Compartilhe

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Falar da salvação?

Queridos leitores.

Frequentemente faço autocríticas para ver se não estou deixando de escrever o que deveria, ocupando este tempo escrevendo sobre coisas que estão erradas, os entendimentos errados sobre a fé cristã. Sempre reflito sobre isto, mas num flash de tempo o Senhor me tranquilizou com o seguinte entendimento: quando escrevo sobre as coisas que estão erradas, como as falsas igrejas de Cristo, os falsos pastores que são lobos disfarçados de ovelhas, falsas doutrinas e até falsos cristos, estou escrevendo sobre a verdadeira salvação, ajudando as pessoas a se livrarem da manipulação, da lavagem cerebral, da mentira dos homens que querem somente o domínio da vida dos seus semelhantes para engrandecimento próprio, com seus cargos eclesiásticos e uso dos recursos, principalmente financeiros, das suas ovelhas.

Aqui no Brasil, infelizmente, vivemos uma escravidão muito maior do que na maioria dos lugares do mundo, manipulados por uma classe política corrupa e roubadora e um bando de falsos pastores, falsos mestres com suas falsas doutrinas, fazendo lavagens cerebrais semanais e técnicas de manipulação psicológicas para o sucesso seus intentos mentirosos e cruéis. Todos trabalhando em conjunto para tornar o povo escravo, simples mantenedores dos seus interesses e necessidades, em resumo, dos seus enriquecimentos ilícitos.

É de importância existencial que se conheça a verdadeira doutrina do Senhor Jesus Cristo de Nazaré, as boas novas do evangelho. Entender que lhes está sendo apresentado e oferecido o reino dos céus, que a verdadeira Igreja do Senhor Jesus Cristo, santuário vivo, é o próprio crente em Cristo, pedra viva da Igreja, a qual tem como pedra angular e cabeça, o próprio Senhor Jesus Cristo e como fundamentos os apóstolos e profetas. Que saibamos que os irmãos em Cristo reunidos em qualquer lugar, em Seu santo e poderoso nome, são as verdadeiras congregações de Jesus Cristo, pois a palavra de Deus nos diz, que Deus não habita em templos construídos por mãos humanas e nem é servido por elas como se de alguma coisa precisasse (Atos 17:24)

Hodiernamente acontece como nos tempos da seita dos fariseus e mestres da lei de Israel. Eles fechavam o reino dos céus e não deixavam entrar quem estava entrando, como está expresso em Mateus 23:13. Além disso quando faziam um novo convertido o transformavam em filho do inferno duas vezes mais do que eles, como consta em Mateus 23:15, corrompendo-os com seus falsos ensinamentos. Assim como fazem muitos religiosos de hoje, eles colocavam empecilhos para que as pessoas não pudessem entrar no reino dos céus. No entanto a salvação é de graça para aqueles que estão em situação de miséria em qualquer área de sua vida, pobres, cegos, nus, amaldiçoados, necessitados de Deus, pois todo aquele que está em pecado se encontra nessa situação. Isaías 55:1 nos fala da graça, "free", sem dinheiro, sem preço e obviamente sem merecimento, pois todos somos pecadores. Quem diz que não tem pecados a verdade não está com ele. Por isto precisamos de Jesus Cristo. Por isto precisamos do seu sacrifício vicário, substitutivo. Quem deveria estar naquele madeiro éramos nós, cada um de nós, pagando pelos nossos erros, nossos pecados. Mas Ele, Jesus Cristo de Nazaré, o Deus encarnado, se entregou por nós, para que de inimigos de Deus, crendo nEle, passássemos para o status de filhos de Deus, portadores da vida eterna e do Seu Espírito Santo. Ele, Jesus, O Cristo, foi torturado, seu corpo foi moído por nossa causa, o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e pelas suas pisaduras fomos sarados, conforme nos dizem as escrituras (Isaías 53:5). Tudo aquilo precisava acontecer para que se cumprissem as escrituras, de aproximadamente 700 anos a.C. Receber o Senhor Jesus Cristo, crer nEle em nosso coração, verdadeiramente, é necessário. Não há nenhum empecilho para isto, sendo necessário somente um coração verdadeiro, manso, humilde e aberto para recebê-lo e assim sermos filhos de Deus, herdeiros e co-herdeiros em Cristo Jesus. Temos um único intermediário que é Jesus Cristo (1Tm 2:5-7), mas mesmo assim temos contato direto com o Pai Celestial.

