristo veio para ser o redentor, para redimir todos os nossos pecados em puríssimo amor, amor de Deus. Não entendeu que o Reino de Jesus não era na terra. Não entendeu nada. Traiu Jesus com um beijo, entregando-lhe aos malfeitores. Caros, como é terrível a traição. Como é terrível ter a confiança transformada em desconfiança. Muitas vezes traímos sem perceber, pois parece-nos algo inofensivo. Traímos quando desmerecemos a confiança em nós depositada; traímos nosso país, quando sonegamos impostos e não o defendemos; traímos quando nos contam algo em segredo e não o guardamos; traímos quando pensamos ou falamos mal de alguém, até mesmo depois de falar com a vítima, ao desligar o telefone; traímos quando armamos situações que podem prejudicar outros, para que nos beneficiemos; traímos quando não retornamos o amor que recebemos em confiança; traímos quando não somos sinceros e transparentes, sendo mentirosos; traímos quando não honramos nossos pais; traímos nossas esposas(os) ou companheiras(os), quando olhamos para outras pessoas com desejo; traímos-as(os) ainda, quando paqueramos "virtualmente", na internet, nos bate-papos e redes sociais, enganando-nos que não é de verdade, que é virtual; traímos, assim, quando somos infiéis. traímos também, quando não educamos corretamente nossos filhos; traímos quando gritamos com eles, ou quando prometemos e não cumprimos; traímos quando não passamos um tempo com nossa família, preocupados somente com dinheiro; traímos quando não cumprimos nossas responsabilidades de pai, mãe, filho, ou seja nossas atribuições, dadas por Deus; traímos enfim, quando desmerecemos a confiança em nós depositadas pelos outros. É necessário que saibamos que a maior de todas as traições é aquela que abrange todas as outras. É aquela que engloba todos os erros, todos os enganos, que é a traição ao nosso Deus. Quando traímos o nosso próximo traímos primeiramente ao nosso Deus, traímos Jesus Cristo a exemplo de Judas Iscariotes. Nem mais, nem menos, traímos Jesus Cristo, O Verbo, o Príncipe da Paz, Yeshua Hamashia, da maneira mais irônica, mais infame, mais vil, com um beijo, fazendo-se de amigo e de seu seguidor. Vejam esse trecho biblico: "Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade." (Mateus 23:28); Dessa forma decepcionamos às pessoas e ao nosso Deus, tornando-nos ingratos, desmerecedores de confiança. Sem prejuízo ao contexto quero comentar isso: Muitas pessoas justificam sua desconfiança no próximo, equivocamentente, citando um trecho bíblico que diz: "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!" (Jeremias 17:5). Deve-se entender, nesse versículo, que devemos depositar nossa confiança primeiramente no Senhor nosso Deus e não nas nossas próprias forças, na força dos nossos braços. Devemos ter dependência do Senhor, não que não devamos confiar no próximo. Vejam nesse link, o artigo que fala sobre isso. Caso a mensagem fosse essa, de que não devemos confiar no próximo, como explicaríamos o fato de que Jesus sendo 100% homem e 100% Deus, confiou nos homens. Houve traição, houve negação, mas no final Ele realizou os seus propósitos. Jesus Cristo não só confiou nos homens, mas os amou e entregou-se totalmente. Não somos Jesus Cristo! Nossa semente é pecadora, mas quem O aceitou, O tem dentro de si, no seu coração, segue a Sua postura e o Seu caráter; confia, ama e entrega-se à Deus a ao seu próximo. Para que tenhamos certeza disso: "E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento." (Mateus 22:37). "Este é o primeiro e grande mandamento." (Mateus 22:38). "E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." (Mateus 22:39). "Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mateus 22:40). Para finalizar, algumas considerações: "Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;"(1 Timóteo 4:2). O costume da mentira, da falsidade e da traição, cauteriza nossa consciência, tornando-nos injustos e desmerecedores das coisas de Deus. Não podemos trair nosso Deus, assim não trairemos o nosso próximo. Devemos saber que recuperar a confiança perdida, muitas vezes, é impossível. A maior vitima da traição é aquele que trai, pois todo o peso da culpa, da injustiça e da desconfiança cairá sobre ele. Se formos confiáveis à Deus, seremos confiáveis a nós mesmos e aos outros. Então, será que somos confiáveis à Deus? Será, que sequer acreditamos, verdadeiramente, nEle? Ou será que acreditamos só de ouvir falar? Isso já não seria uma traição contra Quem nos criou? Pensemos nisso!

Fiquemos todos na Paz, calcada na fé no Nosso Senhor Jesus Cristo, que excede todo o entendimento e a toda a intelectualidade humana.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Viver sem Deus

