Compartilhe

sábado, 14 de abril de 2018

Coração enganoso

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jeremias 17:9)

Muitas pessoas, principalmente cristãs, consideram-se melhores do que as demais, mais justos, mais salvos, especiais, prósperos, felizes, favoritos de Deus, merecedores das melhores coisas que este mundo pode oferecer. Dizem ser de Deus, menosprezando seus semelhantes, colocando-se em patamares superiores. Esquecem-se de que Deus habita no próximo, de que está nos necessitados, nos "pequenos", dos que precisam de provisão e de justiça. 
"Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles. Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;" (Mateus 20:25-27)
Basta olharmos os personagens bíblicos e os ensinamentos de Jesus Cristo de Nazaré para provarmos tudo isto. No entanto as pessoas continuam com o seu pensamento no favoritismo, como se Deus fizesse acepção de pessoas. Aliás este é o grande desafio, num paradoxo difícil de compreender num primeiro momento, ser especial sem ser especial. Porque Deus sempre escolheu os menores, os desprezados e humilhou os altivos? Porque Deus se agrada dos simples, dos humildes, daqueles que mesmo não sendo perfeitos, são puros de coração. Precisamos entender que todos somos iguais perante Deus, mas que cada um é especial, pois é feitura das mãos do Senhor para ser luz. Somos luzes à evoluir, provados, para nos juntarmos à Luz do Senhor. 

Que o mal que está em nós seja contido, controlado e que o bem em nós domine e prevaleça para que o Senhor esteja em nós. Que nosso ego seja pequeno, contido e que não dite o nosso viver. Que ouçamos a voz do Senhor e não a voz do nosso ego interesseiro e perverso. Nosso coração, é o nosso "DIM", que são nossos Desejos, Intenções e Motivações. Do nosso "DIM" (Desejo/Motivação/Intenção) só o Senhor conhece, pois o perscruta profundamente. Por só Deus conhecer, verdadeiramente, o nosso "DIM", que não seja motivo para disfarçá-lo às pessoas, mas que esteja, realmente, voltado para o bem, que seja puro.


Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus cristo de Nazaré.



quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Jesus Cristo, o homem mais sábio e "descolado" da humanidade

Queridos leitores.

Este não é um artido descolado, mas tenta mostrar que Jesus Cristo, O Único Deus existente, é muito "descolado" e sempre será atual em qualquer tempo, pois Ele é o Grande Eu Sou O Que Sou, o Grande Criador Supremo e Especialista em todas as coisas.

Deus, O Grande Criador de todas as coisas, veio a este mundo físico, material, manifestado em carne para dizer-nos que a vida que Ele nos deu é grande e bela demais para ser escondida e obscurecida por uma religião. Opa... espera aí! Religião não é religar com Deus, buscar e encontrar à Deus? Pois é! Mas porque será que Jesus Cristo se opôs firmemente a religião, ao sistema religioso e aos religiosos da época, se religião é religar com Deus?? Porque o próprio Deus manifestado em carne se opôs a tudo isto?? Vamos pensar direito e entender de onde vem a escravidão da humanidade.

Jesus veio para nos ensinar coisas simples, que só entenderíamos mais tarde, pois não estávamos preparados para receber as boas novas e o que viria a seguir. Ele veio nos dizer para que amássemos à Deus sobre todas as coisas, ou seja que reconhecêssemos e déssemos crédito à Deus, como criador de todas as coisas, o verdadeiro Dono Sempiterno de tudo o que existe. Disse também que deveríamos amar ao nosso próximo como a nós mesmos, ou seja amássemos e fizéssemos aos outros o que nós gostaríamos que nos fosse feito. Disse para fôssemos bons, generosos, altruistas, que ajudassemos as pessoas, que fossemos honestos, transparentes, de boa índole, justos, misericordiosos, pessoa que queiram o bem para si a para os outros, que pensássemos somente o bem e que não se deixassem escravizar por homens que só pensam em dinheiro e poder, na sua infinita ganância de enriquecer a qualquer custo, dominando os outros homens, verdadeiros lobos devoradores. Disse Jesus para que fôssemos símplices como a pomba, mas astutos como a serpente e que fôssemos humildes como crianças, pois só assim entrariamos/veríamos o reino dos céus. Disse ainda para honrarmos nossos pais para que tivessemos longevidade, pelo seu exemplo, que fôssemos mansos e humildes de coração. Jesus ainda disse que se seguíssemos seus preceitos, sua palavra que, nada tem de sagrada, mas que são palavras da sabedoria divina, pois Ele é a própria sabedoria, teríamos vida plena e abundante, assim prometeu.