A verdadeira fé em Jesus Cristo e consequente salvação, é contrária a mentira, a obscuridade, a religiosidade, ao cerimonialismo, ao jugo, a opressão, etc. A verdadeira conversão acontece no coração do homem, por ele aceitar, receber o Senhor Jesus Cristo na sua vida como seu Senhor e Salvador, confessando isto com sua boca, reconhecendo que é pecador, arrependendo-se de todos os seus pecados, mudando de posicionamento em relação à ele (pecado), mudando de vida, crendo em Cristo Jesus, entregando à Ele, somente à Ele, sua confiança e seus caminhos. Isto acontece indepentemente deste homem frequentar alguma suposta "igreja" ou denominação evangélica, também independentemente de estar sobre a "cobertura espiritual" de homens com seus cargos eclesiásticos, profissionais da fé que, na sua maioria, querem tomar o lugar de Jesus Cristo como intermediários entre Deus e os crentes. Fazem-se de mais importantes do que as outras pessoas, tomando para si lugares de destaque diante delas. Quem crê, verdadeiramente, no Senhor Jesus Cristo de Nazaré tem contato direto com o Pai Celestial. A sua oração genuína, original, verdadeira, chega direto ao Pai, sem intermediários, sem templos, sem lugares especiais, sem cerimonialismos, sem religiosidades, direto e simples. Esta foi uma das coisas que Jesus conquistou naquele madeiro. O véu do templo se rasgou e agora podemos falar diretamente com o Pai. Jesus disse: "...Quando este dia chegar, vocês não me perguntarão mais nada! Sim, eu lhes digo que tudo que pedirem ao Pai, Ele dará à vocês por causa de mim.

Querido(a) amigo(a), para finalizar peço que você imagine que há muito tempo você descontente, pediu sua parte da herança e saiu da sua casa para um lugar desconhecido e muito longínquo. Distante do seu pai por muitos anos, devido as suas mazelas, suas lembranças de casa são poucas, fracas e saudosas. Você cometeu erros desastrosos, está desamparado, carente de tudo. Neste lugar distante, depois de ter gasto todo o seu dinheiro, você passou por dificuldades terríveis: foi roubado, enganado e sem trabalho passou fome. Foi amaldiçoado, humilhado, espancado, ficou jogado à sarjeta, ferido, doente, como um animal, abandonado para morrer. Nesta hora você lembra do seu Pai e pensa em voltar pra casa, mas sua condição de miserabilidade é tão grande que você não sabe como. Você tem dúvidas se o pai irá recebê-lo. Então com a ajuda de algumas pessoas misericordiosas, com grande dificuldade, você pega o caminho de casa. O Pai, ao longe, vê você todo(a) maltrapilho(a) chegando e saí apressadamente ao seu encontro. Quando você o vê, vai correndo, chorando, na sua direção. Os dois se encontram, com grande alegria. Abraçam-se demoradamente, as lágrimas não páram. Você diz ao Pai: pai errei com o senhor, se possível me receba como um dos seus empregados e já será bom demais pra mim. No entanto o pai manda seus empregados prepararem um banquete e a melhor roupa para você. O pai diz: filho(a) minha alegria é grande, pois você estava perdido(a) e retornou para casa. Você é meu filho(a) e tudo o que é meu é seu. Vem e toma o seu lugar.