Queridos leitores,
hoje escrevo à vocês sobre algumas coisas, que nos acontecem frequentemente. O esquecimento de que temos um Deus Maravilhoso, que nos ama incondicionalmente, o apego às coisas materiais e a perda da fé. Antes gostaria de fazer algumas considerações. Sabemos que Deus criou todas as coisas e que dEle tudo provêm. Você não acredita? Acredite, pois até mesmo os mais céticos cientistas estão admitindo que da maneira que todas as coisas existem, uma inteligência, algo ou alguém maior, deve estar por trás de tudo. Não é Algo, nem alguém, senão o nosso maravilhoso Deus, de Abraão, Isaque e Jacó. Ele é o Eu Sou, nosso Deus que tudo criou. Então sabemos que tudo Ele criou e que dEle tudo provêm. Temos também, que ter consciência das dificuldades que temos para entender o que Jesus Cristo falava, do nulo valor das coisas materiais. Almejamos aqui na terra, coisas da terra. Coisas que são transformadas do que existe no planeta, para que tenhamos conforto. Nossas casas, nossas camas, nossos banheiros, nossas TVs, nossos computadores, nossos carros, nossas contas bancárias recheadas ou justas, etc. Nossos desejos baseiam-se somente no que nós e os outros podemos ver, no que podemos tocar, coisas materiais. Tire tudo isso e o que restará? Se você pensar bem, verá que essas coisas materiais de nada valem, como sempre disse Jesus Cristo. Veja: "Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração. " (Lucas 12:34). Bem aventurado aquele que almeja as coisas de Deus, o Reino de Deus, que pedimos quando oramos o Pai Nosso. Bem, dessa forma digo-lhes, que aquele que não aceitou Jesus Cristo na sua vida, vive sem rumo, sem direção, sem objetivos válidos, vive nas sombras, sujeito a autoridade do inimigo. Por outro lado, aquele que aceitou Jesus Cristo na sua vida, tem Deus no seu coração, quando se afasta, se aparta da fé, a situação descrita anteriormente instala-se na sua vida. É terrível. O vazio que sempre insiste em tomar o nosso coração, volta devagarinho, mas com força. Sem Deus, nossa vida fica totalmente sem sentido. Ficamos entristecidos. Impossibilitados de ter o amor dentro de nós e dá-lo aos outros, porque o amor vem de Deus. Se não temos amor em nosso coração, não podemos dá-lo. Nossos relacionamentos desabam. Ficamos desorientados, sem rumo. Não achamos graça em mais nada. Aquelas coisas que nos faziam felizes e sentir a presença de Deus, nada mais nos dizem. A pessoa amada já não tem o mesmo brilho. Não mais vemos a presença de Deus, nem naquela música, que falava dEle, e que tanto nos agradava, por louvá-lo. Por incrível que pareça, meus queridos, não precisa muito tempo para isso acontecer. Para afastar-se de Deus, bastam alguns dias de valorização de coisas materiais e esquecimento das coisas espirituais. A falta de comunhão com nosso Deus, a falta daquela conversa íntima com nosso Pai Celestial, pelas orações, rapidamente tem um efeito devastador nas nossas vidas. É necessário que mantenhamos nossas conversas com Deus, a comunhão com Ele todos os dias, antes de fazermos qualquer coisa. Uma comunhão com Deus, um devocional antes do dia começar nos trará paz, refrigério e alegria, mesmo nas adversidades, pois Deus estará conosco, nos trazendo livramentos e bençãos. Se você se afastou de Deus, venha à Ele, fale com Jesus Cristo o seu maior amigo, o mais fiel de todos os amigos. Aquele com Quem você pode contar e confiar em todos os momentos e que nunca te decepcionará. Ele nos ama incondicionalmente. As adversidades virão, pois nós mesmos as criamos, mas clamemos ao Senhor, nosso Deus, que por Graça ou misericórdia nos ouvirá, em nome de Jesus Cristo. Não podemos deixar de ter nosso maravilhoso Deus nas nossas vidas. Peçamos ao Senhor que nos aproxime dEle próprio. Não podemos fazer isso sozinhos, pois o inimigo espreita e a carne fraqueja. Só podemos no Senhor nosso Deus, nosso Pai Celestial. Se você não aceitou ainda Jesus Cristo como seu salvador, como o único caminho que leva a Deus, aceite-o! "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. " (João 14:6). A Bíblia é a palavra de Deus. As pessoas que a escreveram foram inspiradas pelo Espírito Santo de Deus. Leia a bíblia! Leia o que Jesus Cristo diz. Conheça os milagres que Ele fez, e que ainda faz nos dias de hoje! Livre-se dos seus pecados e mude de vida! Tenha uma vida plena! Deus levantará pessoas que te auxiliarão nessa nova jornada de fé. Depende somente de você! Abra seu coração para Jesus Cristo de Nazaré! Ele fará maravilhas na sua vida! Ele te preparará para o Reino do Pai. "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. " (João 14:2). Deus não mente, Jesus Cristo não mente, por que duvidar?

Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Os jurássicos sistemas operacionais dos microcomputadores

Queridos leitores,

Escrevo hoje à vocês, sobre software, hardware, monopólios de empresas nessa área e o lucro desmedido em detrimento de todas as coisas. Tudo relacionado ao software básico dos microcomputadores, que é o sistema operacional.