Queridos, Deus nos fez livres para que vivêssemos uma vida plena e abundante. Infelizmente os homens se adonaram das riquezas do mundo, que deveria ser de todos, pois há fartura de tudo para todos viverem dignamente. No entanto há todo o tipo de enganação, de mentira, de domínio sobre os recursos desta terra e sobre a vida das pessoas, tornando-as pseudo-escravas, gente que pensa que é livre, mas vive debaixo de escravidão, sob dogmas, doutrinas, poder econômico, governos erráticos, donos das riquezas e etc.

Quando se conhece o verdadeiro cristianismo, o de Jesus Cristo, crendo nEle, entregando-se à Ele, ao Deus Vivo, é que se consegue sair do sistema deste mundo tenebroso e começa-se a viver a verdadeira liberdade que Ele prometeu para aqueles que seguissem seus mandamentos. Disse Ele que só O conhece aquele que cumpre os seus mandamentos.

Jesus Cristo, Deus é muito "descolado" e atualíssimo, pena que as pessoas não saibam disto e achem que tudo é sagrado, que há poucos que podem "lidar" adequadamente com o Senhor, com nosso verdadeiro Pai (Ele é o nosso Pai Fiél), criando uma distância inexistente entre Ele e nós. Ele escolheu morar em nós, que cremos nEle, e não em templos de pedra, como muitos querem nos fazer crer, para manter seu domínio sobre nossas vidas. Pense bem nisto e veja que coisa grandiosa! Deus é bom o tempo todo, aliás, é Maravilhoso e indescritível.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, nosso Deus. (João 14:9)

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Do físico para o metafísico

Numa rápida meditação vislumbrei uma cena interessante. Antes, lembrei-me da arrogância dos homens com seus semelhantes, seu orgulho, sua falsidade. Depois disto a cena: um banquete com uma mesa farta repleta de finas iguarias, com pessoas bem vestidas, com seus convidados, conversando, regalando-se com suas delícias nas suas luxuosas e confortáveis casas ou mansões. Coisas tão vãs e tolas são o orgulho e a arrogância dos homens.  Então veio a revelação: pó comendo pó. Pensei sobre isto e vi que tal coisa é verdadeira, pois bem sabemos que fomos criados do barro, pelo Criador Supremo, que somos pó e para o pó voltaremos. Vi também que todas as coisas procedem da terra, inclusive, obviamente, nossos alimentos. Tudo oriundo da terra, transformado nas coisas que vemos e comemos. Pó comendo pó. Mansão? Banquete? Orgulho? Arrogância? Bens materiais? Ilusão? Certamente uma matrix, uma realidade holográfica! Isto é uma verdade incontestável. Nossa realidade é, basicamente, pó. Somos pó, vivendo no pó e comendo pó, num espaço tempo criado por Deus somente para nós. Por isto o Senhor nos adverte, que as coisas materiais nada significam, mas as pessoas destinam todo o tempo de suas vidas para conseguí-las, vivem e morrem por causa de pó. Ignoram que o Senhor disse para não acumular tesouros nesta terra (Mateus 6:19). Veja que ainda ficamos nos "achando", mesmo sendo pó e comendo pó. Constatamos assim, que quão miserável é nossa existência sem Deus, sem esperança nenhuma, com vistas somente nesta matrix, neste holograma, nestas coisas que nada mais são do que simples pó. Por outro lado, a ciência nos diz que nossa menor parte é o átomo. A estrutura do átomo é de um núcleo com prótons e nêutrons, com elétrons girando ao redor, nada mais que algo oco. Somente energia. Como acima falamos de alimento, que nada mais é do que pó, aguçou-me uma curiosidade: será que haveria uma maneira de nos alimentarmos de energia ao invés de alimentos sólidos (pó), tornando obsoleto nosso sistema digestivo, em um futuro? Uma coisa é certa, nossos alimentos são energia, que Deus na sua maravilhosa sabedoria já providenciou e nos dotou de mecanismos intrincados para este processamento, para esta transformação. Que sabedoria linda. Será que um dia inventarão um substituto para os nossos alimentos atuais, que nos permitirá sentir o sabor sem ter que comê-los? Será possível que um dia nos alimentaremos de energia gerada por outros meios que não pelos alimentos tradicionais (pó) suprindo nossa fome? Esta preocupação é genuína, visto o que nos tem sido oferecido como alimento, coisas que deveriam alimentar, mas que nos matam aos poucos, num paradoxo inacreditável. É pontual lembrar  neste momento do corpo glorificado de Jesus Cristo, o corpo que também teremos. Trata-se de um corpo que pode comer, como vimos em algumas passagens bíblicas, mas que não precisa comer necessariamente. Este é o futuro do corpo e da alimentação do homem dentro dos planos de Deus.  Um corpo glorificado alimentando-se de energia, do que mal entende-se hoje como espírito, assim como entenderam a princípio os apóstolos de Jesus Cristo, que não creram e pensaram ser um fantasma ou algo assim. Passaremos do físico para o metafísico. Será que só experimentarão isto os que estiverem escritos no livro da vida, que tiverem a vida eterna, que crerem no Deus Todo Poderoso, o Único Deus existente e que se revelou ao povo de Israel para ser conhecido por todo o mundo?  Certamente sim, pois assim nos dizem as escrituras. Creio que desta forma será. Pensemos nestas coisas, mas principalmente no que é realmente importante: as coisas materiais, o pó? Ou será esta suposta realidade, este holograma? Ou talvez devamos fazer o que dizem as escrituras e valorizar e nos alimentar, do verdadeiro alimento que são as coisas espirituais de Deus, seguindo seus ensinamentos? Pensemos também na grande sabedoria e poder de Deus, que tem planos que jamais serão frustrados, que tudo criou e, que no final, tem o controle de todas as coisas, pois tudo fez para Si.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Quem será nosso próximo, com quem podemos contar?