Quando nos convertemos e recebemos Jesus Cristo já estamos no caminho de casa, pois Ele é o caminho, a verdade e a vida, único caminho ao Pai, à nossa casa. Que maravilhoso será este dia quando chegarmos à casa do nosso único e verdadeiro Pai. Jesus já foi à frente para nos preparar lugar (João 14:2). Ele, O Pai Fiél e Verdadeiro, estará nos esperando e quando chegarmos, já ao longe nos verá e nos receberá com grande júbilo. Haverá grande comemoração. A nossa alegria será completa, mas inexplicável, tudo nos será familiar e saberemos que finalmente chegamos em casa, ao nosso verdadeiro lar.
"Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2:9)
Amigos e irmãos em Cristo Jesus, falar da salvação, das boas novas do evangelho e do reino dos céus é essencial e obrigatório para todo aquele que crê no Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Se não o fizermos, será semelhante a pessoa que compra um presente para seu próximo, mas não o dá, não o entrega. Também será semelhante ao atalaia que vê o inimigo se aproximando e não avisa o seu povo, sendo o responsável por todo o sangue derramado. Proclamai o evangelho, vigiai e orai o tempo todo!

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yeshua Hamashia.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Igreja Universal Romana e as denominações evangélicas

Queridos leitores.

O assunto de hoje é controverso. Bem disse George Orwell: "Em tempos de fraude universal dizer a verdade parece um ato revolucionário". Eu diria, até conspiratório. Existem mentiras que, de tão arraigadas na nossa cultura, na nossa sociedade, transformaram-se em supostas verdades. Tratam-se de sofismas, meias verdades e estratégias para enganar e escravizar a população, incluindo até os eleitos de Deus. Lembrem-se também do seguinte: o medo é a fé do diabo, o obscurantismo o seu catecismo e a mentira a sua cruz. Diante destas considerações é que começo fazendo um questionamento, que possui uma resposta muito complexa, mas que num paradoxo, porém é simples: Como a Igreja do Senhor Jesus Cristo pode ter supostamente se transformado na Igreja Universal Romana, conhecida como Igreja Católica Romana? 