Para informação: Sistema operacional é um conjunto de programas básicos e principais, que possibilitam o funcionamento dos nossos microcomputadores. Também existem em equipamentos semelhantes, portáteis, atualmente. Exemplos disso são o Windows da Microsoft, o Linux (software de código aberto e livre distribuição) de Linus Torvalds, nas suas diversas distribuições, Android do Google entre outros. Esses sistemas operacionais trabalham como base para outros programas aplicativos. São programas que precisam de atualizações períodicas para que bem funcionem. Atualizações que fecham brechas de segurança, que melhoram o desempenho de partes do programa ou do todo. Desde que apareceram, esses sistemas operacionais obrigam as pessoas a adquirirem novas cópias de tempos em tempos, muitas vezes devido a própria impossibilidade de atualizações. Além disso o usuário tem que realizar ativações de software para garantir sua originalidade e por aí vai. É bom lembrar ainda, que para que o microcomputador funcione adequadamente, é necessário instalar ainda, uma penca de programas, para que arquivos de várias extensões "rodem". A perda de tempo, inconvenientes e constrangimentos são grandes. Na verdade o usuário fica escravo do software, por esses motivos. Não somos ingênuos a ponto de não sabermos que nossos microcomputadores não precisam mais depender de sistema operacional, como o Windows, para a sua inicialização. Pagamos um preço bem salgado por esses sistemas operacionais. Temos, atualmente, tecnologia suficiente para que existam máquinas com um sistemas operacionais residentes nas suas memórias, sem mais espera de inicialização, sem mais perda de tempo, prontas para o trabalho, atualizáveis por firmware. As memórias ROM atualmente são rápidas para esse fim, mas se não forem o suficiente, basta um pequeno esforço tecnológico para que isso aconteça. Interesses particulares e negociatas entre os envolvidos, empresas de software e hardware, cerceiam a liberdade e travam o progresso das tecnologias, limitando o seu uso. A possibilidade mais atual, é o funcionamento básico do microcomputador, como um terminal rodando todos os programas on-line, pela internet. O Google já disponibiliza vários aplicativos on- line, sem custo, como alternativa ao Office da Microsoft. Entendo como um ensaio do Google, de substituir os atuais sistemas operacionais dos microcomputadores por sistemas totalmente on-line. Provavelmente o Google cederia gratuitamente o software básico para os “terminais” dos clientes para ter acesso aos demais softwares. Uma coisa é certa: Perdemos muito tempo de nossas vidas, esperando as máquinas inicializarem e reinicializarem pela instalação de qualquer coisa, todos os dias. Houve tempo em que os microcomputadores levavam vários minutos para inicializarem, mas esse tempo tem diminuído pelas novas tecnologias dos softwares e dos equipamentos. Caso o seu computador esteja muito “carregado” de programas a inicialização pode demorar um tempo considerável, mesmo sendo uma máquina rápida. Não vou fazer cálculos aqui, mas caso queira, experimente fazê-los. Multiplique o tempo que você fica esperando a máquina “entrar”, considere os tempos de atualizações, ativações, reparos automáticos do sistema, verificação de vírus e tempo destinado a manutenção pela assistência técnica, e outras perdas de tempo, multiplique pelos dias, pelos meses e veja qual o resultado por ano. É muito tempo perdido. Sabemos que quanto mais o sistema operacional exige de recursos das máquinas, mais os fabricantes vão aumentando o poder de processamento do hardware. O bom disso é que sempre temos máquinas mais potentes, em detrimento dos recursos do planeta e a criação de um vasto parque de máquinas defasado. O interesse de alguns vale tudo isso? Somos, novamente, escravos, meros pagadores, nas mãos de interesses particulares que só visam o enriquecimento às custas e em detrimento dos outros e do planeta. Aproveito para deixar no ar algumas perguntas: Quais os nossos direitos quando compramos um software, sistema operacional? Quem paga o prejuízo quando o software adquirido não corresponde as expectativas, como foi no caso do Windows ME e do Vista? Quais os deveres da Softhouse, como a Microsoft, quanto a isso e quanto ao desenvolvimento periódico de novas versões, em tempos previamente definidos? É necessário comentar, que empresas como a Microsoft, atualmente, lançam suas novas versões do sistema operacional quando bem entendem. Não temos o direito de ter um software melhor quando é necessário e sim pela vontade da empresa fornecedora. Pergunto ainda: O preço cobrado é justo para quem terá que atualizar o sistema operacional, a todo o momento? E quanto a trocar de versão logo que outra for lançada, comprando outra cópia original do produto, sempre que a cópia anterior não permitir mais atualizações? Há alguém que controla isso? É lícito o mundo inteiro depender de um sistema operacional como o Windows da Microsoft? Temos que aceitar tudo isso de boca fechada? Até quando pagaremos preços de licenças inteiras por licenças com data de validade camufladas? Quando a Microsoft, por exemplo, fará a sua obrigação de dar uma data específica para as novas versões do seu sistema operacional. Há desrespeito e abuso! Queremos microcomputadores mais modernos com sistemas operacionais gratuitos, ou com preços justos integrados ao equipamento, residentes na memória das máquinas. Temos que acabar com a demora na inicialização das máquinas, pois isso, pela tecnologia existente, é inaceitável. Por outro lado, o monopólio da Microsoft é prejudicial, pois fez o mundo inteiro "escravo" do seu sistema operacional. Temos opções? Sabemos que quando surge um competidor, a Microsoft abocanha, na calada da noite. Alguém pode dizer: as pessoas podem optar pelo Linux. Pergunto: e os softwares (aplicativos) necessários para as necessidades das pessoas e empresas? O que dizer da compatibilidade (claro que existe alguma) e do costume das pessoas, que cresceram utilizando o Windows? Utilizei durante muito tempo o Linux, como servidor e também no meu desktop. Nada tenho a reclamar, a não ser, a falta de programas aplicativos para minhas necessidades, que me obrigaram a voltar para o Windows, naquela época. Uso, hoje, o Linux Mint v11. Digo que se a comunidade do software livre/aberto fosse mais organizada, algo poderia ser planejado para melhorar a vida de todos. Se cada um que utilizasse o Windows, por exemplo, doasse um centésimo do que se paga por esse software, para o melhoramento dos sistemas operacionais livres/abertos, como o LINUX ou outro, e o desenvolvimento de novos e melhores aplicativos diversos, teríamos um progresso enorme e conseguiríamos livrar-nos desses monopólios. É questão de organização, conscientização, boa vontade e determinação. Pensem nisso!