Queridos leitores.

Falava com minha esposa sobre as pessoas com quem podemos contar nas situações necessárias. Muitas vezes somos discriminados em coisas que nem imaginamos pelos nossos próprios familiares, tratados de maneira não transparente e falsa, na tolerância e adaptação às circunstâncias. Será que poderemos contar com a nossa família de sangue nestas situações críticas? Poderemos contar com quem não tem o mesmo sangue, mas são anexados à nossa família por fatores diversos? Poderemos contar com nosso próximo?

É estranho quando vemos pessoas que já formaram casais, no entanto agora separados, mesmo que amigavelmente, não são mais amigos a ponto de não poderem se ver. Vê-se então que se está tudo bem entre o casal, um pode contar com o outro em todas as situações, mas basta uma briga ou estarem separados para que não tenham mais nenhuma preocupação ou cuidado com o outro. Parece que tudo o que sentiam sumiu e tornam-se tão ou mais estranhos do que desconhecidos. Como pode acontecer isto? pelos motivos que levaram a briga, a separação? Será que haviam sentimentos reais envolvidos ou simplemente foram levados pela mesmice de criar relacionamento com alguém como muitos fazem, sem pensar, sem sentir, ou no engano de sentir algo que, na verdade, não existe?

Vi pessoas "estranhas" que se importaram muito mais com alguém do que os próprios parentes desta pessoa. Isto seria a ajuda ao próximo como o bom samaritano da bíblia (Lucas 10:30-37). Muito impressionante esta parábola de Jesus. Nesta hora lembrei-me de uma fala de Jesus Cristo, Yahushuah Hamashiah:
"E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe. E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te. Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos; Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe." (Mateus 12:46-50)
Parece uma fala muito dura. No entanto foi simplesmente Deus que a disse, pois Jesus Cristo deixou bem claro que quem O via, via ao Pai, que o enviou (João 12:45).

Pergunto então: quem é minha família? quem são meus parentes? Quem se importa comigo e com a minha vida, na real?

Outra fala aparentemente mais dura ainda é:
"Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; E assim os inimigos do homem serão os seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim." (Mateus 10:34-37)
Difícil não é? Como fica isto no contexto deste artigo? 

Numa outra análise, é muito difícil ao homem amar mais a Deus do que a um filho. Num primeiro momento pensamos que geramos a vida do filho e que ele está próximo de nós, amado, cuidado e que Deus... ahh, está distante. Tudo engano. É por causa de Deus que geramos nossos filhos, que na verdade não são nossos, mas dEle. A outra coisa é que Deus não está distante, somos templos de carne onde Ele habita grandemente. Há proximidade maior? Então não deveria ser difícil amar mais à Deus do que a família. O que acontece então? 

Estamos acostumados a ouvir amenidades, bençãos, prosperidade, mas o duro servir é deixado de lado e ninguém quer ouvir, afinal estão todos preocupados em "tocar em frente" as suas prósperas vidas. Amar as coisas deste mundo é muito mais fácil, é mais palpável. O abastado sistema religioso vigente que o diga. Onde está o nosso próximo que devemos ajudar e aqueles em quem podemos contar e confiar?

Sabemos que não devemos esperar reconhecimento de quem quer que seja, por coisa alguma que fazemos, pois certamente seremos frustrados. Fora seus pais, no início Jesus não foi reconhecido, aceito pela sua família e pelo povo da sua cidade natal, tanto que lá praticamente não houveram milagres. Na verdade foi rejeitado:
"E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes, e na sua casa. E não podia fazer ali nenhuma obra maravilhosa; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando." (Marcos 6:4-6).
Obviamente, que embora luta-se para que não se tenha expectativas no próximo, como reconhecimento, agradecimento, etc. as pessoas se entristeçem quando veem que não fazem efetivamente parte da vida dos seus mais chegados e são, de certa forma, discriminados. Quem discrimina não entende que Deus está no controle de todas as coisas. Os discriminados são considerados, por estas pessoas de fraco entendimento espiritual, como meros acessórios, pessoas que as circunstâncias "fizeram acontecer" e que hão de ser suportadas, toleradas.