Jesus Cristo, Yeshua Hamashia, era Judeu e cumpriu a lei de Moisés e as profecias dos profetas do povo de Israel, como Isaías, por exemplo, feitas muito tempo antes da sua concepção sobrenatural e do seu nascimento. Nada a ver com "Roma". Sabe-se que na época em que Jesus Cristo viveu entre nós, em Israel, os romanos dominavam e governavam esta nação. Este foi o motivo pelo qual o povo queria um libertador guerreiro e político e então pensaram que Jesus poderia ser esta pessoa, que os libertaria do domínio romano. No entanto Jesus disse a Pôncio Pilatos que o reino dEle não era desta terra, quando interrogado pouco antes de ser crucificado e morto. Jesus Cristo nos trouxe sua doutrina, seus ensinamentos, as boas novas do evangelho e através do seu sacrifício vicário reconciliou o homem com Elohim para aqueles que crerem nEle. Então os cristãos, a doutrina cristã foi vista por Roma como uma ameaça ao seu governo, às suas crenças, a nação estava dividida. Além disto o imperador considerava-se um Deus na terra, como seus antecessores. Assim os cristãos que eram caçados e executados nas arenas sob grande euforia da assistência, que via nossos irmãos em Cristo serem mortos, destroçados, dilacerados por animais exóticos e gladiadores, supostamente deixaram de ser perseguidos. Ledo engano de quem assim pensou. No entanto, ao invés de diminuir a cristandade com tais espetáculos e perseguições, os crentes em Cristo Jesus, aumentavam ainda mais. Num ato de "já que não podemos com eles, vamos nos juntar à eles" e com intuito de unificação do império romano, Roma, o imperador romano Constantino, decide, através de uma suposta visão que teve para uma batalha, a qual venceu, declarar a Igreja Cristã e "sua doutrina" como a religião oficial de Roma, por volta de 313 d.C. Então foi criada a Igreja Universal Romana, e obviamente Constantino auto declarou-se líder, entitulou-se Vicarius Christ (Vigário de Cristo), o primeiro líder da Igreja Universal Romana, ou seja o primeiro papa (Pater Patrum, pais dos pais), contrariamente ao que e Igreja católica sustenta. O interessante é que Constantino também foi entitulado de Pontifex Maximus (Sumo Pontífice, Sumo sacerdote ou alguém que constrói pontes; título usado em rituais pagãos de alguém que formava elo entre a vida na terra e a do além). Somente o imperador era Pontifex Maximus. Tudo isto tratou-se de uma manobra política de Constantino para a unificação do império romano, mantendo-se no poder, unificando o império e assegurando isto aos seus sucessores. São as profecias apocalipticas caminhando para se cumprirem. No entanto Roma, agora em nome de Cristo, continuava paralelamente realizando seus cultos pagãos, pois eram pagãos. Assim Constantino entitulado Vicarius Christ, que, curiosamente, traduzido para o grego significa anti-cristo, considerava-se um outro cristo, agindo no lugar de Jesus Cristo, Yeshua Hamashia. A estratégia deu certo a ponto da Igreja Universal Romana tornar-se a religião com mais adeptos no mundo. Carregava toda uma carga pagã de datas festivas, celebrações, adoração ao deus sol e religiosidades mantidas e adaptadas para a "fé cristã", enganado as pessoas, tornando-as tão pagãos quanto eles. Dizendo-se Igreja de Cristo, corrompeu a verdadeira doutrina, perseguiu e matou os verdadeiros cristãos no decorrer de toda a história, com métodos de torturas, que fariam Adolf Hitler ficar constrangido. A perseguição aos cristãos genuínos continuou. Quem se opusesse a doutrina católica, não concordasse com eles, era perseguido, torturado e morto com requintes de crueldade. Aqueles cristãos que se escondiam nas montanhas eram localizados, perseguidos, eles e suas famílias, inclusive mulheres e crianças, eram mortos, sem nenhuma misericórdia. Tudo isto supostamente em nome de Deus. Muitos papas eram tão poderosos, violentos e maus que faziam tremer até os reis. Na ciência, estima-se que a Igreja Universal Romana tenha atrasado a humanidade em mil anos, deviso a sua perseguição e atrocidades. Conventos, orfanatos dirigidos por freiras e padres católicos romanos, causaram danos irreparáveis às pessoas e às famílias, através da destruição das vidas que estavam sob sua responsabilidade, por maus tratos, abusos sexuais, destruição física e psicológica. Devido ao falso entendimento do celibato, padres até nos dias atuais, abusam de menores às escondidas, tranformando-se em pedófilos piores do que aqueles que dizem estar perdidos no mundo. Hoje o papa é idolatrado como o sumo sacerdote, título que pertence somente à Jesus Cristo de Nazaré. Nas suas vestes estão presentes símbolos pagãos, na verdade são vestes pagãs. Nas suas cantorias, onde todos dizem amém, dizem que Jesus Cristo é filho de Lúcifer, em Latim, para que ninguém entenda, tornando quem concorda filhos do inferno duas vezes mais do que os que cantam e afirmam tal coisa. O papa atual diz que o criacionismo e o evolucionismo podem coexistir, além de tantas outras coisas terríveis, que contrariam Elohim, a quem diz que serve. Saibam que é o Vaticano que tem o maior, ou um dos maiores e melhores telescópios do mundo, com isto dizendo talvez, que a salvação vem do espaço, como muitos falam. Tudo isto está disponível para quem quiser ver, é só pesquisar.

Mas o malfeito não parou por aí e agora vou resumir este trecho: vimos no cenário político brasileiro algo sem precedentes. No impeachment de Dilma Roussef, no senado Federal, o ministro do STF Levandowski, que presidia a sessão, aceitou destaques e duas votações distintas, uma para o impeachment e outra para a cassação dos direitos políticos de Dilma. Na verdade era um caminho, uma estratégia  para o descumprimento da Carta Magna da nação brasileira. Dilma perdeu seu mandato, mas não foi punida como estava expresso na constituição brasileira. Teve seus direitos políticos assegurados, numa manobra política mentirosa, maquiavélica e anti-constitucional.

Aconteceu a mesma coisa com a doutrina de Jesus Cristo, que não é cumprida, vivida pela igreja universal romana. O verdadeiro ensino foi corrompido para seus propósitos por meio de tradições e decisões de homens que agem como legisladores da fé e intermediários entre Deus e os demais homens. Consideram-se pais e até deuses, realizando todo tipo de heresias, manipulação e escravização do povo, como faziam os antigos imperadores romanos, supostos todo-poderosos.