terça-feira, 30 de agosto de 2011

O fim do mundo

Queridos leitores,
incontáveis vezes tivemos notícias de profecias do fim do mundo, que jamais se concretizaram. A última, do calendário maia, está prestes a ser descartada e já andam falando que poderia ter sido a cinquenta anos atrás ou daqui a cinquenta anos. O que se pôde ver, foram tragédias ocasionadas por terremotos, furações e outros cataclismos. Para aquelas pessoas que expiraram, realmente o mundo acabou. Na verdade, o mundo acaba a cada segundo, a cada minuto, a cada hora, a cada dia, a cada mês, a cada ano, ano após ano, para muitas pessoas. O mundo ainda acaba para as pessoas, quando suas vidas ficam sem sentido, sem orientação correta, quando estão fora da cobertura de Deus, quando o mal as domina, jogando-as numa vala comum, de marginalidade, de drogas, de crimes, de assassinatos, de exclusão social, de corrupção, e todo o tipo de astúcia e manipulação do mal, para destruir o homem. O mundo como o conhecemos acabará sim, mas como descrito no livro de apocalipse, na Bíblia. Digo-lhes ainda que as profecias do fim do mundo, não passam de manipulação, inclusive por interesses comerciais. As pessoas começam a construir refúgios subterrâneos, armazenar comida e todo o tipo de coisa que se poderia comprar para construir a sua fuga do fim do mundo. Há quem queira ir para outros mundos, inclusive a possibilidade de morar na lua, antes que a terra acabe. Vejam que disparate. Infelizmente as pessoas se deixam manipular, deixam que pessoas mal intencionadas lhe imponham um medo incontrolável. Olhem só a bobagem que foi o filme 2012. O marketing pesado encarrega-se de dar crédito à filmes como esse, que normalmente nos fariam rir, como numa grande comédia, de tão ridículo que é. Sinto ter perdido meu tempo de vida assistindo aquele filme. Voltando ao assunto da fuga do fim do mundo. Temos visto e ouvido notícias da criação de comunidades isoladas e auto-suficientes. Vejo que são, na sua maioria, comunidades esotéricas, ufológicas e místicas, que passam tempo meditando, tentando estabelecer contato com seres estra-terrestres e/ou com uma frequência especial, numa busca incessante pela harmonia, pela paz e pela salvação. Tentam integrar-se a terra (chamando-a de gaya), preenchendo aquele vazio que lhes insiste em incomodar. Pergunto-lhes: devem os cristãos criarem comunidade isoladas e auto-suficientes, fugindo das cidades, preparando-se para o fim do mundo? Penso que isso seja totalmente sem sentido, por diversos fatores. O principal deles, é que os cristãos devem salvar vidas e não isolar-se das outras pessoas abandonando-as, essa é a missão maior de todo o cristão. Essas comunidades não passam de uma fuga, da instauração e efetivação do medo do fim do mundo nas suas vidas, da descrença em nosso Deus. Talvez para eles o mundo já tenha acabado, motivo pelo qual buscam o isolamento. Esse medo é do mal que nos leva a fazer coisas, para nos "proteger", que nos afastam do nosso verdadeiro objetivo e de nosso Deus. Primeiramente temos que ter bem claro nas nossas mentes, que nosso Deus é um Deus VIVO e foi Ele quem criou todas as coisas. Ele não é a criação, Ele é o Criador. Ele não é o sol, nem a terra nem a lua ou qualquer outra coisa. Ele é Deus, o criador, o Pai Celestial, o nosso amoroso e misericordioso Deus. Ele fala conosco; nossos corações devem estar abertos para Ele; devemos levar uma vida justa e correta, seguindo a postura de Jesus Cristo, para melhor ouvi-lo. Isolados não conseguiremos fazer coisa alguma em benefício ao próximo, e assim nossa vida ficará sem sentido. Não devemos esquecer que depois do nascimento de Jesus Cristo, vivemos pela graça, e o jugo de Jesus é suave e seu fardo é leve. "Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (Mateus 11:30). Isso nos diz que devemos fazer duas coisas, muito simples, mas muito especiais, pois para isso fomos criados pelo nosso Eterno Criador: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. "E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo." (Lucas 10:27). Havendo amor, tudo fica resolvido e o mal é derrotado. Aquele vazio, que escrevi acima, só pode ser preenchido com a presença de Jesus Cristo nos nossos corações. Devemos ter uma fé inabalável no nosso Deus e no Nosso Senhor Jesus Cristo. Viver em comunidades isoladas nos afastará do nosso objetivo principal e poderá nos levar ao erro, que talvez nos custe muito caro. O vazio persistirá. Não devemos temer o fim do mundo! A nossa salvação do fim do mundo, é simples, tão simples quanto a própria SALVAÇÃO foi, enquanto estava entre nós, e que ainda Está dentro de nós, em Espírito, que é o NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Ele, Jesus Cristo, nosso Deus, é a nossa SALVAÇÃO. Ele é o Verbo que estava no início de tudo. Somente Ele. Quem está em Jesus Cristo, não tem medo do fim do mundo. Está livre para viver uma vida plena, sem medos. Sabe que está amparado, por Deus, em qualquer situação, até na morte. Creiam nisso! creiam n'Ele!

Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A paixão de Cristo, o filme, dirigido por Mel Gibson

Queridos leitores,

O Filme a paixão de Cristo, dirigido por Mel Gibson, foi feito em 2004. Quando vi os trailers do filme, que era dirigido pelo Mel Gibson, soube das suas cenas fortes e violentas, não quis assistir. Parecia-me ter algo errado naquele filme. Assisti ontem e percebi o que estava errado. O Objetivo principal do filme é CHOCAR, pelas cenas de extrema VIOLÊNCIA.
Sempre soube do enorme ego do Mel Gibson e do seu prazer doentio em chocar as pessoas e fazê-las ver a dor e o sofrimentos dos outros, inclusive pelos seus filmes anteriores como máquina mortífera, como protagonista, policial, em que ele deslocava o seu braço para escapar de algemas, para os colegas no distrito policial. Algo doentio mesmo.
Na Paixão de Cristo, Mel Gibson, choca as pessoas pela extrema violência e barbárie explícita, com todos os detalhes. Será isso mesmo válido? Os fins justificam o meio. É justificada a VIOLÊNCIA apresentada?
Por outro lado, o anti-semitismo é muito claro e forte, pois não há como ver o filme e sair dali pedindo salvação aos judeus, afinal só Jesus pôde fazer isso verdadeiramente, pois qualquer pessoa fica indignada, pela maldade, brutalidade e violência ali apresentados.

Na minha opinião, não está em questão se o sofrimento de Cristo foi menor ou maior do que o apresentado no filme, pois todos sabem que Jesus foi moído, só não teve seus ossos quebrados, conforme a profecia. Cabe-nos analisar se queremos evangelizar chocando as pessoas, através da violência, como uma manchete sensacionalista de um jornal, através de uma notícia ruim e violenta. A mensagem principal seria mesmo o açoite que arranca pedaços da carne de Jesus Cristo, ou o que importa mesmo é a RESSURREIÇÃO? Acredito que Jesus Cristo evangelizaria pelo AMOR que sempre pregou e não por cenas chocantes, sensacionalistas e violentas sobre a sua própria morte. O ódio e a violência são contrários ao AMOR. A vitória de Jesus sobre o pecado dos homens, tentação e morte é a mensagem o principal. Deus permitiu o sofrimento de Jesus desde a sua entrega aos sacerdotes até a crucificação e morte, porque era necessário para a remissão dos pecados dos homens e para a RESSURREIÇÃO de Cristo Jesus, destinada por Deus. A vitória de Jesus era certa. Jesus Cristo sabia do Seu destino. No filme, a RESSURREIÇÃO ocupa somente uma pequenina cena no final, pois o objetivo não era demonstrar a vitória de Jesus sobre a tentação, pecado dos homens e sobre a morte, mas sim demonstrar a violência chocante durante todo o filme.
Essa é minha opinião, mas posso estar errado, ou então talvez o filme possa ser utilizado em parte, mas tenho sérias dúvidas disso. As citações bíblicas, no final, talvez elucidem isso. Vejam os links abaixo:
Há de se ler na íntegra o artigo, inclusive a parte do ilvro de Anna Katharina Emmerick, pois logo depois a análise do filme continuaSobre o filme de Mel Gibson, Apocalypto - a violência nua e crua

