Compartilhe

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Gerações transformadas

Queridos leitores,
hoje escrevo-lhes sobre algo que tocou muito meu coração. Assistia, novamente, o filme de Moisés e a travessia do Mar Vermelho, rumo a terra prometida. Aproveito para lembrar que muitas evidências, provas concretas, foram encontradas no mar vermelho que comprovam a veracidade dessa história bíblica. Vejam nesse link. Nesse episódio bíblico, mesmo depois de presenciar o poder de Deus, o povo permanecia descrente. Deus deu alimento, Manar e aves que deveriam ser abatidas para que tivessem carne para comer. Veio-me alguns pensamentos na minha mente, sobre essas necessidades básicas das pessoas, os quais compartilho agora, com vocês. Pergunto-lhes no que, ou em que nos transformamos? As pessoas, nas últimas gerações, transformaram-se simplesmente em seres viventes supérfluos, que não tem condições de sobreviver a mais tênue modificação no seu ambiente de vida. Somos pessoas que dependem exclusivamente do que oferecem os frigoríficos, as indústrias, enfim, os fornecedores de alimentos. Me incluo nisso. Não consigo comer um frango "conhecido". Como diz o menino do vídeo no youtube, aquele da formiguinha: dá dó. O que dizer então das redes de água, energia e até comunicações? As pessoas tornaram-se exclusivamente dependentes do fornecimento de terceiros para sobreviver. Não conseguem sequer pensar em matar uma ave para seu alimento, preferem sucumbir de fome. Chegamos a situações absurdas, em que muitas dependem, de seus banheiros pessoais para fazerem suas necessidades fisiológicas, tendo sérias dificuldades de fazer isso em lugar não costumeiro. Dessa forma podemos concluir que se algo muito errado acontecer ao mundo, como o conhecemos; se as redes caírem, se as fábricas pararem, se os abates nos frigoríficos não mais funcionarem, a maioria das pessoas sucumbiriam em pouco tempo. Só os mais fortes, com mais experiência, teriam condições de sobreviver, se pensarmos somente na força de nossos braços. Não quero criar aqui, uma visão catastrófica do fim do mundo ou algo parecido, como nos filmes de Hollywood, mas cabe-nos pensar o que somos na verdade? Seremos somente pessoas que desfrutam de todas as facilidades do mundo moderno, ficando a mercê, exclusivamente, do que oferecem as cidades? Ou será que na hora "H" reagiremos? Pior do que tudo isso, é que se o nosso "mundo" cair, seremos alvo fácil, para alguém que manipule o fornecimento de alimentos, água e energia. Não somos capazes de suprir nossas próprias necessidades. Sei que é difícil falar desse assunto, mas convém, para que possamos refletir. Há ainda, o agravante de que muitas pessoas foram criadas exclusivamente em ambientes urbanos, desconhecendo totalmente a origem de muitos alimentos básicos e importantes. Não sabem se dá em árvore, no chão, ou até se algum animal os produz. Há pessoas que não sabem sequer preparar, cozinhar, um alimento básico, tamanho o despreparo para a vida. O homem não pode mais mudar isso. Somos importantes no mundo atual, porque somos a força de trabalho. Nossos esforços geram a "energia" e recursos, para que tudo o que nos rodeia funcione. Somos pseudo-escravos. Um tipo de escravos livres, obrigados a cumprir nossos papéis, para que nos mantenhamos vivos. Dessa forma somos manipulados para tomar atitudes, consumir produtos, trabalhar muito, para ter mais confortos e facilidades. Uma vida supérflua, frívola e sem sentido. Escravos do mundo. A bíblia, a palavra de Deus, fala do apocalipse, do arrebatamento, da vinda do anti-cristo, dos sete anos de tribulações antes da vinda de Cristo. Mais do que nunca, as pessoas devem saber, que dependemos exclusivamente da misericórdia de Deus. Por nossas próprias forças, nada conseguiremos. Devemos aceitar Jesus Cristo como nosso único salvador, não somente pela salvação em si, mas pelo amor que devemos à Ele, pelo seu sacrifício para a remissão dos nossos pecados e por amor à Deus, em retribuição ao dEle, por nós. Assim diz a Palavra de Deus: João 5:21-29:
"21 Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer."
22 "E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;"
23 "Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou."
24 "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida."
25 "Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão."
26 "Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo;
27 "E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem."
28 "Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz."
29 "E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação. "
Todo o poder está em Deus, em Jesus Cristo! É necessário que tenhamos o firme posicionamento, de ter Deus nas nossas vidas. Aceitar Jesus Cristo como nosso salvador e o único caminho que leva à Deus, pois assim estaremos na Paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Glória à Deus.



segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Um amor incondicional

Queridos leitores,
falo-lhes hoje, sobre algo que nos alegra, que dá sentido a vida, que nos enobrece, que nos acalenta, que nos dá refrigério, que transforma todas as coisas em boas coisas, algo maravilhoso que vem de Deus, o AMOR. O amor maravilhoso, que excede a compreensão e a intelectualidade humana. O amor de onde derivam os mais nobres sentimentos, o amor mais puro, verdadeiro, perfeito, fiel e incondicional. O amor sem o qual não vale a pena viver. Falo do amor de DEUS, que é a eterna essência do nosso maravilhoso Criador, como dito na música "Perfeito amor", da banda gospel Oficina G3. Impossível falar de amor, sem citar este maravilhoso trecho Bíblico: Pegue, por gentileza, sua bíblia e acompanhe: (1 Corintios 13:1-13)
1 "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine."
2 "E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria."
3 "E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria."
4 "O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece."
5 "Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 "Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;"
7 "Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
8 "O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;"
9 "Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;"
10 "Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado."
11 "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino."
12 "Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido."
13 "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. "

Esse é um lindo trecho bíblico, escrito por Paulo, cheio do Espírito Santo de Deus. Esse texto é muito utilizado em casamentos, no entanto fala do amor ao próximo. Que amor é esse? Podemos entendê-lo? Amor ao próximo, amor de Deus. Quando falamos de amor de Deus, falamos, naturalmente, em Jesus Cristo. Jesus Cristo é o Retrato do amor de Deus. A personificação do amor de Deus. JESUS CRISTO É O AMOR DE DEUS para conosco. Além disso Jesus Cristo é o próprio Deus.Veja: "Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. (João 14:7). Para que se entenda isso, é necessário saber, que nosso Deus é composto de três pessoas distintas, mas um Único Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Continuando... queridos, quero lhes dizer que para que amemos verdadeiramente o próximo é necessário que amemos primeiramente o nosso Querido e Maravilhoso Deus. Esse Deus VIVO nos ama a ponto de entregar seu filho, por nós, pecadores desde nossa primeira semente. Trata-se de um amor sem medidas. Jesus Cristo amou-nos de tal maneira, que entregou-se em sacrifício para a remissão dos nossos pecados. Quem de nós daria a vida para salvar aqueles que mentem, que se comprazem com o mal do próximo, ou aqueles que o estão torturando? Quem daria a própria vida por amor? Quem intercederia, junto ao Pai, a favor daqueles que o maltratam, inimigos, por entender que essas pessoas, não sabem o que fazem, por não entenderem, não crerem, não terem fé? Devemos aceitar que não compreendemos esse grandioso amor. Como nada podemos sem nosso Deus, peçamos então, ao Senhor Deus, que nos dê essa compreensão, esse entendimento e que derrame uma chuva torrencial, de amor, sobre todas as nossas vidas, em nome de Jesus Cristo de Nazaré. Amém! Você quer? Diga Amém! Profetize o amor de Deus na sua vida! Peça ao Pai em nome de Jesus Cristo! Veja: "Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra". (João 16:24). Aceite Jesus Cristo na sua vida, como seu único Salvador. Como o único caminho que leva a Deus. Ame Jesus Cristo. Peça ao Pai, em Seu nome. Peça amor e tudo o mais que for para o bem, não para somente para o seu deleite, mas o que for bom, também para o seu próximo, o que for edificante, o que Jesus Cristo aprovaria.
Para finalizar gostaria de citar Lucas 10:27: "E, respondendo Ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.". Peça esse amor ao nosso Pai Celestial, para que você também possa amá-lo, porque Jesus Cristo te ama! Quem ama o Filho ama o Pai. Quem honra o Filho, honra o Pai e o Pai o honrará! Acredite! Ame-o e honre-o também!

Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré; essa paz que excede toda a compreensão e intelectualidade humana.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A Traição de Judas. Somos todos Judas?

Queridos leitores,
escrevo-lhes hoje sobre a detestável traição, nos seus mais diversos aspectos. A falsidade é companheira da traição. A lealdade é o oposto da traição. Cristo foi traído por Judas Iscariotes, que queria luta armada contra o império romano e achava que Jesus teria vindo para isso. Não conseguiu entender, mesmo estando com o Mestre durante todo o tempo, sendo seu discípulo, que Jesus Cristo veio para ser o redentor, para redimir todos os nossos pecados em puríssimo amor, amor de Deus. Não entendeu que o Reino de Jesus não era na terra. Não entendeu nada. Traiu Jesus com um beijo, entregando-lhe aos malfeitores. Caros, como é terrível a traição. Como é terrível ter a confiança transformada em desconfiança. Muitas vezes traímos sem perceber, pois parece-nos algo inofensivo. Traímos quando desmerecemos a confiança em nós depositada; traímos nosso país, quando sonegamos impostos e não o defendemos; traímos quando nos contam algo em segredo e não o guardamos; traímos quando pensamos ou falamos mal de alguém, até mesmo depois de falar com a vítima, ao desligar o telefone; traímos quando armamos situações que podem prejudicar outros, para que nos beneficiemos; traímos quando não retornamos o amor que recebemos em confiança; traímos quando não somos sinceros e transparentes, sendo mentirosos; traímos quando não honramos nossos pais; traímos nossas esposas(os) ou companheiras(os), quando olhamos para outras pessoas com desejo; traímos-as(os) ainda, quando paqueramos "virtualmente", na internet, nos bate-papos e redes sociais, enganando-nos que não é de verdade, que é virtual; traímos, assim, quando somos infiéis. traímos também, quando não educamos corretamente nossos filhos; traímos quando gritamos com eles, ou quando prometemos e não cumprimos; traímos quando não passamos um tempo com nossa família, preocupados somente com dinheiro; traímos quando não cumprimos nossas responsabilidades de pai, mãe, filho, ou seja nossas atribuições, dadas por Deus; traímos enfim, quando desmerecemos a confiança em nós depositadas pelos outros. É necessário que saibamos que a maior de todas as traições é aquela que abrange todas as outras. É aquela que engloba todos os erros, todos os enganos, que é a traição ao nosso Deus. Quando traímos o nosso próximo traímos primeiramente ao nosso Deus, traímos Jesus Cristo a exemplo de Judas Iscariotes. Nem mais, nem menos, traímos Jesus Cristo, O Verbo, o Príncipe da Paz, Yeshua Hamashia, da maneira mais irônica, mais infame, mais vil, com um beijo, fazendo-se de amigo e de seu seguidor. Vejam esse trecho biblico: "Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade." (Mateus 23:28); Dessa forma decepcionamos às pessoas e ao nosso Deus, tornando-nos ingratos, desmerecedores de confiança. Sem prejuízo ao contexto quero comentar isso: Muitas pessoas justificam sua desconfiança no próximo, equivocamentente, citando um trecho bíblico que diz: "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!" (Jeremias 17:5). Deve-se entender, nesse versículo, que devemos depositar nossa confiança primeiramente no Senhor nosso Deus e não nas nossas próprias forças, na força dos nossos braços. Devemos ter dependência do Senhor, não que não devamos confiar no próximo. Vejam nesse link, o artigo que fala sobre isso. Caso a mensagem fosse essa, de que não devemos confiar no próximo, como explicaríamos o fato de que Jesus sendo 100% homem e 100% Deus, confiou nos homens. Houve traição, houve negação, mas no final Ele realizou os seus propósitos. Jesus Cristo não só confiou nos homens, mas os amou e entregou-se totalmente. Não somos Jesus Cristo! Nossa semente é pecadora, mas quem O aceitou, O tem dentro de si, no seu coração, segue a Sua postura e o Seu caráter; confia, ama e entrega-se à Deus a ao seu próximo. Para que tenhamos certeza disso: "E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento." (Mateus 22:37). "Este é o primeiro e grande mandamento." (Mateus 22:38). "E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." (Mateus 22:39). "Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mateus 22:40). Para finalizar, algumas considerações: "Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;"(1 Timóteo 4:2). O costume da mentira, da falsidade e da traição, cauteriza nossa consciência, tornando-nos injustos e desmerecedores das coisas de Deus. Não podemos trair nosso Deus, assim não trairemos o nosso próximo. Devemos saber que recuperar a confiança perdida, muitas vezes, é impossível. A maior vitima da traição é aquele que trai, pois todo o peso da culpa, da injustiça e da desconfiança cairá sobre ele. Se formos confiáveis à Deus, seremos confiáveis a nós mesmos e aos outros. Então, será que somos confiáveis à Deus? Será, que sequer acreditamos, verdadeiramente, nEle? Ou será que acreditamos só de ouvir falar? Isso já não seria uma traição contra Quem nos criou? Pensemos nisso!

Fiquemos todos na Paz, calcada na fé no Nosso Senhor Jesus Cristo, que excede todo o entendimento e a toda a intelectualidade humana.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Viver sem Deus

Queridos leitores,
hoje escrevo à vocês sobre algumas coisas, que nos acontecem frequentemente. O esquecimento de que temos um Deus Maravilhoso, que nos ama incondicionalmente, o apego às coisas materiais e a perda da fé. Antes gostaria de fazer algumas considerações. Sabemos que Deus criou todas as coisas e que dEle tudo provêm. Você não acredita? Acredite, pois até mesmo os mais céticos cientistas estão admitindo que da maneira que todas as coisas existem, uma inteligência, algo ou alguém maior, deve estar por trás de tudo. Não é Algo, nem alguém, senão o nosso maravilhoso Deus, de Abraão, Isaque e Jacó. Ele é o Eu Sou, nosso Deus que tudo criou. Então sabemos que tudo Ele criou e que dEle tudo provêm. Temos também, que ter consciência das dificuldades que temos para entender o que Jesus Cristo falava, do nulo valor das coisas materiais. Almejamos aqui na terra, coisas da terra. Coisas que são transformadas do que existe no planeta, para que tenhamos conforto. Nossas casas, nossas camas, nossos banheiros, nossas TVs, nossos computadores, nossos carros, nossas contas bancárias recheadas ou justas, etc. Nossos desejos baseiam-se somente no que nós e os outros podemos ver, no que podemos tocar, coisas materiais. Tire tudo isso e o que restará? Se você pensar bem, verá que essas coisas materiais de nada valem, como sempre disse Jesus Cristo. Veja: "Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração. " (Lucas 12:34). Bem aventurado aquele que almeja as coisas de Deus, o Reino de Deus, que pedimos quando oramos o Pai Nosso. Bem, dessa forma digo-lhes, que aquele que não aceitou Jesus Cristo na sua vida, vive sem rumo, sem direção, sem objetivos válidos, vive nas sombras, sujeito a autoridade do inimigo. Por outro lado, aquele que aceitou Jesus Cristo na sua vida, tem Deus no seu coração, quando se afasta, se aparta da fé, a situação descrita anteriormente instala-se na sua vida. É terrível. O vazio que sempre insiste em tomar o nosso coração, volta devagarinho, mas com força. Sem Deus, nossa vida fica totalmente sem sentido. Ficamos entristecidos. Impossibilitados de ter o amor dentro de nós e dá-lo aos outros, porque o amor vem de Deus. Se não temos amor em nosso coração, não podemos dá-lo. Nossos relacionamentos desabam. Ficamos desorientados, sem rumo. Não achamos graça em mais nada. Aquelas coisas que nos faziam felizes e sentir a presença de Deus, nada mais nos dizem. A pessoa amada já não tem o mesmo brilho. Não mais vemos a presença de Deus, nem naquela música, que falava dEle, e que tanto nos agradava, por louvá-lo. Por incrível que pareça, meus queridos, não precisa muito tempo para isso acontecer. Para afastar-se de Deus, bastam alguns dias de valorização de coisas materiais e esquecimento das coisas espirituais. A falta de comunhão com nosso Deus, a falta daquela conversa íntima com nosso Pai Celestial, pelas orações, rapidamente tem um efeito devastador nas nossas vidas. É necessário que mantenhamos nossas conversas com Deus, a comunhão com Ele todos os dias, antes de fazermos qualquer coisa. Uma comunhão com Deus, um devocional antes do dia começar nos trará paz, refrigério e alegria, mesmo nas adversidades, pois Deus estará conosco, nos trazendo livramentos e bençãos. Se você se afastou de Deus, venha à Ele, fale com Jesus Cristo o seu maior amigo, o mais fiel de todos os amigos. Aquele com Quem você pode contar e confiar em todos os momentos e que nunca te decepcionará. Ele nos ama incondicionalmente. As adversidades virão, pois nós mesmos as criamos, mas clamemos ao Senhor, nosso Deus, que por Graça ou misericórdia nos ouvirá, em nome de Jesus Cristo. Não podemos deixar de ter nosso maravilhoso Deus nas nossas vidas. Peçamos ao Senhor que nos aproxime dEle próprio. Não podemos fazer isso sozinhos, pois o inimigo espreita e a carne fraqueja. Só podemos no Senhor nosso Deus, nosso Pai Celestial. Se você não aceitou ainda Jesus Cristo como seu salvador, como o único caminho que leva a Deus, aceite-o! "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. " (João 14:6). A Bíblia é a palavra de Deus. As pessoas que a escreveram foram inspiradas pelo Espírito Santo de Deus. Leia a bíblia! Leia o que Jesus Cristo diz. Conheça os milagres que Ele fez, e que ainda faz nos dias de hoje! Livre-se dos seus pecados e mude de vida! Tenha uma vida plena! Deus levantará pessoas que te auxiliarão nessa nova jornada de fé. Depende somente de você! Abra seu coração para Jesus Cristo de Nazaré! Ele fará maravilhas na sua vida! Ele te preparará para o Reino do Pai. "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. " (João 14:2). Deus não mente, Jesus Cristo não mente, por que duvidar?

Fiquemos todos na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Os jurássicos sistemas operacionais dos microcomputadores

Queridos leitores,

Escrevo hoje à vocês, sobre software, hardware, monopólios de empresas nessa área e o lucro desmedido em detrimento de todas as coisas. Tudo relacionado ao software básico dos microcomputadores, que é o sistema operacional.

Para informação: Sistema operacional é um conjunto de programas básicos e principais, que possibilitam o funcionamento dos nossos microcomputadores. Também existem em equipamentos semelhantes, portáteis, atualmente. Exemplos disso são o Windows da Microsoft, o Linux (software de código aberto e livre distribuição) de Linus Torvalds, nas suas diversas distribuições, Android do Google entre outros. Esses sistemas operacionais trabalham como base para outros programas aplicativos. São programas que precisam de atualizações períodicas para que bem funcionem. Atualizações que fecham brechas de segurança, que melhoram o desempenho de partes do programa ou do todo. Desde que apareceram, esses sistemas operacionais obrigam as pessoas a adquirirem novas cópias de tempos em tempos, muitas vezes devido a própria impossibilidade de atualizações. Além disso o usuário tem que realizar ativações de software para garantir sua originalidade e por aí vai. É bom lembrar ainda, que para que o microcomputador funcione adequadamente, é necessário instalar ainda, uma penca de programas, para que arquivos de várias extensões "rodem". A perda de tempo, inconvenientes e constrangimentos são grandes. Na verdade o usuário fica escravo do software, por esses motivos. Não somos ingênuos a ponto de não sabermos que nossos microcomputadores não precisam mais depender de sistema operacional, como o Windows, para a sua inicialização. Pagamos um preço bem salgado por esses sistemas operacionais. Temos, atualmente, tecnologia suficiente para que existam máquinas com um sistemas operacionais residentes nas suas memórias, sem mais espera de inicialização, sem mais perda de tempo, prontas para o trabalho, atualizáveis por firmware. As memórias ROM atualmente são rápidas para esse fim, mas se não forem o suficiente, basta um pequeno esforço tecnológico para que isso aconteça. Interesses particulares e negociatas entre os envolvidos, empresas de software e hardware, cerceiam a liberdade e travam o progresso das tecnologias, limitando o seu uso. A possibilidade mais atual, é o funcionamento básico do microcomputador, como um terminal rodando todos os programas on-line, pela internet. O Google já disponibiliza vários aplicativos on- line, sem custo, como alternativa ao Office da Microsoft. Entendo como um ensaio do Google, de substituir os atuais sistemas operacionais dos microcomputadores por sistemas totalmente on-line. Provavelmente o Google cederia gratuitamente o software básico para os “terminais” dos clientes para ter acesso aos demais softwares. Uma coisa é certa: Perdemos muito tempo de nossas vidas, esperando as máquinas inicializarem e reinicializarem pela instalação de qualquer coisa, todos os dias. Houve tempo em que os microcomputadores levavam vários minutos para inicializarem, mas esse tempo tem diminuído pelas novas tecnologias dos softwares e dos equipamentos. Caso o seu computador esteja muito “carregado” de programas a inicialização pode demorar um tempo considerável, mesmo sendo uma máquina rápida. Não vou fazer cálculos aqui, mas caso queira, experimente fazê-los. Multiplique o tempo que você fica esperando a máquina “entrar”, considere os tempos de atualizações, ativações, reparos automáticos do sistema, verificação de vírus e tempo destinado a manutenção pela assistência técnica, e outras perdas de tempo, multiplique pelos dias, pelos meses e veja qual o resultado por ano. É muito tempo perdido. Sabemos que quanto mais o sistema operacional exige de recursos das máquinas, mais os fabricantes vão aumentando o poder de processamento do hardware. O bom disso é que sempre temos máquinas mais potentes, em detrimento dos recursos do planeta e a criação de um vasto parque de máquinas defasado. O interesse de alguns vale tudo isso? Somos, novamente, escravos, meros pagadores, nas mãos de interesses particulares que só visam o enriquecimento às custas e em detrimento dos outros e do planeta. Aproveito para deixar no ar algumas perguntas: Quais os nossos direitos quando compramos um software, sistema operacional? Quem paga o prejuízo quando o software adquirido não corresponde as expectativas, como foi no caso do Windows ME e do Vista? Quais os deveres da Softhouse, como a Microsoft, quanto a isso e quanto ao desenvolvimento periódico de novas versões, em tempos previamente definidos? É necessário comentar, que empresas como a Microsoft, atualmente, lançam suas novas versões do sistema operacional quando bem entendem. Não temos o direito de ter um software melhor quando é necessário e sim pela vontade da empresa fornecedora. Pergunto ainda: O preço cobrado é justo para quem terá que atualizar o sistema operacional, a todo o momento? E quanto a trocar de versão logo que outra for lançada, comprando outra cópia original do produto, sempre que a cópia anterior não permitir mais atualizações? Há alguém que controla isso? É lícito o mundo inteiro depender de um sistema operacional como o Windows da Microsoft? Temos que aceitar tudo isso de boca fechada? Até quando pagaremos preços de licenças inteiras por licenças com data de validade camufladas? Quando a Microsoft, por exemplo, fará a sua obrigação de dar uma data específica para as novas versões do seu sistema operacional. Há desrespeito e abuso! Queremos microcomputadores mais modernos com sistemas operacionais gratuitos, ou com preços justos integrados ao equipamento, residentes na memória das máquinas. Temos que acabar com a demora na inicialização das máquinas, pois isso, pela tecnologia existente, é inaceitável. Por outro lado, o monopólio da Microsoft é prejudicial, pois fez o mundo inteiro "escravo" do seu sistema operacional. Temos opções? Sabemos que quando surge um competidor, a Microsoft abocanha, na calada da noite. Alguém pode dizer: as pessoas podem optar pelo Linux. Pergunto: e os softwares (aplicativos) necessários para as necessidades das pessoas e empresas? O que dizer da compatibilidade (claro que existe alguma) e do costume das pessoas, que cresceram utilizando o Windows? Utilizei durante muito tempo o Linux, como servidor e também no meu desktop. Nada tenho a reclamar, a não ser, a falta de programas aplicativos para minhas necessidades, que me obrigaram a voltar para o Windows, naquela época. Uso, hoje, o Linux Mint v11. Digo que se a comunidade do software livre/aberto fosse mais organizada, algo poderia ser planejado para melhorar a vida de todos. Se cada um que utilizasse o Windows, por exemplo, doasse um centésimo do que se paga por esse software, para o melhoramento dos sistemas operacionais livres/abertos, como o LINUX ou outro, e o desenvolvimento de novos e melhores aplicativos diversos, teríamos um progresso enorme e conseguiríamos livrar-nos desses monopólios. É questão de organização, conscientização, boa vontade e determinação. Pensem nisso!