Será que nas circustâncias difíceis poderemos contar com aqueles que dizem que nos amam, que não medirão esforços e nem recursos para nos ajudar, que verdadeiramente se importarão com nossas vidas em cada detalhe, ou será que no dia-a-dia suas ações são farisaicas, hipócritas e falsas? Será que ao querer saber com quem podemos contar também estaremos sendo egoístas e favoritistas pensando somente em sermos servidos nas nossas dificuldades? Há de se cuidar destas coisas.

Meus queridos amigos, a falsidade no tratamento com as pessoas e a hipocrisia são coisas terríveis. Lidar com uma pessoa falsa e hipócrita não é fácil, mesmo porque muitas vezes nem percebemos que assim são, ocasionando sérios problemas. Muitas destas pessoas se sentem tão especiais a ponto de que tudo o que é bom deve ser deles. O melhor é para eles, os outros devem ficar com o pior ou sem nada. No bifê servir os últimos dez hot rolls, deixando o próximo sem nada, a melhor vaga, o melhor atendimento, o melhor produto, a melhor fala, a prosperidade, e com Deus, a melhor benção, ou seja puro favoritismo, previlegismo. Esquecem-se de que Deus não faz acepção de pessoas e que criou tudo para que todos pudessem ter seu sustento e uma vida digna. Viver humildemente é preciso. Criou-nos para que não discriminássemos ninguém. Que somos todos iguais para Deus. Estes procedimentos errados tratam-se de favoritismo, previlegismo, egoísmo e arrogância.

Ser cristão nunca foi fácil. Nos apartar deste mundo não é fácil. Manter-nos na fé não é fácil. Em resumo: manter um estilo verdadeiro de vida cristã, não é nada fácil, porque sofremos manipulação de diversas origens desde o início dos tempos. Precisamos perseverar no estilo de vida cristão para não perder a coroa, para não perder o galardão. A exemplo de Jesus Cristo, sua família de sangue esteve com Ele até o fim, e finalmente seus irmãos pregaram o evangelho. Acreditemos sempre que nossa família de sangue estará sempre do nosso lado, junto com nossos amigos fíeis. Quem mais vier a lutar conosco, é lucro. Está ficando cada vez mais difícil achar pessoas dispostas a ajudar ao próximo e também pessoas com quem se pode contar. Nesta hora lembro também que todos abandonaram Jesus Cristo naquela cruz, exceto sua família e alguns amigos fiéis, entre eles João, embora todo o perigo que correram. Perseveremos na fé e na ajuda ao próximo, pois é no próximo que Deus está.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, YAHushuah Hamashiah.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O que é a verdade? Você é da verdade?

Caros leitores.

Temos visto muitos problemas ocorrerem com casais nos aconselhamentos que fazemos, a maioria deles devido as questões que envolvem a verdade. Devido a falta da verdade, os relacionamentos vão se deteriorando e famílias são destruídas. Lugares onde reinou a mentira e a obscuridade, coisas reconhecidamente, do mal.

"Perguntou-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Respondeu Jesus: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. Perguntou-lhe Pilatos: Que é a verdade? E dito isto, de novo saiu a ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum." (João 18: 37-38)

O que é a verdade? embora a pergunta não devesse ser esta, pois Jesus disse: "...a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz". Talvez a pergunta adequada devesse ser esta: que testemunho é este, quem são os da verdade e o que é a verdade? Pilatos certamente não saberia dizer quem eram os da verdade. Será que realmente sabemos o que é a verdade? Somos da verdade? Ouvimos a voz do Senhor? Pergunto ainda: estará a verdade ligada, de certa forma, a hipocrisia, já que é oposta a mentira?

Será a verdade:
- a sinceridade do coração, das nossas reais intenções?
- reconhecer realmente o que se pensou e o que se disse numa ocasião, sem querer justificar-se?
- praticar a realidade das coisas, sem disfarces, sem máscaras?
- relativa? Se é relativa é real e autêntica?
- Jesus Cristo de Nazaré?
- a palavra de Deus?
- ou nada disto importa, desde que vivamos felizes, pois o bem e o mal, além de Deus, também não existe? É tudo relativo?