Veja esses outros links sobre a vida de Mel Gibson:
Notícia de 06/10/2010,onde diz que esposa de Mel Gibson, temeu pela própria vida
Notícia de 12/03/2011, onde diz que Mel Gibson foi condenado por violência doméstica.

Olhe o que diz a Weekpedia sobre Mel Gibson:

"Alcoolismo

Gibson ao ser preso em 2006 por dirigir sob o efeito do álcool
No final de julho de 2006 foi preso por dirigir em alta velocidade e embriagado, e se indispôs com a comunidade judaica ao desferir impropérios contra os judeus. Dias depois, Gibson se desculpou perante a comunidade judaica, admitiu que tem problemas de alcoolismo e anunciou que iniciaria tratamento para se livrar do vício. Em um comunicado enviado ao programa de TV Access Hollywood, disse: "Agi como uma pessoa completamente fora de controle quando fui detido, e disse coisas infames, que não são verdadeiras.""
(Fonte: Weekpedia)

Não cito essas coisas para denegrir ou julgar a pessoa de Mel Gibson, pois é um homem assim como todos somos, nem melhor nem pior do que o outro, somente pecadores, no entanto suas ações podem afetar significativamente a vida de outras pessoas e dessa forma é muito bom saber com quem estamos "falando".

Penso que temos que ter muito cuidado na análise e uso de filmes, pois até os filmes gospel podem conter coisas ditadas pelo inimigo tentando corromper a verdadeira história e a mensagem principal. Um outro exemplo: No filme Rei Leão, da Disney, se soubéssemos quem estava na criação e direção (Pessoas com sérios problemas psicológicos, que não cito para não discriminar pessoas, mas que nesse caso era obra do inimigo, do mal), não deixaríamos nossos filhos assistirem. Esse filme estava cheio de mensagens subliminares incutindo sexo na cabeça das crianças, entre outras coisas desaconselháveis para aquele momento, em outros filmes da Disney.

"Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus." (Mateus 7:17)

"Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos." (Marcos 13:22)

"Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores." (Mateus 7:15)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O Verbo se fez carne

Queridos leitores,
Os incrédulos duvidam da concepção sobrenatural de Jesus Cristo, já que naquele tempo a mulher que ficasse grávida fora do casamento, ou fosse adúltera era fatalmente punida. Seria uma boa desculpa de Maria, dizer que estava grávida por ação do Espírito Santo. As pessoas não declaram abertamente essas dúvidas, por motivos óbvios. Maria havia recebido a visita do anjo do Senhor, que lhe informara da sua gravidez, informando-lhe o nome da criança. Ela ficou com sérias dúvidas, pois não havia tido relação sexual com homem algum, como iria ficar grávida? Disse o anjo do senhor, que seria ação do Divino Espírito Santo. Maria então, aceitou a atribuição de coração aberto, mesmo sabendo que seria discriminada. As pessoas da localidade onde moravam Maria e Jose, olhavam para Maria julgando-a, criticando-a por estar grávida, comentando como ela poderia ter feito tal coisa à José, que a esperava para casar-se. Pensavam que Maria tivesse tido relações íntimas com algum homem, quando viajou para outra localidade, em visita a sua prima, Isabel, esposa de Zacarias, que estava grávida de João Batista. No entanto José não a denunciou, pois a amava, mas também estava cheio de dúvidas. Logo depois José recebeu a visita do anjo do Senhor, em sonho, que o informou da gravidez sobrenatural de Maria e lhe revelou também, o nome da criança. O restante da história do nascimento, vida e morte de Jesus Cristo, todos conhecem. Quer mais provas? A própria existência do mundo e da vida, as aparições dos anjos do Senhor, em diversos momentos, as falas dos profetas, os milagres, a vida, a morte e ressurreição de Jesus Cristo testificam a verdade. Tomé teve que ver com seus próprios olhos para crer, mas bem aventurados aqueles que acreditam sem precisar ver. "Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram." (João 20:29). Todos tivemos essas dúvidas até que pudéssemos sentir realmente a manifestação do Divino Espírito Santo nas nossas vidas, ou outros totalmente pela fé, e assim crer nas coisas sobrenaturais do nosso Deus. A grande verdade é que Deus esteve entre nós, interagiu conosco, deixando uma herança de amor, de perdão e de bençãos jamais pensadas. Já recebemos toda a sorte de bençãos, somente não sabemos disso. Jesus veio para isso. Quão grande e maravilhoso é o nosso Deus. Louvado e glorificado seja o Seu nome. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó é presente nas nossas vidas. É maravilhoso. Durante nossas vidas clamamos pela presença de Deus, mas Ele já nos ouviu muito antes do nosso clamor, pois para Ele o tempo não existe, e, num ato de supremo amor, enviou para nós o Seu Filho. O Verbo se fez carne e habitou entre nós. Deus habitou entre nós! "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16). Jesus Cristo com a sua semente pura veio ao mundo para a remissão dos nossos pecados. O Objetivo foi claro desde o princípio. Temos que nos dar conta da importância disso. Jesus Cristo não está mais fisicamente entre nós, mas vive hoje nos nossos corações, em espírito, mas voltará novamente com seu corpo glorificado!
Fiquem todos na paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

O quanto exigimos de nós mesmos?