Yeshua Hamashia disse-nos que há somente um mestre, Ele próprio. Há somente um Pai, o Grande "Eu Sou o que Sou", Elohim, Sempiterno, que não tem nome, que não aceita imagens para representá-lo. Há um só mediador entre Elohim e os homens, Yeshua Hamashia, Jesus Cristo de Nazaré, seu Filho Unigênito. 

É necessário que saibamos que originalmente não há cargos eclesiásticos, papas, padres, pastores, bispos, apóstolos, profissionais da fé etc. O que existe são lideranças sem cargos, mas com funções, levantadas temporariamente para a edificação da verdadeira Igreja do Senhor Jesus Cristo. Somos pedras vivas da Igreja de Cristo Jesus, que entregamos nossos desígnios à Ele, que cremos nEle e que tentamos com todas nossas forças levar uma vida verdadeiramente cristã, um estilo de vida cristão.

Como está escrito em Atos 17:24, Deus não habita em templos construídos por mãos humanas e nem é servido por elas como se de alguma coisa precisasse. Não há, muito menos, alguém para chamar de pai que não seja Elohim, o nosso único Pai, o Único Bom. Muitos querem tomar o lugar de Deus para terem o domínio, o controle da vida das pessoas. Mas Elohim nos faz verdadeiramente livres de toda a mentira religiosa que se criou para a escravização das pessoas. A verdade realmente liberta. Somos livres, pois Elohim, ciente da condição de escravidão que a grande maioria se encontra, nos liberta através de Seu Filho, Yeshua Hamashia. Somos libertos desta escravização espiritual e religiosa que se estabeleceu por obra do inimigo. Elohim, criador e dono de tudo o que existe, dono de todo o ouro, de toda a prata, de coisas tão mais valiosas, que nem sabemos que existe ou que possamos precificar, visíveis e invisíveis, não precisa do nosso dinheiro e não é servido por mãos humanas. Não existe dízimo, mas sim corações generosos, ofertantes, que ajudam o próximo diretamente e não entregam seus recursos, suas bençãos recebidas de Deus para malandros, roubadores, mentirosos e enganadores como faz o seu pai (dos malandros roubadores e enganadores), o próprio Satanás.

Somos livres. Não precisamos contatar espíritos estranhos porque temos Elohim que luta por nós, está do nosso lado. O Todo Poderoso, que tem todas as coisas sob seu controle, é o nosso socorro bem presente, nosso refúgio, nossa fortaleza.

Não precisamos entrar em transe, em estado alfa, muito menos de pedras misticas ou mágicas, participar de seitas abertas ou secretas, de cartas, de bola de cristal, de conchinhas, de adivinhos, de amuletos, de imagens de supostos santos, de correntinhas, de pulserinhas, anéis místicos, de pirâmides, de poder cósmico, poder da mente, do uso da terceira visão, leitura de mãos, de alquimia e correlatos modernos, de qualquer cerimônia religiosa ou qualquer religiosidade.

Jesus Cristo, Yeshua Hamashia, Deus que desceu do céu e tornou-se carne para tabernacular conosco, se opõe à tudo isto. Os religiosos da sua época se opuseram fortemente à ele. Consideram-no um rebelde, alguém que, segundo o entendimentos deles, não cumpria a lei de Moisés, o que não condizia com a verdade, pois Ele cumpriu toda a Lei. Na verdade esses religiosos tinham medo de perder o poder que tinham, de ver sua autoridade e seita destruídos pela verdade de Yeshua Hamashia, que conquistava multidões, com seus sinais e prodígios que só Elohim poderia fazer. Conspiraram para matá-lo e o fizeram para que tudo se cumprisse conforme a vontade de Elohim. Jesus se entregou voluntariamente no tempo certo.

Sabem por que não precisamos de todas as coisas citadas acima e muitas outras mais? porque, se crermos em Elohim e cumprirmos sua vontade, que sempre é boa, perfeita e agradável, seremos totalmente livres, ao contrário do que muitos pensam. Estaremos protegidos debaixo das asas do Pai Celestial, Todo Poderoso.

Não viemos à este mundo somente para nascer, crescer, estudar, casar, ter filhos, comprar casa, carro e comodidades, mas para sermos dEle, Elohim, fazermos a sua vontade, proclamando as boas novas de Yeshua para todo aquele de "coração" aberto, humilde, manso, mas aflito, sedento de justiça e da verdade. Libertos de todo o jugo, de toda a escravidão que só traz maldição e culpa, tornando-nos amigos e filho de Elohim.