Mas se Deus existe, serão as coisas abaixo, boas para nós e agradáveis à Ele e dentro da Sua vontade? (somente alguns exemplos)

- viver num ambiente de falta de transparência e verdade?
- esconder fatos dentro do casamento (fazer coisas sem o outro saber)?
- falar mal do cônjuge ou de pessoas que não estão presentes?
- falar coisas reais, verdadeiras, misturadas com mentiras para destacar/justificar algo?
- as mentiras para um fim proveitoso, edificante, os fins justificando os meios?
- pregar o que não se vive, como faziam os fariseus e faz o sistema religioso atual?
- os atos da dona de casa, relapsa que deixa a casa suja o tempo todo, mas que quando vai chegar uma visita faz uma correria para limpá-la, para mostrar capricho, numa hipocrisia doméstica?
- homens que escondem fatos importantes para o casamento, mas que só vem a tona depois de consagrado o matrimônio, trazendo sofrimento e decepção para sua esposa e para todos envolvidos?
- mulheres que gostam de comer, mas quando estão solteiras e querem casar, fazem uma radical dieta e uma agenda dura de exercícios físicos, ficando assim numa super forma até casarem, mas depois comem sem medida e não se importando mais com a sua forma, muito menos com a enganação e a mentira que vitimaram seu esposo, a quem dizem amar, tendo preguiça até para caminhar quando o marido estaciona o carro um pouco mais longe da entrada de onde querem entrar?
- o cônjuge declarar ao outro que, o salário é seu e que faz o que bem entender com ele e que tem seus direitos, além de dizer, que dá tudo o que seu (como se fosse só seu, esquecendo que tudo é dos dois e antes disto de Deus)? 
- fazer do dinheiro o seu seguro, sua alegria, seu prazer, seu tesouro, seu deus?
- administrar com malversação seus recursos financeiros?
- aumentar os fatos para melhorar um testemunho qualquer?
- colocar fatos, escolhas exclusivamente nossas, nossas vontades, como obras de Deus, para criar um testemunho ou justificativa para convencer alguém?

As coisas aqui elencadas, são somente poucos exemplos do que acontece na vida dos casais e expressam coisas ruins, que trazem danos aos relacionamentos. Olhe que nem falamos de adultério, vícios e uso inadequado do tempo nas famílias (trabalho, lazer, tempo destinado aos filhos, esposa(o), etc.).

E, por fim, será a verdade crer que Deus não existe, que Jesus Cristo não existiu, que os apóstolos e personagens bíblicos eram avatares de um mente humana prodigiosa que tudo inventou e que todos os que crêem em Deus são loucos, fanáticos, etc.?

Das tão poucas perguntas acima, para tantas dúvidas e indagações que pululam nas nossas mentes, faço outra pergunta: afinal o que é a verdade e quem são os da verdade?

Conclusões: 
Executamos magistralmente a ocultação da verdade, como numa conspiração particular, apelando até para o relativismo para justificar nossas mentiras. No entanto, o que mais dói e nos destrói é que enganamos a nós mesmos, afastando as bençãos de Deus, que não compactua com mentiras, enganações, hipocrisia, manipulações e falsidades. O botão de autodestruição já foi pressionado. A contagem regressiva está em andamento. Precisamos abortar a operação, mas não se trata do pressionar de uma simples tecla. É preciso muito mais.

Como estava Faraó para libertar o povo de Deus no Egito, assim estamos nós, com nossos sentidos obstruídos pelo pecado que já deveria estar destruído pela obra de Jesus Cristo de Nazaré. Como a Igreja de Laodicéia, que muito se achava, também estamos nós, na verdade, miseráveis, pobres, cegos e nús. Veja que o anjo que fala estas coisas para a Igreja de Laodicéia é o Amém, a testemunha fiél e verdadeira, tudo a ver. Exposto está, que somos extremamente necessitados de vestes novas e do ouro refinado do Senhor, para que conheçamos a verdade, "verdadeiramente".

No entanto, não importa o que fazemos, ou deixamos de fazer. Temos que procurar viver uma vida reta, justa e real/genuína. Há de se saber que tudo neste mundo é vaidade, tudo passa. Nossa vida é passageira, tanto estamos aqui como, num instante, já não mais estamos, aguardando-nos somente o esquecimento. Tudo são frivolidades. Vivemos uma vida angustiada, à toa, quando podíamos viver uma vida plena em Jesus Cristo de Nazaré, na liberdade que ele nos proporcionou e que conquistou naquela Cruz. Ficamos ocupados em viver cada fase das nossas vidas, mas na realidade constatamos que tudo é angustiante e escravizante vaidade. Tentamos agradar pessoas, tentando ser o que não somos, tentando aparentar o que não se pode, usando máscaras, usando artifícios, manipulações, estratégias e disfarces para não nos apresentar como realmente somos. Não há nada que possamos fazer em oculto que escape da escrutinação do Senhor, mesmo antes de fazermos. Viver feliz em Deus é necessário, reconhecendo o seu senhorio e a sua soberania. 

Para fechar, talvez Jesus Cristo tivesse vontade de dizer à Pilatos: 
  Como vou te explicar a verdade se, além não ser o tempo certo, você não está preparado para ouví-la e entendê-la?

Se Jesus Cristo fosse desprovido de amor, e os fins fossem outros, certamente Jesus diria: 

— além de tudo você não é um dos que são da verdade. 