Queridos leitores,
venho hoje escrever-lhes sobre os problemas que causamos a nós mesmos. Vivemos uma vida de agenda cheia, repleta de "tem que fazer", isso e aquilo. É velho dizer que, nós mesmos criamos situações difíceis de resolver, quando tudo poderia ser muito mais simples. Quem tem o direito de exigir de nossas vidas regras rígidas e diretrizes rigorosas, é o nosso Deus, que nos criou, no entanto Ele nos dá o maior exemplo de humildade, simplicidade, liberdade e de livre arbítrio. Nosso Deus nos dá ainda, as orientações para que sigamos uma vida maravilhosa, através da sua palavra, a Bíblia que não é o que a maioria pensa: um livro cheio de duras regras, muito menos um fardo. Jesus disse: "Porque meu jugo é suave e meu fardo é leve." (Mateus 11:30). Podemos trazer para o nosso contexto e perguntar: porque então complicamos tanto as coisas para nós mesmos? Meus queridos, somos exigentes demais para com nós mesmos, ou deixamos que nos ditem regras impossíveis de serem seguidas até mesmo por quem as dita, a exemplo dos fariseus. Não confunda isso com desobediência aos pais e à igreja, falo de opressão. Nunca estamos satisfeitos com o que temos e com o que fazemos, assim criamos muitos embaraços. Muitas vezes devíamos dizer: "deixa isso para lá!". Não precisamos exigir de nós mesmos o que não podemos suportar. O excesso de exigências e perfeccionismo, traz o insucesso nos objetivos propostos, ou um alto preço por isso. Nosso Deus gosta que todas as coisas sejam feitas com dedicação, amor, carinho e com excelência, no entanto temos que respeitar nossos limites. Experimente carregar um peso maior que possa suportar. A consequência será uma rendidura/hérnia, e a necessidade de uma cirurgia reparativa, além de problemas na coluna vertebral, músculos e nervos. É só um exemplo. Somos humanos, sujeitos a limites e a falhas. Deus não nos dá um fardo maior do que possamos carregar, porque então nos exigimos à exaustão? Dessa forma digo-lhes: Faça o melhor que puder, em todas as coisas, mas respeite seus limites. Uma vida plena depende disso, senão vem a doença, a ansiedade, a depressão e diversos outros problemas, que se agravam com o passar do tempo. Creia, você tem limites! Respeite-os! Nosso Deus tudo pode, mas nós não. Só através Dele podemos ter uma vida plena. Não podemos resolver tudo pela força dos nossos braços. Falo figurativamente. Tenha Jesus Cristo na sua vida e você completará o vazio da insatisfação e do perfeccionismo, que causam a ansiedade, estresse, depressão, enfim, a doença. A cura completa do nosso ser está somente no poder do nosso Deus YAVEH, através do médico dos médicos, nosso maravilhoso salvador, O Verbo, O Nome sobre todos os nomes, Yeshua Hamashia, O Príncipe da Paz, O Filho do Deus Vivo, O Próprio Deus Vivo, Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

Convido você para a LIBERDADE que só o Senhor Jesus Cristo pode nos dar! Aceite-o! Siga-o! Aprenda seus ensinamentos e tenha uma vida livre e plena! Sirva ao Senhor Jesus Cristo!

Fiquemos todos, na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

PS.: Repare nas pequenas coisas, um compromisso que teve que transferir, um farelinho que fica em cima da mesa depois da retirada da toalha, a cor da TV que está um pouquinho esmaecida ou forte demais enquanto você está assistindo, um tapete ou um quadro um pouco torto no chão e na parede respectivamente, um copo que não foi seco na pia, uma roupa que ficou um pouquinho amassada numa pequena parte e que ninguém vai notar, uma pluminha numa blusa, um dia que você não varreu a casa, um dia que você não tirou o pó dos móveis e por aí vai. Não seja exigente demais. Não seja escravo(a) das coisas. Você é livre. Ser caprichoso(a) á uma coisa boa, mas ser perfeccionista não é legal! liberte-se do que o(a) Escraviza! Tenha Jesus Cristo no seu coração! Reserve um tempo para as coisas espirituais. Um Tempo de oração, agradecimento, louvor e adoração ao nosso Deus YAVEH.



segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Os apóstatas e os "pós-cristãos".

Queridos leitores,
segundo o que entendo, apóstatas são pessoas que mesmo depois de aceitar Jesus Cristo em suas vidas, mesmo conhecendo a palavra e os ensinamentos de Jesus Cristo, deixam de lado sua fé, sua crença, e lançam-se novamente no mundo. Essa situação é muito grave tendo-se em vista o que integra a fé, o conhecimento, o seguir da doutrina de Jesus Cristo e da palavra de Deus. O apóstata conhece a salvação, conhece a causa dos problemas, as causas da destruição do ser humano, mas mesmo assim cede ao mundo e desiste de tudo o que é de Deus. Muitos já devem ter ouvido falar em "pós-cristãos". Segundo o que se tem ouvido, os "pós-cristãos" acham-se superiores aos cristãos, pois pensam já ter passado da fase cristã e pensam estar mais evoluídos. Pode-se pensar, então, que todo o apóstata é "pós-cristão". Não necessariamente. Isso pode acontecer somente na cabeça do desertor de Jesus Cristo, pelo seu orgulho em ainda receber um título por ter desistido do que é bom, mascarando a sua desistência, deixando-se levar pela intelectualidade, ignorando o espiritual, o sobrenatural. Os apóstatas podem ser pessoas que simplesmente desistiram de sua crença e de sua fé. Essas pessoas foram ficando frias com o passar do tempo, tornando-se somente religiosas, sem levar os ensinamentos da palavra de Deus para as suas vidas, como faziam os fariseus no tempo de Jesus Cristo. Na verdade não entenderam que Jesus Cristo liberta e não dá um fardo maior do que se possa carregar, para se chegar à Deus: "Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (mateus 11:30). Será que essas pessoas estiveram equivocadas quanto a existência do nosso Deus? Qual seria a evolução do cristão? Como poderia alguém evoluir na crença e logo deixá-la, esquece-la, contraria-la, cair no mundo e ainda receber um título surgido do nada: "pós-cristão"? Há de se saber que o mal espreita, principalmente para a queda dos cristãos. Esse título é como o mel na carcaça putrefata do leão, na história Biblica do Sansão, que objetivava somente a sua queda e a desobediência ao nosso Deus. A batalha é espiritual, creiam nisso! "Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Efésios 6:12). Temos que estar cientes disso, devidamente preparados para esta batalha, com nosso Deus YAVEH e Jesus Cristo, verdadeiramente nos nossos corações, vivendo em retidão, justiça e santidade, pois assim seremos sempre vencedores.
Resumindo, digo que não existem "pós-cristãos", isso é apenas um eufemismo, uma máscara do orgulho e do mal, para quem apartou-se da fé em Jesus Cristo, nosso Deus e caiu no mundo, entregou-se as tentações. Espero que você não seja uma dessas pessoas e se for, volte para o caminho da luz, o caminho correto, o único caminho de volta para Deus, que é o nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré! Basta ter o coração aberto para que nosso Deus YAVEH levante pessoas para te ajudar a reencontrar o verdadeiro caminho à Ele.
Fiquemos todos na paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