A fé em Cristo Jesus é o que torna nossa liberdade possível; é necessário reconhecer que pecamos e nos arrependermos. É necessário o pedido de perdão à Elohim, por termos participado de todas as coisas que desagradaram à Elohim, como cultos pagãos, adoração à falsos deuses, idolatria etc., promovendo uma mudança no nosso comportamento e no nosso viver. Viver um estilo de vida cristão é necessário. Crer em Elohim nos liberta de todo o mal. É necessário que renasçamos (João 3:1-21), que haja uma metanóia, uma transformação completa da nossa mente (Romanos 12:2), para que possamos viver esta vida plena e abundante que Jesus Cristo (João 10:10), Yeshua Hamashia, o Messias do povo judeu, disse que teríamos. Uma vida completamente LIVRE de qualquer jugo. Fomos feitos para sermos abençoados, com toda a provisão, com toda a Graça de Elohim, verdadeiramente livres, filhos de Deus, herdeiros Seu e co-herdeiros em Cristo Jesus, Yeshua Hamashia.

Precisamos nos manter longe das sinagonas do diabo, disfarçadas de casas de Deus, dos profissionais da fé, que tratam as pessoas, suas supostas ovelhas, como tolas, onde reina a mentira, o engano, onde é proclamado um falso evangelho, um falso Jesus Cristo. Tais instituições utilizam suas táticas, estratégias psicológicas e emocionais para quebrar até o indivíduo mais resistente, nas suas maratonas de vários dias e cultos semanais. Isto acontece tanto na Igreja Universal Romana quanto na grande maioria das denominações evangélicas, onde por trás dos panos, há heresias, intereses financeiros, dominação e poder sobre a vida alheia, inclusive interesses sexuais etc., como tanto aprecia Satanás para destruir vidas.

Somos livres em Cristo Jesus, verdadeiramente livres de toda a manipulação, de todo o engano, de toda a religiosidade de todo o jugo, alegres e felizes por termos o Criador de todas as coisas, Senhor dos Senhores, O Rei dos reis, como nosso único Pai, Elohim Magnífico e Maravilhoso. Santo, Santo, Santo é Elohim. Grande são as obras de Suas mãos. Somos livres!!
"Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2:9)
Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O mágico Simão

Queridos leitores. 
Escrevo-lhes hoje sobre o mágico Simão, que aparece em Atos 8:9-25. As mágicas de Simão eram um misto de truques, adivinhação, ocultismo, ciência, supertições, etc. Veja o trecho bíblico.
"Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo. Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, dessa tua iniqüidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração; Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniqüidade. Respondendo, porém, Simão, disse: Orai vós por mim ao Senhor, para que nada do que dissestes venha sobre mim. Tendo eles, pois, testificado e falado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e em muitas aldeias dos samaritanos anunciaram o evangelho." (Atos 8:17-25)
Lendo-se este trecho bíblico, entende-se que Simão ofereceu dinheiro aos apóstolos para receber o Espírito Santo de Deus com fins egoístas, para aumentar o seu suposto poder e certamente cobrar por isto. Foi prontamente e severamente advertido por Pedro. "Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus." . Saliento ainda o seguinte trecho: "pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro.". Queridos amigos, é inacreditável que hodiernamente, embora a Palavra de Deus seja clarissíma, muitos ainda vendem (como se fosse possível) os dons de Deus. Este é o assunto que pretendo resumidamente desenvolver neste pequeno artigo. 