Mas Jesus ficou em silêncio, diante da pergunta de Pilatos, quando tinha tanto a dizer (certamente não o que escrevi acima), com toda a autoridade, por ser Deus encarnado. Saberemos nós, o que realmente é a verdade? Será ela relativa? será que estamos vivendo a verdade que agrada à Deus? A verdade será o próprio Deus? Somos daqueles que são da verdade, como Jesus falou, para que possamos ouvi-lo?


Todo aquele que é, genuinamente, do Senhor, é da verdade e nela anda e nela crê. Que cada um de nós possamos fazer um diagnóstico de nossas vidas e endireitar as nossas veredas enquanto ainda há tempo. Enquanto há vida, há tempo de sermos luz para nos juntar à de Deus. Oremos para que o Senhor abra nossos sentidos e nos dê a tão necessária sabedoria e discernimento de todas as coisas, dentro da sua vontade.

Fiquemos todos na paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah.

domingo, 19 de novembro de 2017

Nos libertar deste mundo e da Lei??

Queridos amigos e irmãos em Cristo Jesus.

A palavra de Deus é perfeita e deve ser entendida/interpretada sempre dentro do contexto de todo o livro que está sendo lido, ou, no mínimo, dentro de todo o capítulo. Quem estuda sabe destas coisas, mas, infelizmente, textos fora do contexto continuam a ser pregados para fins suspeitos, não genuínos. A obscuridade é algo muito utilizado para deixar as coisas mal explicadas, mal entendidas, de má fé. Falsos pregadores da Palavra de Deus e do Evangelho das Boas Novas, ensinam somente a parte das escrituras que lhes interessam e lhes convém, ignorando o restante do texto que elucidaria toda a questão e daria o real entendimento do que está sendo ensinado. Não penso que os fins justificam os meios, especialmente nas coisas de Deus, quando dizem: "pelo menos estão pregando a palavra de Deus!". 


Jesus Cristo de Nazaré, o próprio Deus encarnado, desceu do céu  (João 14:9) e veio para nos libertar do pecado e do jugo da lei, que nos escravizava, amaldiçoava e nos afastava dEle. Quem crê no Senhor Jesus Cristo de Nazaré, recebe seu Espírito Santo, recebe a vida eterna, é filho de Deus, o pecado não tem domínio sobre sua vida, já é cidadão do reino dos céus, entendendo seu papel de peregrino, estrangeiro nesta terra. 


“E Jesus dizia aos judeus que nele creram: Se permanecerdes na minha palavra, sereis meus verdadeiros discípulos;conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Replicaram-lhe: Somos descendentes de Abraão e jamais fomos escravos de alguém. Como dizes tu: Sereis livres? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo homem que se entrega ao pecado é seu escravo. Ora, o escravo não fica na casa para sempre, mas o filho sim, fica para sempre. Se, portanto, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres” (Jo 8,31-36).



Somos verdadeiramente de Deus, quando estamos livres do pecado. Deus e pecado não combinam, são opostos. A Lei informava, mostrava ao homem a respeito do pecado, mas não provia a salvação. O homem continuava inimigo de Deus, precisado de salvação, assim como todo aquele que não crê em Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah (Romanos 8:7-8). Ao tentarmos permanecer na lei de Moisés, estamos amaldiçoados, pois nenhum homem é capaz de cumprir a lei. Se desejássemos cumprir a lei, deveríamos cumprir toda a lei, mas isto é impossível ao homem. Um só homem cumpriu toda a lei, a saber Jesus Cristo de Nazaré. A própria lei diz que aquele que descumprir um ponto da lei é culpado de transgredir toda a lei e estará debaixo de maldição (Tiago 2:10). Não há escolha entre a Lei e da Graça. A lei, embora importante e para os israelitas, pois era um aio, ficou obsoleta com a morte de Jesus Cristo na Cruz e sua ressurreição, ou seja com a chegada da Nova Aliança (Romanos 6:14). Em Hebreus 7:11-12, isto nos é explicado. Se rejeitarmos a Graça, o evangelho das boas novas, estaremos rejeitando o sacrifício de Jesus Cristo e o próprio Yahoshuah Hamashiah, o Deus encarnado. Em resumo, a grosso modo, tudo se baseia em crer em Deus. Paulo já tratou destas coisas em vários dos seus escritos, especialmente na carta aos Gálatas. Estavam tentando implantar um legalismo na Igreja de Cristo. Diziam não bastar crer em Jesus Cristo, que as pessoas deveriam ser circuncidadas, comemorar as festas judaicas, e tudo mais que constava na lei. Tanto que no primeiro concílio de Jerusalem (dos apóstolos de Cristo), ficou definido o que os gentios convertidos deveriam fazer na sua vida cristã, que era somente se abster das contaminações dos ídolos, da fornicação (relações sexuais ilícitas), do que é sufocado e do sangue (Atos 15:20). Vejam que estas coisas já foram resolvidas lá atrás, há centenas de anos, no entanto o sistema religioso ainda quer obrigar as pessoas a guardar o sábado, pagar dízimos, e muitas vezes que até festejem as festas judaicas, entre outras coisas da lei. Além disto atraem as pessoas com cargos eclesiásticos, carreiras religiosas, lideranças de ministérios, etc. numa clara acepção de pessoas que Deus condena. Chega a ser escandaloso e vergonhoso o que obrigam os cristãos e novos convertidos a fazerem (Mateus 23:13,15). Tudo visando encher os templos de gente para aumentar a carteira de dizimistas, coisa que está ligada diretamente ao dinheiro e ao poder, ou em alguns casos, desconhecimento da verdade. Este discernimento é algo básico que todo o cristão ou messiânico deve saber, porque há muito mais liberdade em Cristo Jesus, do que ensinam, como por exemplo, em discernir o verdadeiro Deus, o verdadeiro batismo, a verdadeira ceia, o verdadeiro fogo e muito mais. Se o filho nos libertou, somos verdadeiramente livres, mas infelizmente as pessoas se deixam escravizar por homens interesseiros e mentirosos, com seus dogmas e suas falsas doutrinas. Novamente o povo perece por falta de conhecimento da Palavra de Deus, como consta em Oséias 4:6, embora em outro contexto. O Senhor Jesus Cristo nos alertou previamente sobre todas estas coisas e muitas outras.