A entrega do coração

Queridos leitores, muitas vezes entregamos errado os nossos corações. Entramos na vida adulta, as vezes antes disso, seguindo a orientação da maioria das pessoas. Desejando namorar, noivar, casar, formar uma família, comprar a própria casa, comprar um carro e algumas outras necessidades e comodidades. No entanto esquecemos de algo muito importante, O mais importante de nossas vidas. Esquecemos de Deus nas nossas decisões, e mais do que isso, esquecemos de Deus nas nossas vidas. Quando casamos, entregamos nosso coração para a outra pessoa, em amor, o qual declaramos na frente do pastor ou padre, muitas vezes somente para seguir protocolos cerimoniais ditados pela cultura local. Algo superficial. Passa o tempo e as decepções vão acontecendo. Se nossos corações não estiverem primeiramente em Deus, sofreremos sérias decepções. Nosso corpo, nossos corações, nosso ser, na totalidade, não nos pertencem, pertencem ao nosso Deus, que nos deu a vida, assim como todas as demais coisas. Sendo nosso coração de Deus, não podemos dá-lo à Ele, pois já o é, mas trata-se sim, de uma entrega, uma aceitação. Uma aceitação do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo nos nossos corações. Olhe: "Peço-te que te lembres de que como barro me formaste e me farás voltar ao pó." (Jó 10:9). Depois que nascemos só temos a certeza da morte, mesmo assim não sabemos quando será. Durante a nossa vida temos o controle de como a vivemos pelas decisões que tomamos e isso definirá nossas opções de vida. Será mesmo? Creio que não. Pensamos que controlamos, mas não controlamos! Somos falhos, todos. Não podemos confiar somente na força dos nossos braços. Durante nossa vida simplesmente temos somente as opções dos dois lados da moeda, ou vivemos sob os desígnios do nosso Deus ou do mal. Isso afeta todas as outras nossas decisões. Somos assim regidos. Não há um meio termo. Para uma vida plena tem-se que tomar essa decisão, se não tomar nenhuma, então já está tomada! O mal prevaleceu, e você estará como decidiu! Veja: "Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha." (Mateus 12:30). Como já escrevi, nossas vidas podem ser dirigidas por nosso Deus ou podemos dar autoridade para o inimigo, o mal, controlá-la. Quem você permitirá que dirija a sua vida e da sua família? Entende agora porque muitas coisas ruins acontecem no mundo? Quem dirige a sua vida? A quem você dará autoridade para governar a sua vida, em quais mãos você colocará a sua vida e a da sua família? Nas conchas protetoras das mãos do Senhor nosso Deus, que te ama incondicionalmente, ou permitirá que o inimigo, o mal, os governe? Reflita! Aceite Jesus Cristo na sua vida, aceite-O como seu único salvador, entregue a Ele o seu coração, aceite-O e entenda que Ele é o único caminho que leva a Deus. "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. " (João 14:6). Entregue seu coração para nosso Deus, pelo amor que Ele nos tem, um amor fiel, verdadeiro, incondicional e quase indescritível. Seria indescritível, se Jesus Cristo não tivesse vindo ao mundo para demonstrá-lo. Qual Pai dá seu filho em sacrifício por pessoas desmerecedoras, pecadoras e inimigas, deixando ainda uma herança de perdão, pedindo somente que o aceitem como Aquele que dá todas as bençãos, inclusive essa? Para entender o que digo, veja: "Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro." ( 1 João 4:6).
Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré!

sábado, 9 de julho de 2011

O quanto somos importantes

Queridos leitores,
como em muitos outros artigos que escrevi, vivi essas situações, as quais descrevo abaixo, para vocês. Em algumas oportunidades no decorrer da minha vida, sentindo-me um pessoa simples, comum, despercebida, apenas vivendo, deparava-me com parentes não próximos, e outras pessoas amigas ou conhecidas. Não havia percebido de como eu poderia ter participado mais da vida dessas pessoas, simplesmente porque não me achava importante para vida delas. Um engano muito grande por diversos motivos, dos quais discorro sobre alguns: para eles podemos ser muito importantes sem que saibamos; muitas vezes aquele tio(a), sobrinho(a), parente, amigo(a) e outros, muitas vezes com laços de família próximos, mas distantes fisicamente, outras vezes não tão distantes, pensam em nós e de como estamos afastados, sentem saudades, e pensam: "o fulano que não aparece, está tão afastado, não liga, ensimesmado e arredio.". Não pense que as pessoas não dizem isso, pensam e dizem. Eu mesmo estive dos dois lados, muitas vezes. Lá estava eu, em mim mesmo, achando que ninguém se importava comigo, achando que era imperceptível, preocupado somente comigo mesmo e com minha vida, envolvido por uma bolha virtual, alienado. Estava sendo punido por pensamentos errôneos imputados pelo inimigo, pelo mal. Pensamentos como este: "Puxa, aquele meu tio é muito chato, não vou lá, vão vocês."; ou "não tenho tempo agora estou lendo meus e-mails."; ou ainda "Não vou, não sou importante!", e outras justificativas "furadas", que não cansamos de dizer. Dizia que meu tio era chato, porque eu o fazia chato, ele não o era. Quanto aos e-mails, pura enganação, pois muitas vezes ficava "navegando à deriva". Quanto ao questionamento de não sermos importantes, penso: se estamos aqui, se nascemos, se fomos criados com todo o cuidado e carinho pelas nossas mães, somos importantes e vencedores, precisa mais? Precisa! Deus tem um propósito para cada um de nós e disse que em Jesus Cristo somos mais que vencedores. Queridos, uma das coisas boas da vida é o relacionamento com outras pessoas, mesmo que você não goste dessa idéia. Essas pessoas, as quais achamos que não se importam conosco, são pessoas que além de estarem pensando o contrário, precisam, muitas vezes, de um papinho legal, pessoalmente, tomar um cafezinho, um suco, um chá, comer umas torradinhas, "jogar conversa fora", sem grandes espectativas, somente algo bom, cordial e amável. Que coisa boa, poder conversar, saber um pouco do outro, ouvir muito, falar beneficamente, transparentemente, honestamente, olhando nos olhos, importar-se com a vida do outro. Somos capazes de mudar uma vida para melhor com uma boa conversa, porque não o fazemos então? Simplesmente porque o mal não quer isso, quer que fiquemos desconfiados, com medo de fofocas, com medo de ter uma conversa franca. Dessa forma, com Deus no nosso coração, vamos lá, vamos ver aquela pessoa, que muitas vezes espera uma palavra de conforto, mostre que você se interessa pela vida dela, mostre que está disposto a ouvi-la. Ahhh, como seria bom se todos fizessem isso, procurassem outros, conversassem coisas edificantes. "Jogar conversa fora", não significa falar qualquer coisa, tolices, mas sim conversas que edificam nossas vidas, tanto para quem fala quanto para quem ouve. Conto para vocês algo que aconteceu comigo, e que me marcou bastante: estava adoentado, com vômitos, e tive que ir para o hospital tomar soro, no entanto ao chegar deram-me uma injeção de algo que me deu uma bruta alergia, embolotou-me o corpo todo, e quase parei de respirar. Estava muito ruim, me sentindo péssimo, quando alguém bate à porta. Eram umas duas ou três pessoas, não lembro, mas lembro bem do que fizeram. Perguntaram-me como eu estava e me pediram autorização para orar. Aceitei. Oramos juntos. Aquelas pessoas nem imaginam como aquela oração me fez bem. Eram pessoas da igreja que eu frequentava naquele tempo, mas não me reconheceram, pois eu não era assíduo. Aquelas poucas palavras que proferiram, aquela atenção, aquela oração, foram essenciais para minha melhora. Citei esse fato, até certo ponto, fora do contexto, para demonstrar as boas coisas que a atenção das outras pessoas podem fazer conosco. Aquelas pessoas fizeram aquilo por mim, uma pessoa estranha, imagine então o que esperam de você, estas pessoas que são próximas de você, mas que estão tão distantes da sua atenção. Esqueça os SEs, e faça aquela visitinha amigável para aquelas pessoas que você está lembrando agora, durante essa leitura. É importante! Existem pessoas esperando que você se lembre delas, começe em casa mesmo, ou vai esperar para ver essas pessoas, somente quando elas estiverem de partida desse mundo? O tempo e as oportunidades passam, vai permitir isso? Vá ver aqueles que você gosta ou ama e tenha um papo muito agradável, em nome de Jesus Cristo. Você é importante e não passa despercebido, acredite! Você vai fazer muitas pessoas felizes, e se não agradar, não se preocupe, você fez sua parte. Nosso Deus, tudo vê, só Ele julga e É justo. O reconhecimento vêm somente Dele. Você preparou o chão para o plantio. A semente será plantada. Nós simplesmente colhemos o que plantamos, lembre-se disso. Digo ainda: Por nosso exemplo de vida motivamos as pessoas, por isso andemos na retidão, na obediência ao Senhor Nosso Deus, à exemplo de Jesus Cristo de Nazaré.

Que a paz do nosso Senhor Jesus Cristo esteja conosco para todo o sempre.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A Confiança, a transparência e a sinceridade

Diz a Bíblia: "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!" (jeremias 17:5); Esse texto me incomodava muito. Pensava: será que não podemos confiar em alguém? Sempre valorizei muito a confiança nas pessoas, daí minha aflição. Então li os demais versículos, dentro do contexto, pesquisei, e vi que não é essa a interpretação. Acompanhe o restante do texto bíblico: "Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável." (Jeremias 17:6); "Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR." (Jeremias 17:7); "Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto." (Jeremias 17:8); "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jeremias 17:9). Analisando o texto vemos que devemos CONFIAR no SENHOR NOSSO DEUS, acima de qualquer outro e especialmente acima de nós mesmos ou na força de nosso próprios braços. Neste caso não podemos tomar somente o versículo 5, mas sim analisá-lo dentro de todo o contexto. O que esse texto nos diz é sobre nós mesmos e não a respeito dos outros, porque dessa forma os estaríamos julgando como não merecedores de confiança, o que contraria a Palavra de Deus. Que amor ao próximo seria este? Devemos confiar em Deus e não nas nossas próprias forças, esse é o entendimento. Não devemos nos apartar do Senhor confiando apenas em nós mesmos, pois seria um grande erro. Sempre pensei que confiar nos outros é uma boa coisa, mesmo que a pessoa aparentemente não a mereça, devemos perseverar na confiança, tomando certos cuidados, até que seja merecida. Como quase a maioria dos escritos da Bíblia, esse texto deve ser analisado dentro do contexto total e não deve ser entendido literalmente. Embora o mundo em que vivemos tente nos fazer desacreditar das pessoas, penso que existam sim, pessoas honestas, sinceras e transparentes em que se possa confiar. Jamais devemos nutrir sentimentos de desconfiança, de má fé e de descrédito. Acredito que o depósito de confiança nos outros é uma demonstração de amor e de pureza de pensamento. Qual a sua opinião sobre isso? Comente, por favor.
Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.