Há muitos que pensam que podem vender a palavra de Deus, os dons de Deus, a graça de Deus. Vendem até o sacrifício de Jesus naquela cruz. Vendem o seu precioso sangue. Isto me lembra de Mateus 23:15, que diz: 
"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós."
Pedro foi muito pontual quando disse:
"Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus."
É muito claro quando Pedro fala a situação, em que Simão e todos aqueles que querem comprar ou vender as coisas de Deus (seus dons, sua graça, seu Espírito Santo, etc.), se encontram: "...Pois vejo que estás em fel de amargura, e em laço de iniquidade.". Esta é a condição mínima de miserabilidade que se encontram aqueles que querem viver da compra ou venda das coisas de Deus. Certamente as consequências são muito mais sérias para aqueles que vendem as coisas do Reino de Deus, pois foi o que Pedro e João não fizeram diante da oferta de Simão. Simão não recebeu o que pediu para que pudesse vender. Certamente, da mesma forma, não possui aquele que tenta vendê-las. Veja abaixo Isaias 55:1.
"Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite."
Damos de graça o que recebemos de graça e tudo o que vem de Deus é graça, imerecida, dons gratuítos, vida eterna, salvação, reconciliação com Deus, provisão divina em todas as áreas, porque o Senhor cuida de Seus filhos, sem doutrina da prosperidade, que é uma falsa doutrina, doutrina pregada nas sinagonas de Satanás que tornam seus seguidores mais filhos do inferno do que aqueles que a proclamam. 

Assim, como acontece com a mentira do dízimo, hoje supostamente cobrado baseado na lei Levítica, que prescreveu na cruz de Cristo, ou no dízimo de Abraão ou Jacó e principalmente pelo trecho bíblico de Malaquias 3:10, que nunca foi cobrado em dinheiro, mas sim em produtos agrícolas e gado, para fins de manter os sacerdotes levíticos (que não mais existem), orfãos, viúvas e estrangeiros, nenhuma coisa de Deus pode ser adquirida através de dinheiro. Nem mesmo os sacrifícios eram aceitos por Deus, pois o coração daquele povo era muito infiél e duro. Como poderemos ainda pensar que conseguiremos nos achegar à Deus por meio do dinheiro, de interesses financeiros, ambições, cobiça e ganância? Deus, criador de todas as coisas, dono de todo ouro, de toda a prata, de tudo o que é mais valioso, de tudo o que existe, poderia se interessar pelo meu, pelo teu, pelo nosso dinheiro? Quem se interessa por isto é o homem, que invariavelmente busca desesperadamente por dinheiro e poder, enganando as pessoas, vendendo o que não possui. Duvidemos quando houver dinheiro envolvido, porque Deus não é Deus de confusão, mas de ordem e certamente nos dará o discernimento necessário.
"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." (1 Timóteo 6:10 )
Afastemo-nos destes lobos devoradores, disfarçados de ovelhas. Falsos mestres, que citam a palavra de Deus, dizendo fazer curas, dizendo expulsar demônios, mas que na verdade, tentam vender o Nosso Senhor, sua palavra, seu sacrifício, seu sangue e o Seu Espírito Santo, como queria fazer, impossivelmente, o mágico Simão. Vivem das coisas de Deus como profissão, para seus próprios interesses, com suas falsas doutrinas, com seus sofismas, suas enganações incutidas nas mentes das pessoas através de lavagens cerebrais semanais, manipulações emocionais que no fundo, além de obter recursos financeiros de suas "ovelhas", visam desviar os cristãos do caminho da verdade, dizendo-se intermediários, mediadores entre Deus e o homem, dizendo-se coberturas espirituais absolutamente necessárias para que as pessoas possam ser crentes ativos em seus "ministérios", por eles mesmo criados. Estes falsos mestres, falsos pastores com seus títulos eclesiásticos (pastores, bispos, apóstolos, profetas, mestres) ordenados por si próprios ou por alguém de mãos tão vazias quanto as suas, são destruidores da fé genuína em Cristo e destruidores de homens. Porque além de destruir espiritualmente as pessoas, as destroem materialmente roubando-lhes, através de mentiras, seus ganhos, seus sustentos, sua provisão. Uma destruição total, tornando as suas escravas. Ao contrário do que dizem aos fiéis, eles sim são os que roubam à Deus, pois a provisão quem nos dá é o próprio Deus. Se nossa provisão, que foi concedida por Deus, que é o dono verdadeiro de todas as coisas, é roubada, então eles roubam ao próprio Deus. Os conheceremos pelos seus frutos, como Jesus bem nos alertou e ainda nos disse:
"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14:6)
Fiquemos todos na Paz, que execede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.