Fiquemos na Paz, que excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Como escapar do sistema. Um roteiro necessariamente espiritual.

Queridos leitores.

O que escrevo agora é algo sem religiosidade, embora não pareça, simplesmente seguindo passos lógicos, necessários e verdadeiros que levarão você a plena liberdade.

Temos que estar com a mente aberta para entender que as seguintes explicações transcendem o entendimento convencional​ e que contraria o que lhe foi ensinado durante toda a sua vida. Nada adiantaria sairmos de um sistema para cairmos em outro. Costumo dizer que Jesus Cristo, Yahushuah Hamashia, jamais teria nos libertado do jugo da lei de Moisés para nos submeter a um novo jugo, a ritos e cerimoniais, muito mais do que se possa pensar. Sim, vou falar de Jesus Cristo também, mas que não é nada do que o sistema religioso normalmente ensina, que acaba por tornar as pessoas escravas. O sistema religioso aprisiona, engana e mente. Cria dogmas, falsas doutrinas com intuito de escravizar as pessoas que dizem amar, dominar vidas e exaurir recursos. Se examinarmos as escrituras veremos que Jesus Cristo criticava fortemente o sistema religioso vigente, e dizia que se não mudassem o seu agir, estariam perdidos. Não mudaram, veja isto em Mateus 23:33. Hoje não é diferente. Jesus os chama de serpentes e raça de víboras. Este sistema está pronto para fazer os novos convertidos se perderem, como fazia naquele tempo. Então não desista da liberdade. Não faça pré-julgamento deste texto. Liberte-se dos paradigmas religiosos. É necessário que você esteja com a mente aberta para entender que só um poder maior para nos livrar do jugo desse sistema e do que lhe foi ensinado errado a  vida toda. Queridos amigos apesar da Bíblia, a palavra de Deus ser a verdade, ela foi manipulada por denominações para que se adequasse aos dogmas e aos interesses humanos. No entanto a maioria das escrituras são verdadeiras e autênticas, fora alguns erros de tradução propositais ou não, para fins ilegítimos. Devemos estar atentos para a verdadeira fé em Cristo Jesus, que é Deus, pois quem vê-lo vê ao Pai. Esta fé liberta.  

Primeira parte.
Hoje explicarei somente o primeiro passo para você se libertar deste sistema escravizante, manipulador e enganador que quer dominar a sua vida e a da sua família, fazendo você viver uma vida miserável e medíocre, uma vida sem sentido, voltada apenas para o que você vê.

Precisamos nos livrar de todo o jugo e doutrinas de homens, que só escravizam, pois só visam obter o domínio da vida das pessoas, dinheiro e poder.

O primeiro passo para a saída do sistema é crer no Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashia, Deus todo poderoso, o Sempiterno, como seu Senhor e Salvador. Crer no seu sacrifício expiatório. Algo que deve ser feito de coração, em verdade e em espírito. É necessário buscar entendimento para que isto se realize. Para que isto aconteça não pense que é necessário você se "membrar" a uma igreja denominacional, aceitar um pastoreio, uma "cobertura espiritual", de alguém que acaba se tornando intermediário entre Deus e você, ou alguém para ser idolatrado ou admirado pela sua linda oratória, ou qualquer outra coisa deste tipo. A verdadeira igreja de Jesus Cristo de Nazaré são os irmãos em Cristo, sem cargos eclesiásticos, sem acepção de pessoas, sem favoritismos, reunidos para orar, sem cerimoniais, ritos, etc., para estudar a Palavra do Senhor, para se ajudarem mutuamente a fim de que não haja necessitados entre eles, para edificação da verdadeira Igreja de Filadélfia, do amor fraternal. Não pense que haverá dízimos ofertas e outras coisas deste tipo, ou ainda ordenanças inventadas, ou corrompidas, interpretando a palavra de Deus para propósitos nefastos, de homens para dominar homens, para garantir a escravidão. Criam templos de pedra, onde Deus não habita, onde há alguém com dons especiais para as ministrações e falas amáveis, manipuladoras psicológicas e emocionais. Cargos como pastores, padres, bispos, apóstolos, ou seja lá que título for, querendo dizer que são nossos pais. Os homens gostam de ser reconhecidos por seus títulos, de ter suas vagas de estacionamento especiais, reservadas, serem admirados, aplaudidos, reverenciados, enquanto enganam e roubam seus próximos. Somos todos irmãos em Cristo, cada um com dons diferentes, recebidos de Deus. Todos os que crêem, em Cristo Jesus, são seus sacerdotes e aptos para proclamar o Evangelho da Graça, de graça. O que é há na verdadeira igreja de Jesus Cristo de Nazaré é a ajuda ao próximo, a justiça, a misericórdia e a fé. Conhecer a verdade liberta. Crer e receber Deus, da maneira correta, nos liberta dos sistemas do mundo, sabe porque? Porque somos peregrinos, porque não pertencemos a esta terra, somos cidadãos do céu, filhos de Deus que voltarão para o verdadeiro lar. No entanto isso pode ser feito a partir daqui e agora. Quando cremos em Jesus Cristo de Nazaré, nos libertamos do sistema desse mundo e passamos a viver, verdadeiramente, como cidadãos do céu. Não estamos mais no sistema deste mundo. No momento em que estamos livres do sistema deste mundo começamos a conhecer a verdade e Deus se manifesta cada vez mais, nos trazendo a sabedoria, o conhecimento e o discernimento de que precisamos para sermos totalmente libertos. Quando não somos de Jesus temos os nossos sentidos totalmente fechados para a libertação do sistema. Desta forma podemos ouvir a palavra de Deus, podemos ver as coisas de Deus acontecendo na nossa frente, mesmo sendo criação de  Deus e vivendo dentro da criação de Deus, não notaremos a presença do Senhor e não perceberemos a sua manifestação, muito menos a liberdade que ele nos proporciona, assim não teremos a revelação da finalidade para a qual fomos criados. Este é o grande vazio existencial que sofremos quando não temos Cristo. Nenhuma outra coisa preenche este vazio.

Leia e entenda este trecho bíblico:
2 Coríntios 3: 16-18
"Contudo, convertendo-se um deles ao Senhor, é-lhe tirado o véu. Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.". Que coisa linda e maravilhosa. 

Como fazer então, para ter Jesus Cristo de Nazaré. Primeiramente ore ao Senhor para que ajudadores idôneos sejam levantados para tirar as suas dúvidas. Não caia em ciladas de ser levado para alguma denominação. Lembre-se, aquele que crer e clamar pelo nome de Jesus Cristo, será salvo. Não há intermediários, não há outro pai senão o unico Pai, que é O Senhor Deus todo poderoso. Estude a palavra de Deus, em boas bíblias, boas traduções. Reuna sua familia e amigos para isto. Orem juntos. Depois façam uma oração de entrega, juntos, crendo e recebendo o Senhor  Jesus Cristo de Nazaré como seu Senhor e Salvador, dizendo de coração que creem que Ele foi crucificado e morto pelos nossos pecados, e que ressuscitou no terceiro dia. Que morremos com Ele, mas também ressuscitamos com Ele para a vida eterna. Que recebem, neste momento, Deus nas suas vidas e que de agora em diante passam a ser templos de carne, templos vivos, onde Deus habita, onde Jesus habita. Em Atos 17:24 está escrito que Deus não habita em templos feitos por mãos humanas, esteja certo disto. Onde estiverem dois ou três reunidos no Seu nome Ele ali estará, junto. Reuna-se domesticamente, nas casas, compartilhar o Pão Vivo que desceu do ceú, Jesus Cristo de Nazaré. Cada reunião na casa de um irmão. Não seja enganado. Você é o responsável pela sua casa, ou seja pela sua família. Não terceirize, faça sua parte. Temos que ser família de Deus, orando unidos, protegidos, cuidados e livrados de todo o mal pelo Senhor Todo Poderoso. O mal anda a espreita é astuto e traiçoeiro para tragar os desavisados e os que pensam que o mal não existe.

Que consigamos sair deste sistema, enganatório, manipulador e destrutivo; que vivamos o que dizem os dois grandes mandamentos ditos pelo próprio Deus encarnado:
" E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mateus 22:37-40)

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento do
Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah.