Compartilhe

sábado, 22 de agosto de 2015

A originalidade de Deus

Queridos leitores,

Um dia escrevi sobre o povo brasileiro, sua cultura regional, seus costumes, pratos típicos e o seu jeito de ser e viver. Resolvi então, no sentimento explicado abaixo, escrever sobre como seria Deus e as características das coisas de Deus, não teológicamente, mas como um simples sentimento e suposta constatação. 

Num momento, me deparei com "sentimentos" que elevaram os meus pensamentos de como Deus é e de como são as suas coisas. Pude ver, neste momento, como a criação de Deus é maravilhosa. Como a originalidade de Deus é linda. Nossa mente não consegue processar e muito menos explicar Deus e a sua criação. Através da ciência o homem pensa que pode, mas não.

Deus é o princípio de todas as coisas. 

As coisas que Deus criou, que conseguimos ver, não conseguimos descrever exatamente como merecem, porque não as entendemos completamente. Se não conseguimos entender as que vemos como entenderemos as que não vemos (João 3:12)? As que não conseguimos ver não temos a menor idéia de como são. Deus diz que nem olhos viram, nem ouvidos ouviram e mente nenhuma imaginou o Ele tem preparado para aqueles que o amam (1Coríntios 2:9). Aos nossos olhos poderiam parecer moradas, palácios de ouro recheados e incrustrados de pedras preciosas de todos os tipos, tamanhos e cores, de tantos quilates que não existem na terra. Mas isso, pelo menos aparentemente, são só coisas materiais. Coisas que possuem um determinado valor aqui na terra. Se existirem no reino dos céus qual valor terão e para que finalidade? Alguém pode dizer com certeza? Acredito no que diz a palavra do Senhor, que é algo que nunca ninguém viu, ouviu ou imaginou. Certamente é algo que tratará, interagirá com a nova essência  do homem, outrora decaída.
  
Tudo o que Deus fez, fez puro e inocente, pois Deus é santo, justo, puro, fiel, de boa fé. Deus é luz e nEle não há treva nenhuma. Dá para imaginar alguém mais puro e inocente do que um bebê, mas onisciente, onipresente e onipotente, sábio, sempiterno, mais do que suficiente, para criar todo o universo ou todas as realidades, mesmo as que os nossos olhos não veem? O Deus que tudo criou pela palavra e pelo espírito. Dá para imaginar o único e triuno Deus, Rei dos reis, que era manso e humilde de coração e que veio para servir. Que desceu do céu, habitou conosco, serviu e entregou sua vida por aqueles que não mereciam, que estavam amaldiçoados e condenados ao lago de fogo, devido as suas iniquidades e a suas essências decaídas, dando-lhes a salvação e a vida eterna.

Este é o Deus de amor, que é impossível de não se amar devido ao seu amor por nós, que fomos feitos por Ele à sua imagem e semelhança. Não é fácil perceber quem e como é o nosso Deus.

Quem O percebe no mínimo, O ama. Quem O ama O obedece. Quem O obedece conhece ao Senhor. Quem crê nEle tem a vida Eterna e não teme mais a morte. Quem tem a vida Eterna não passará pela segunda morte, pois terá um corpo glorificado imortal. Quem acredita em todas estas coisas tem a plenitude de vida aqui e agora, independentemente das circunstâncias, pois sabe que está seguro nas mãos do Senhor, ou melhor, debaixo das suas asas.

Gostaria de ter melhores palavras para descrever o que senti sobre Deus no momento em que comecei a escrever este artigo, mas não consigo me expressar melhor.

Deus não é algo que alguém criou para manipular pessoas. Ao contrário, as pessoas se afastam de Deus para poder manipular as outras pessoas. Um dos grandes erros dos homens é o de se afastar de Deus para ter a liberdade que querem. Não querem prestar contas de seus atos à ninguem, muito menos à Deus, à quem não veem ou nem acreditam. Reconciliar com Deus é necessário. Mas cuidado, pois Jesus nos disse que os religiosos da sua época fechavam o céus diante dos homens, não entravam e não deixavam entrar os que estavam entrando, como está escrito em Mateus 23:13. Nada diferente dos religiosos de hoje, que fazem muito pior.

O que posso finalmente dizer é: Deus é bom o tempo todo. O tempo todo Deus é bom.

Deixo, neste momento, à você a grata tarefa de continuar imaginando como Deus é e de tentar entender melhor as coisas que Ele criou na perfeição.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

WhatsApp e Netflix em perigo no Brasil?

Queridos leitores,

é inacreditável como as coisas acontecem no Brasil. No momento em que um ministro, Roberto Berzoini, que é um dos representante do povo no poder executivo, sai em defesa de empresas e contra aquilo que está trazendo benefício para as famílias, para o povo, sem nenhuma vergonha, o que podemos pensar e dizer?

É incontestável o benefício do WhatsApp, Netflix, Google HangOut, Skype, Uber e outros aplicativos, trazem ao cidadão brasileiro. Estão trazendo economia para as famílias e melhorando a qualidade de vida de todos. Vou começar do fim para o início escrevendo sobre o Uber e aplicativos assemelhados. Antes que os taxistas se voltem contra mim eu gostaria de lhes explicar.

Quem está contra os taxistas não é o Uber e aplicativos assemelhados (há outros), mas sempre foram os governos. Estes governos exploram os taxistas, que são trabalhadores honestos e que prestam um serviço inestimável a população. Começa com o preço dos veículos que mesmo com desconto para os taxistas ainda é muito caro. Um carro nos Estados Unidos custa 1/5 do que custa no Brasil. Porque acontece isto se o brasileiro ganha menos do que um norte-americano? Depois vem os altos impostos para o carro "rodar";  preço da manutenção e peças carríssimos; preço do combustível absurdamente caro; estradas sem condições que encarecem ainda mais a manutenção do carro; além dos pedágios. Mas o principal é o preço que cobram para que o taxista possa se estabelecer no seu ponto. Os taxistas reclamam que pagam mais de R$ 100.000,00 para ter direito de "exploração" do ponto de taxi. Ou quem sabe muito mais. Parece-nos que o governo explora os taxistas contando que os taxistas também "arrancarão a pele" dos seus clientes. 

Para termos uma idéia, estive no Panamá em 2014 e pude ver o preço de tudo por lá. Trata-se de um país em pleno crescimento. Não converta para reais, os valores que mostrarei, pois quem vive lá ganha em dólar. Considere como se fossem reais. Uma Mitsubishi Triton básica, na concessionária estava por US$ 22,000. Como se fosse vinte e dois mil reais. O imposto ANUAL do carro mais caro, estava em aproximadamente US$ 28.00 (vinte e oito dolares) e mais nada. As corridas de taxi de percurso médio, variando entre 4 a 8 dólares num transito caótico. Mesmo convertendo em reais ainda é barato, mas não converta. 

Por isso que as corridas de taxi são caras no Brasil, os taxistas e motoristas pagam muito caro por aquilo que é uma necessidade, se locomover. Não é culpa do Uber mas sim de governos ineficientes e corruptos que defendem os interesses de empresas de investidores estrangeiros que exploram o povo brasileiro, como acontece notadamente nas telecomunicações, as famosas operadoras de telefonia. Dizem que são empresas geradoras de impostos que é benéfico para o país ficando os recursos dentro do país. Expliquem então o que fez a Brasil Telecom. Caiu no esquecimento? Escreverei logo abaixo sobre isto. Pergunto-lhes ainda: mais impostos? mais caro do que já pagamos? Se as corridas de taxi fossem mais baratas, o povo não procuraria outras alternativas. Os taxistas não podem nem investir muito em seu taxi e na qualidade de atendimento ao seu cliente porque são explorados. Se o taxista não cuidar, no fim do mês não sobra nada.

Olhe que nem falamos ainda do precário transporte público. São ônibus lotados na sua maioria, pessoas dependuradas nas portas com o veículo em movimento, mas pior é o preço, carríssimo. Pagamos caro para sermos mal atendidos e tratados como gado. Inadmissível. O governo prega moral estando nú, com suas vergonhas à mostra.

Me adentro do assunto das Teles quediz respeito ao WhatsApp. Quem é que já não teve uma contenda com uma operadora de telefonia? Quem já não teve um valor cobrado indevidamente; quem é que não teve um serviço cobrado que não solicitou; que é que não teve seus crédito expirados sem explicação; quem é que não teve dificuldade em cancelar uma lina ou uma conta indevida? Se o usuário não reclamar, o cobrado indevido vira lucro para as operadoras de telefonia. Assim ganham seus lucros que são no mínimo de má fe e ilegais (fora da lei). Há muito tempo estamos sendo explorados por empresas inescrupulosas com o aval do governo. Governo este que se disfarça de defensor do povo, quando na verdade defende interesses alheios ao do povo. São interesses de corporações, que exploram o povo e mandam os recursos obtidos para fora do país, em paraísos fiscais, como aconteceu com a Brasil Telecom e pouco se noticiou. Trata-se de muito dinheiro. Com certeza bem mais do que os milhões que o Lula cobrou entitulado por eles como "ganha pão"  ao fazer palestras sobre a pobreza, sabe-se lá onde, pagos pela Camargo Correa, como se o povo fosse trouxa e não saiba do que se trata e de onde vem o dinheiro. Que tal você com este "ganha pão" do Lula? São milhões. Se todo o brasileiro ganhasse esse "ganha pão" não haveria pobreza e nem necessidade dos discursos dele. É de rir para não chorar.

Voltemos aos aplicativos. Quando vem um ministro falando que serviços como o NetFlix, WhatsApp devem ser regulamentados ele está querendo dizer que vai criar uma série de obstáculos para inviabilizar os serviços, que são de grande valia para as comunidades, para o povo.

O inimigo dos taxistas não tem sido o Uber e aplicativos  assemelhados, mas sim os governos que não representam a vontade do povo e não se preocupam, verdadeiramente, com suas necessidades. Estão interessados em arrecadar cada vez mais impostos, onerando as famílias que diminuem sua qualidade de vida para poder dar conta de uma carga tributária selvagem e exploração avalizada.

Sobre o Uber e assemelhados vejam da seguinte forma: quem é que pode impedir alguém, que tenha um carro, de dar carona e, se o caroneiro concordar, ajudar com um valor no custo da viagem? Creio que se trata de liberdade legal.

Um exemplo: Se você for de taxi do aeroporto de Guarulhos ao Terminal rodoviário do Tiete, que são 25 km, os taxistas estão cobrando R$ 110,00. É mais caro do que uma passagem de avião de Ribeirão Preto a São Paulo, comprada com antecedência. É muito mais caro do que uma passagem de Õnibus de Ribeirão Preto a São Paulo, que custa aproximadamente R$ 80,00. É inviável.

Voltando as operadoras. É muito óbvio que o ganho das operadoras com os torpedos caiu, porque todos se comunicam com o WhatsApp. Vejam que ainda tem o Google Hangout e outros aplicativos comunicadores instantâneos. Quando o WhatsApp ofereceu o serviço de voz, as operadoras entraram em desespero. O serviço é pra lá de conhecido e utilizado. Essas operadoras viram seus lucros depencar drasticamente e um cenário tenebroso à frente. Os serviços destas operadoras no Brasil são um dos mais caros da américa latina e quem sabe do mundo. Era óbvio que procurariam o governo para reclamar e pedir que atrapalhem os serviços oferecidos pelos abençoados aplicativos WhatsApp e Netflix, entre outros.

Uma coisa é certa, se houver uma tentativa governamental em atrapalhar e impedir os serviços prestados por estes aplicativos, o povo deve ir às ruas. Não dá para ficar quieto quando querem tirar do povo aquilo que o está beneficiando e é legal, alegando suposta ilegalidade ou evasão de recursos.

Quanto aos taxistas, não devem se voltar contra o Uber e assemelhados, mas sim ir para cima do governo e exigir melhores condições para que possam oferecer aos seus clientes um serviço mais barato. Melhorando as condições, cabe ao taxista proporcionar um serviço diferenciado, que faça o que se pague valer a pena, como por exemplo, melhores carros, carros especiais para ocasiões especiais, mais conforto para os passageiros, melhor tratamento, etc. Os motoristas que dão caronas são muito criativos e estão oferecendo mais conforto e alguns paparicos aos caroneiros, como barras de chocolate, balas, e outras coisas mais. É natural que as pessoas passem a buscar estas condições de atendimento. Quem não quer?

Todos sabemos que concorrência nunca fez mal a ninguém, pelo contrário só trouxe benefícios. Querer impedir a concorrência e estes novos serviços que só trazem benefício ao povo, é tentar segurar o vento com as mãos e só trará impopularidade à quem tentar.

Saudações à todos.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Quanto custa o dinheiro? Cuidado!

Queridos leitores,

alertas nem sempre são bem vindos, mas é bom ficarmos de olhos bem abertos. Os juros bancários do cheque especial e cartão de crédito são os maiores desde 1995, ou seja dos últimos 20 anos.

Segundo o Banco Central do Brasil, o conceito de CET - Custo Efetivo Total é o seguinte: Custo Efetivo Total (CET) é a taxa que corresponde a todos os encargos e despesas incidentes nas operações de crédito e de arrendamento mercantil financeiro, contratadas ou ofertadas a pessoas físicas, microempresas ou empresas de pequeno porte.

Qual a importância do CET?
Além de conhecer o custo real, o CET possibilita a análise e comparação entre diferentes empresas ou operações de crédito. Assim, o cliente adquire o poder de uma decisão mais detalhada e acertada, que atenda de fato as suas necessidades. Em outras palavras, o cliente fica sabendo o quanto, realmente, está pagando pela operação financeira realizada. A taxa de juros, por si só, não reflete a totalidade do custo da operação financeira.

Então vamos lá: Acreditem ou não o CET do cheque especial em alguns bancos passa dos 378% ao ano. O CET do crédito rotativo do cartão de crédito, pasmem, passa de 440% ao ano. Absolutamente impagável.

As notícias informam que os juros cobrados pelos bancos brasileiros, em algumas linhas de crédito, fariam qualquer agiota norte-americano sentir vergonha.

A rentabilidade dos bancos brasileiros tem sido o dobro dos bancos norte-americanos.

Há uma instituição financeira, que está com sua taxa do crédito rotativo do cartão de crédito em 719% ao ano. Consta nos dados do Banco Central.

Até quando pagaremos a conta de uma economia escravagista e de um governo corrupto. Quando as pessoas pensam que estão seguras nas suas finanças vem o governo com seus desgovernos e causa todo o tipo de dano e recessão. Temos visto isto acontecer no decorrer na história econômica brasileira. São tão previsíveis que chegaram ao cúmulo de fazer confiscos descarados ou camuflados como está sendo feito atualmente. As teorias de conspiração dizem que é nestes tempos, tempos de crise, em que os "donos do dinheiro" ganham muito mais, fortunas são geradas, pois são eles próprios que periódicamente geram estas crises e recessões ao seu bel prazer para crescimento de suas fortunas. Parece não se tratar de conspiração, pois é só olhar o lucro dos bancos neste momento.

Ironicamente parece que o povo brasileiro é muito rico, pois paga muito caro por tudo o que consome. Coisa de quem é muito abastado mesmo.

Os salários dos brasileiros são muito menores e pagam mais caro por todas as coisas que consomem do que os norte-americanos. Mas o pior de tudo é a roubalheira generalizada em todas as áreas do governo. Mentem ao povo e só pensam em aumentar seus salários. Que representantes fomos arrumar, heim?

Alguns poderão dizer que comparar a economia norte-americana com a economia do Brasil, que é um país em desenvolvimento, é uma tolice. Tolice para mim é aceitarmos recessão de tempos em tempos, corrupção e roubo em tempo integral (porque os corruptos e roubadores não descansam ou nem cansam), sem nada dizer e sem comparar com o que se vê no cenário mundial. Quer um pequeno exemplo: Um carro nos estados Unidos custa 1/5 do que custa no Brasil. Pagamos ou não pagamos tudo bem mais caro? Lembrando que os norte-americanos tem maiores salários que os brasileiros. É desafio para os mestres da economia explicar. Há uma trava que impede o nosso país de crescer verdadeiramente. Talvez seja alguma interferência estrangeira camuflada, manipulando os governantes, comprando-os, tornando-os ricos para que desconsiderem o povo, para que o Brasil não alcance o que verdadeiramente pode ser, à saber, uma potência mundial.

Que Deus tenha misericórdia do Brasil e do nosso povo. Orar é o mínimo que podemos fazer. É necessário o posicionamento do povo contra tudo isso.

Saudações patrióticas, até mais.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Reforma tributária, vamos resolver o que está nos matando!

Queridos leitores.

É muito difícil para um cristão se envolver em assuntos que afetam a vida do povo, no seu dia a dia, pois inevitavelmente acaba se envolvendo com a política. Quando se entra neste assunto acaba-se quase que invariavelmente contrariando a doutrina pregada por Jesus Cristo, mas não necessariamente. Não me agrada me envolver com a política e nem é minha pretensão, mas vou escrever este artigo sobre algo que "mata" o bem viver dos brasileiros. Faço a seguir algumas considerações, espero que me perdoem o tom contratual destas considerações.
  • Considerando, que temos uma das mais altas cargas tributárias do mundo e temos uma das menores taxas de retorno destes impostos que pagamos (veja no final os links com os percentuais de impostos que pagamos sobre o que consumimos);
  • Considerando, que existem muito mais pagamento de impostos e obrigações que temos com o governo, em todas as esferas, do que é realmente divulgado e de conhecimento do povo;
  • Considerando, que administrar com um caixa recheado é muito facil. Pois se não houver empenho e acontecer erro, há recursos suficientes para tudo. Ainda existe o fato de que se há abundância de recursos, a corrupção e o roubo são facilitados, embora não necessariamente. Considere ainda que o bom administrador é aquele que com poucos recursos atende todo o necessário e ainda faz provisões atendendo as necessidades da população;
  • Considerando, que a solução para este assunto, de suma importância para todo o povo e a nação brasileira, que é o assunto tributário, trará inúmeros benefícios para a população;
  • Considerando, que muitos dirão que agora não é a hora de falar sobre este assunto, pois o país precisa sair do buraco e arrecadar mais. Buraco que foi criado pela má gestão e corrupção do governo. Acham que devemos sozinhos pagar esta conta. Considere ainda que o país mergulha numa recessão que levará, no mínimo, muitos anos para se recuperar. Os analistas econômicos falam em 10 anos.
  • Considerando, que, se uma pessoa é cristã, sabe, ou deveria saber, que quando se pede alguma coisa à Deus, deve-se ser específico, embora Deus saiba de todas as cosias. Por exemplo: se preciso de um trabalho/emprego, devo pedir Para Deus uma porta aberta de emprego. Se estou arrependido de meus erros, pecados, devo pedir perdão e me arrepender ao Senhor não generalizadamente, mas se o meu pecado, por exemplo, foi a mentira (o que contrariamente ao que se pensa é muito sério), devo pedir perdão pela mentira que eu disse. Se quero renunciar a uma prática que desagrada ou é abominação ao Senhor Deus, devo ser específico e falar ao Senhor, com todas as letras o que eu estou fazendo de errado até aquele momento, como por exemplo adorar outros deuses e
  • Considerando, que o povo foi as ruas para pedir o impeachment da presidenta, Sra. Dilma (entre tantas outras considerações pertinentes, que eu poderia fazer) é que conclui-se:
Assim é a nossa vida em todos os aspectos. Devemos ser específicos. Não posso resolver um assunto de forma generalizada. É necessário um foco para que a coisa seja resolvida. 

Desta forma digo que devemos ir para as ruas para resolver assuntos específicos, mobilizar o povo esporadicamente para fazer pressão, pois infelizmente, é somente sob pressão que os políticos se mobilizam, a coisa acontece e vem as soluções.

Se temos uma das altas cargas tributárias do mundo, com esta tremenda receita que o país possui, mas o Brasil está praticamente quebrado, é EVIDENTE que houve má gestão ou gestão fraudulenta. Isto é fato.

Vamos para as ruas exigir a reforma tributária que o povo quer e precisa. Diminuição dos impostos e a sua correta aplicação. Há muitos recursos desperdiçados e roubados através da má gestão e das mais diversas formas criminosas.

Não podemos levar a situação como se o governo fosse o dono do país e resolvesse tudo a seu bel prazer. O Congresso Nacional está deixando à desejar há muito tempo, pois está desmoralizado.

Devemos nos envolver, porque o poder nos pertence e não ao governo. Um ditado popular muito antigo diz: "A união faz a força.". Devemos exigir as mudanças necessárias, nem que tenhamos que ir para as ruas várias vezes ao ano. Temos que fazer pressão senão jamais seremos ouvidos. Somos ovelhas diante de Deus, mas não devemos nos comportar como ovelhas diante do poder do mal que que usa este governo, que não mais nos representa, se é que chegou a nos representar algum dia. Deus coloca as pessoas no poder, mas Deus também tira. Veja o caso do rei Saul, por exemplo (1Samuel 13:13-14). Ele fez o que era errado aos olhos de Deus. Deus sabia das consequências daquele ato errado de Saul. Saul não mais servia para ser o rei da nação de Israel. Foi deposto pelo próprio Deus.

Não entendo como as pessoas não temem quando são más, quando roubam, mesmo que não creiam em Deus, porque Deus é misericordioso mas o homem e o inimigo não é. Numa narrativa bíblica o rei Davi depois de errar severamente contra Deus, colocou-se nas mãos do Senhor e não quis cair nas mãos dos seus inimigos. A biblia é também um livro histórico. O que está ali expresso aconteceu, independente das pessoas acreditarem ou não. A bíblia fala que o temor à Deus é o princípio da sabedoria (Provérbios 9:10). 

Interesses particulares não podem, não devem estar acima dos interesses da coletividade.
"Bem-aventurado o povo ao qual assim acontece; bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor." (Salmos 144:15). Leia o Salmo 144 todo e você entenderá.
Veja a quantidade de impostos que pagamos e muitos outros que nem consideramos que pagamos, simplesmente porque não levamos em conta ou esquecemos, mas que oneram a vida das famílias. Querem um exemplo: taxas de cartório. Em outros países isto não existe e tudo é mais simplificado. Outro exemplo é as taxas do Detran para se transferir um veículo. Se a cor do lacre é diferente do usado atual, a taxa, que já é absurda, é ainda mais cara. No Panamá, por exemplo, a taxa anual para se ter um carro, o mais caro deles, gira em torno de US$ 28.00 e nada mais.  E a coisa toda por aí vai.




Saudações, à todos.


sexta-feira, 17 de julho de 2015

Escolhi à Deus ou Deus me escolheu? Participei disto ou Deus agiu soberanamente? O que pensar?

Queridos leitores,

É interessante pensar no que agora expresso abaixo, a respeito deste assunto. Obviamente, vou escrever baseado nas minhas próprias experiências e constatações pessoais. Não sei se isso vale, acontece ou possa acontecer para todas as pessoas, mas escreverei o que aconteceu comigo.

Sempre tive muita fé em Deus, no entanto só conhecia o que minha mãe me ensinara e no que raramente ouvia nas missas, nas poucas vezes que frequentei a Igreja Católica Romana. Minha mãe me ensinou a "rezar" todo o dia à noite antes de dormir. Eu iniciava a "reza" com Pai Nosso, Ave Maria. No meio sempre inventava alguma coisa a mais, pedidos pessoais e fechava com Ave Maria e Pai Nosso, pedindo proteção e uma boa noite de sono para todos da casa.

Irmão mais novo, numa casa de onze irmãos, mais uma filha adotiva, uma sobrinha criada como filha pelos meus pais. Cresci um tanto paparicado, principalmente pelo meu pai. Meus irmãos também me cuidavam muito, em decorrência do meu pai ter toda aquela preocupação comigo. Não creio que era filho preferido, pois acredito que não se tratava disto, mas sim um cuidado especial por ser o caçula. Isto, há algum tempo atrás, era muito comum nas famílias. Existia o amor, o cuidado e a preocupação dos meus pais para com todos os filhos. Meus pais foram heróis ao criar 12 filhos (seis homens e seis mulheres). Não foi fácil para eles. Imagino do que tiveram que abrir mão para criar essa turma toda, mesmo que nem dessem por conta disto.

Hoje, sabemos que Deus está no controle de tudo. Por isso, penso que fui poupado de muitas coisas, pelo cuidado dos meus pais na minha criação, dentro daquilo que eles podiam oferecer e do conhecimento que possuiam. Se fui o caçula, se tive a família que tive, se fui amado e se amei e amo todos os meus irmãos e pais e se estou onde estou, singelamente, hoje, é porque esta é a vontade ou permissão de Deus. Quando entendemos que não cai uma folha de árvore sem que Deus permita, o que dizer do controle de Deus sobre as nossas vidas?

Não sei se escolhi Deus naqueles meus tempos onde a falta de entendimento do Deus vivo reinava em mim e na minha família. Ao escrever isto, eu estava por escrever que não havia escolhido Deus, naquele tempo. Iria dizer que Deus é quem me escolheu, mas talvez eu o tenha escolhido, mesmo sem saber disto, quando fiz minhas orações, com fé, para aquele Deus quase desconhecido, que eu pensava estar longe, lá no céu. Veja o que diz este trecho bíblico:
"Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve." (João 9:31)
A teologia nos diz que fomos escolhidos por Deus desde antes do início dos tempos. Os reformados dizem que é somente Deus quem nos escolhe, soberanamente, mas os arminianos dizem que o homem tem sua parte nisto. Monergismo e sinergismo.

Destas coisas só Deus conhece. Mas porque escrevo sobre isto?

Porque preciso dizer que Deus nos cuida, mesmo que não reconheçamos isto. Por isto me considero uma pessoa muito feliz, cuidada por Deus desde o início da minha vida. Vejo que Deus esteve sempre no controle da minha vida, me cuidando para que hoje eu pudesse ser, simplesmente, como sou e estar realizando a obra para Ele, conforme a Sua vontade. Se faço a obra de Deus é porque sou salvo e não ao contrário. 

Todas as pessoas que passaram pela minha vida, colaboraram para que eu chegasse ao entendimento que hoje tenho de Deus, das suas coisas e à realização da Sua obra. São pessoas abençoadas que cumpriram sua missão cabalmente, possuem a graça de Deus e que fizeram a sua vontade, mesmo sem saber. A importância disto tudo não está em mim e do que eu faço, mas na vida de todos que fizeram e ainda fazem parte da minha vida, em Deus e na Sua vontade. Não fui e não sou o centro de atenção alguma e nem quero ser. Para a mensagem do evangelho de Jesus Cristo é que devem estar voltadas todas as atenções.
"Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus." (2 Coríntios 4:5)
Meu trabalho para a obra do Senhor é pequeno, mas foi Ele que me designou para isto, então embora para mim seja pequeno, certamente para Deus é grande e importante. 

É muito bom que eu sempre considere o que faço para Deus como uma pequena obra, pois assim não vem o sentimento de ser reconhecido pelos homens e de vanglória, pelo trabalho que eu e minha esposa realizamos. Só há um a ser honrado, a saber nosso Deus. Jesus disse que só há um bom, que é o nosso Deus (Lucas 18:19). Foi Ele que fez todas as coisas na minha vida e me levantou para realizar o que tão pequenamente e modestamente eu e minha esposa realizamos em Seu nome. Como poderiamos cobrar ou nos vangloriar disto? Foi Ele que investiu na minha vida, me cuidou, me guardou, me livrou dos males e me salvou para que eu fizesse o que é de Sua vontade. Mesmo que eu pereça hoje, os planos de Deus para minha vida não foram frustrados e se for de Sua vontade eu e minha esposa continuaremos à executá-los, certamente com muitas novidades e assim profetizo.

Creio que o que recebemos de Deus, de graça, devemos dar de graça. Jamais devemos cobrar ou nos vangloriar de qualquer coisa que façamos para Deus. Isto é para o nosso próprio bem, pois as escrituras dizem que o nosso galardão é no céu e não na terra.
"E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão." (Mateus 6:5)
Creio que devemos investir na obra do Senhor com nosso tempo e nossos recursos. Não devemos ganhar dinheiro com as coisas do Senhor. As coisas do mundo atraem as coisas do mundo. O querer ser reconhecido e a obtenção de vantagens financeiras (cobiça) com as coisas de Deus é inaceitável, sob qualquer pretexto. Há uma grande luta do homem contra estas coisas. Muitos caem. As escrituras dizem que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males e o reconhecimento a perda do nosso galardão no céu.
"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." (1 Timóteo 6:10)
"Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão." (Mateus 6:2)
Se não fizermos as obras do Senhor, pregando o seu verdadeiro evangelho, qual seria a nossa serventia? Viver neste mundo por viver, fazendo o que todos fazem? Nascendo, crescendo, estudando, se formando, casando, tendo filhos, comprando uma casa, um carro, uma TV de tela grande, mudando de cidade, conseguindo um novo emprego, cobiçando coisas e dinheiro? Serão só estas coisas o sentido da nossa vida, nossa missão? Egocentrismo puro.

Será que não vale a pena uma reflexão? Deus nos escolheu soberanamente, ou devemos nos posicionar e escolher à Deus? Ou será que Deus nos escolheu, mas nós ainda não sabemos disto? Ou será que ainda não é o nosso tempo? Será que temos tantas outras coisas importantes à fazer, antes de nos achegarmos à Deus? Procuramos à Deus somente quando estamos numa má situação, fazendo assim dEle, nosso servo ou somos nós quem devemos servi-lO? Pense nisto. 

Se você está lendo este artigo, chegou até aqui, talvez esta seja a hora certa de você se firmar em Deus, aceitar a Sua salvação ou mudar seu posicionamento em relação às coisas dEle. Reflita sobre isto, mas principalmente reflita na sua vida, como Deus investiu em você, lhe cuidou e lhe guardou para Ele, assim como fez comigo. Você vai ignorar isto? Você vai cobrar por isto? Faça uma retrospectiva e você verá Deus na sua vida, como você nunca viu. Peço à Deus que se revele de forma sobrenatural à você, que está lendo este texto.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso senhor Jesus Cristo de Nazaré.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Realidade ou ilusão?

Amigo leitor,

muitas pessoas dizem ser realistas quando confrontadas por pessoas mais sonhadoras que não se conformam com a situação em que vivem ou com o comodismo. Muitos destes "realistas" vivem numa situação de falta de posicionamento em todas as áreas de suas vidas. No melhor dos casos, vivem uma vida que outras pessoas planejaram ou ditaram, seguindo uma receitinha de vida, básica. Pensam que todos devem seguir os mesmos passos. Se não andar como a maioria anda, a pessoa estará fora do contexto e será considerada estranha, sonhadora, de cabeça na lua, iludida, um tonto (a). Em casos piores ainda, estes realistas vivem sem o menor planejamento, vivendo a vida como ela os leva à viver. São levados por todo o tipo de "vento", ou seja, pelas circunstâncias.  

Mas, hoje não quero falar de posicionamento ou de planejamento de vida. Muito menos das coisas que a sociedade nos impõe e que "obrigatoriamente" vivemos. Quero trazer, somente, a realidade que muitos vivem para desenvolver o assunto principal.

Quero falar-lhes das "realidades". Realidades? Há mais de uma? O mundo não é um só? Não é o que vemos? O que lhes escrevo é uma constatação real ou talvez somente mais uma outra "realidade". 

Vou explicar-lhes meu ponto de vista: Começa quando olhamos para o mundo à nossa volta. Vemos um mundo criado por Deus, mas completamente modificado pelo homem. Talvez vejamos somente o que Deus nos permite que vejamos. Vemos o que podemos suportar. Num visão extrema, vejo a foto de um homem de costas para câmera, olhando para frente, visualizando uma cena de vida exuberante. Num outro quadro ao lado, o mesmo homem olhando para a mesma cena, mas a visão é outra: uma cena cinzenta, num cenário de total desolação, um caos. Qual é a verdadeira realidade. Será que nossos olhos estão nos mostrando o que é real, a verdade que nossa mente realmente está processando, ou estamos vendo somente o que nossos olhos podem ver e o nosso cérebro pode interpretar, independentemente de ser a verdade? Faço a seguir alguns ensaios.

Homem e mulher somente pelo fato do gênero, já são criaturas completamente diferentes. Mesmo quando são casados e muito compatíveis, são diferentes e podem estar vivendo realidades muito diferentes, dentro da mesma casa, no mesmo espaço. Um é razão, o outro emoção. Um vive num mundo cheio de prioridades e visões diferentes do outro. Nasceram em lugares diferentes, foram criados de maneiras diferentes, tiveram uma educação diferente, profissões diferentes, enfim, diferentes um do outro em tudo. Certamente a visão da realidade, de um para o outro, é bem diferente. isto é fato.

Por outro lado, o homem não é o único ser vivente nesta terra. Existem animais, plantas, etc. Para os animais a realidade é outra bem diferente da do homem. As cores somente existem por causa da luz. Há insetos que tem a percepção de cores muito maior do que os homens. Uma outra realidade. Um cachorro, por exemplo, nosso fiel amigo, segundo os especialistas, enxerga somente em preto e branco. É a realidade dele. Talvez enxergue as mesmas coisas que nós, mas em preto e branco. Mas quem nos garante que, neste caso, o cachorro enxerga as mesmas coisas que nós enxergamos? Alguém já foi cachorro para dizer como ele vê as coisas? Sabemos que os cachorros tem faro e audição apurados, diferentemente do homem. Trata-se de outra realidade. Quem sabe dizer, com certeza, o que mais os cachorros podem ver que nós não vemos? É só um exemplo. Reflita e veja as demais realidades dos outros seres vivos. Nos exemplos acima, quem está vendo corretamente ou qual será a realidade verdadeira?

Alguém pode garantir que aquilo que o homem constrói é o que verdadeiramente o outro homem vê? O contrário disso também pode proceder.  Pode acontecer de que o homem constrói para que homens vejam e compreendam suas construções. E se o que construimos e todas as coisas que desejamos "consumir" são coisas diferentes para um olhar que não seja o humano? Quer um exemplo? Deus, por exemplo. A bíblia nos fala que as coisas materiais, dinheiro e poder são vaidades. São como vento. Será uma outra realidade, diferente da que vemos? Com certeza Deus vê tudo muito diferente do que vemos.

Em resumo, vemos o que Deus permite que vejamos. Vemos também o que os homens construiram para que víssemos. No entanto, as coisas não são tão simples assim. Pelo que vimos acima, podem haver muitas realidades diferentes, realidades "abstratas" e realidades palpáveis. A bíblia nos fala de um mundo espiritual que os nossos olhos naturais não veem, mas que no entanto afeta as nossas vidas.

Veja o que diz em Efésios 6:12:
"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais."

Vejam que aqui a bíblia fala de um mundo espiritual que nós não enxergamos e que afeta as nossas vidas sobremaneira. A bíblia relata que tudo começa neste mundo espiritual, mas muitos não acreditam, porque simplesmente não vêem. Estas pessoas que não crêem, são demasiadamente simplistas, pois porque não vêem não crêem. Só acreditam naquilo que enxergam. Nesta hora me lembro do apóstolo Tomé.

Se este pensamento procedesse, de não crer porque não se vê, a maneira como outro homem vê e vive a sua própria realidade, diferente da nossa, não existiria. A maneira como uma mulher vê o mundo também não existiria, pois é muito diferente da realidade como o homem a vê. A maneira como um cachorro enxerga o mundo também não existiria. Se não sinto um cheiro que um cachorro detecta facilmente, não quer dizer que não existe. O ar que respiramos mas não vemos, sabemos que existe. Se ignoramos realidades porque não as vemos, estamos negando, inclusive, a existência desses outros seres, pois só a minha realidade é que é a existente e verdadeira, então só eu existo.

Nesta situação, se as outras pessoas não vivem dentro da minha realidade então certamente suas realidades não existem, e assim eu estaria negando suas existências. Este é um dos grandes problemas da humanidade, o egocentrismo. Tudo tem que girar em torno de mim. Minha realidade, minha vontade, minha satisfação, minha alegria, ser servido, falarem sobre minhas coisas, ajudar a resolver meus problemas, me ajudar em tudo, receber, receber e receber. Se algo ruim não aconteceu comigo está tudo bem. A realidade dos outros não importa ou não existe, ou pior, faço de conta que não existe.

Lembro neste momento, do filme Matrix. O traidor, Cypher, se vende e trai mais do que seus seus amigos, trai toda a humanidade. Aceita viver a ilusão das máquinas, uma realidade melhor do que a verdadeira realidade que os humanos estavam vivendo, quando em liberdade. Suas condições para trair seus amigos, eram que queria ser famoso e rico, naquela realidade (ilusão) que as máquinas o fariam "viver". Obviamente, deu tudo errado e acabou morrendo sem receber nada.

E, assim, acontece com muitos de nós. Vivemos uma realidade que nada mais é do que uma ilusão. Ignoramos a realidade daqueles que estão próximos de nós. Endurecidos e egocêntricos. Algo muito diferente do que ensinou Jesus Cristo. Jesus dentro daquela realidade religiosa hipócrita dos fariseus e saduceus de seu tempo, comeu na mesa com os pecadores, viveu, pregou e curou muitos, no meio deles. Jesus não viveu somente na realidade dos santos e justos, senão como faria a obra? Mas Ele não se tornou igual à eles para se enturmar. Jesus foi Jesus e nos ensinou como devemos ser. Quando confrontado sobre isto, disse que não havia vindo para os sãos, mas para os doentes, para os pecadores. Disse ainda que veio para servir. O Rei dos reis veio para servir. Que realidade é esta?
Um  trecho bíblico ilustra muito bem, o que consideravam, a "loucura escandalosa" de Jesus, tanto o seu servir quanto o seu sacrifício. Veja o que disse o apóstolo Paulo aos coríntios:
"Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos." (1 Coríntios 1:23)
Pelo explicado acima, o ponto em que quero chegar, é que super valorizamos o que vemos e perdemos muito tempo de vida tentando adquirir coisas que nada significam. O que consideramos realidade pode ser a nossa perdição se não soubermos discernir. As coisas que o mundo nos oferece consideradas realidades para nós, mas são uma grande mentira do mal para nos afastar daquilo que verdadeiramente importa e tem valor. O mundo faz-nos viver uma realidade que é uma roda-viva cheia de desejos, distrações, falsos entretenimentos, etc. Nada mais são do que realidades falsas, impostas, que gostamos, desejamos, e adotamos nas nossas vidas. Ilusões como a do Cypher em Matrix.
"Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam." (Mateus 6:20)
Veja este trecho de Eclesiastes 5:10:
"Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade."
Outro trecho diz:
"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." (1 Timóteo 6:10)
Não há como falar destas coisas todas sem citar este lindo trecho de Apocalipse 3:17-18, que diz:
"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas."
A mensagem acima foi para a Igreja de Laodicéia. A Igreja e a cidade de Laodicéia era abastada. A cidade foi destruída por um terremoto, mas abriu mão da ajuda do governo romano para a reconstrução, porque era rica e arrogante. Foi rejeitada por Jesus Cristo, porque valorizava as coisas materiais ao invés das espirituais.

Aqui há uma lição de vida. Aqueles que acham que tem tudo, que nada lhes falta, ou que as coisas materiais podem lhe suprir totalmente, ou ainda, que pensam que só as coisas que são vistas é que são as existentes,  que lhe são essenciais, estão muito enganados. Jesus repreende e diz para comprar dEle o ouro provado pelo fogo para que te enriqueças, vestes brancas e que lhe abra os olhos para que enxergue, pois é desprovido da graça, pobre, nu e cego. O ouro refinado pelo fogo, que são as coisas espirituais de Deus; as vestes brancas que é o andar na verdade, na justiça, na retidão, sem pecados, sem manchas, sem máculas; que unjas os olhos com colírio para que abra os olhos e enxergue a verdade, a verdadeira realidade. Aquilo que não se vê com os olhos naturais, mas só se vê pela fé.

Podemos ver pelo texto acima, que o que existe não é só o que vemos. Não podemos pensar que todos enxergam errado e que só nós é que enxergamos corretamente. Talvez até este meu texto, numa autocrítica, esteja completamente falho.

Deus na sua sabedoria infinita permitiu que víssemos somente o que suportamos ver, mas deu-nos um instrumento valioso para enxergarmos a verdadeira realidade, a saber, a fé. Trata-se de algo poderoso, que se tivermos do tamanho de uma semente de mostarda, nos permitirá "mover montanhas" ou mandar uma planta sair do seu lugar com suas raízes e plantar-se nas águas do mar e ela obedeceria. Veja em Lucas 17:6:
"E disse o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te daqui, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria."
O profeta Ezequiel, contemporâneo de Jeremias e Daniel, teve a visão de uma realidade jamais imaginada por homem algum, mesmo hodiernamente. Viu algo inimaginável, numa época muito remota em que não havia Hollywood e seus efeitos especiais. Ele viu o céu e viveu para contar. Ficou 7 (sete) dias recuperando-se da visão que teve. Imagine a mente de uma pessoa que vivia naquela época, com suas simples experiências de vida. Pense na inviabilidade da visão ter sido gerada na mente do profeta, por ele próprio. Uma realidade que não vemos e muitos não crêem, porque não enxergam. A visão de Ezequiel tinha tudo a ver com o povo e futuro de Israel, que havia se corrompido, se prostituído espiritualmente. Não o quiseram ouvir. O livro de Ezequiel tem tudo a ver com o que diz o presente artigo. Sobre a visão, leia Ezequiel capítulo 1.

Para finalizar, disse Jesus:
"Tudo por meu Pai foi entregue; e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. E, voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: Bem-aventurados os olhos que vêem o que vós vedes. Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram." (Lucas 10:22-24)
realidade dos apóstolos era diferente da dos reis e profetas que os antecederam, não somente devido ao tempo cronológico, mas devido ao que viram, ouviram e pela sabedoria que possuíam que receberam do próprio filho de Deus. 

Escrevo sobre estas coisas, não somente por oposição às coisas deste mundo, coisas materiais como o dinheiro, consumismo, distrações, entretenimento, manipulação, religiosidade, viver numa ilusão pensando que é a realidade, mas para que reflitamos, conheçamos, verdadeiramente, Jesus Cristo de Nazaré, o Filho de Deus e saibamos qual é a realidade que Ele quer que vivamos, qual a sua vontade, e o porque disto. Abrir os olhos e ser diferentes do que foi a Igreja e a cidade de Laodicéia. Trata-se de um novo estilo de vida, regenerado pela renovação da mente, através da pessoa do Espírito Santo de Deus.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Um amor inesperado


"Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." (1 Coríntios 2:14) 
O apóstolo Paulo não poderia ter explicado isto melhor. Nas coisas de Deus para as nossas vidas há mistérios que não temos condições de compreendermos a olhos naturais, mas precisam ser vistas com os olhos espirituais.

Por outro lado, Deus nos ensina as suas coisas espirituais, aproximando estas experiências espirituais das experiências materiais naturais, do que dispomos aqui no mundo material em que vivemos.

Na minha juventude, quando tinha uns 20 anos aproximadamente, no início da minha vida profissional, estava no meu trabalho, como auxiliar contábil, sentado numa cadeira junto a minha mesa de trabalho e de repente senti um abraço e um beijo no rosto vindos de trás. Fiquei surpreso, quando olhei vi que era uma moça que trabalhava no caixa da empresa. Era minha amiga. Eu nunca havia lhe olhado com intenções diferentes dessa. Tinha muito mais idade do que eu, mas ainda era solteira. Conversamos posteriormente sobre isto e ela falou-me que gostava de mim, mas que não podería namorar comigo porque eu não tinha condições financeiras. Disse-me  que tinha alguém em vista, que também gostava,  e que iria namorar e casar com esta pessoa já bem estabelecida economicamente. Hoje olhando aquela situação, independentemente do desfecho, que foi esse mesmo, acabou ali, vejo a mão e o cuidado do Senhor para com a minha vida, mesmo ainda eu não O conhecendo como hoje. Não havia, verdadeiramente, futuro naquele relacinamento. A moça precisava de segurança que eu não poderia oferecer, naquele meu início de vida. Eu demoraria um bom tempo para ter uma situação financeira estável, e ela sabia disto. Eu na minha total inexperiência, se ela permitisse, talvez tivessemos iniciado um relacionamento que tinha tudo para dar errado. Não olho para a atitude dela como algo interesseiro, deixando o verdadeiro amor de lado por causa da situação financeira desconfortável. Naquele momento, com a "luz" que tinhamos ela foi prática. Hoje, na verdade, vejo isto como um livramento de Deus para nós dois.

Quantos de nós não passaram por situação semelhante e nem percebemos que pode ter sido um grande livramento de Deus para as nossas vidas. Situações que nossa vontade desejava, mas que não se realizaram de maneiras que não entendemos.

Mas não lhes contei tal coisa simplesmente para que soubessem de uma pequena parte da história da minha existência, mas sim para falar-lhes deste "amor" que a moça sentia por mim, mas que eu nem desconfiava que existia. Eu a via, admirava-a porque parecia amável e competente, mas não me passava pela mente que ela, de alguma forma, me amava. Naquele momento eu certamente pensei, no que poderia ela achar de bonito em mim? O que poderia haver em mim que pudesse atrai-la? Mas havia. Ela achou algo em mim que eu desconhecia e me amou por isto. Lembra do início deste artigo quando escrevi que Deus tenta nos ensinar as suas coisas aproximando as experiências espirituais do seu reino com as coisas deste mundo para que possamos entende-las, mesmo a olhos naturais?

Neste exemplo real acima posso,  hoje, entender o amor de Deus. Deus nos conhece melhor do que nós mesmos. Não sei o porque do amor daquela moça. Também não entendemos completamente o amor de Deus. O Senhor sabe das nossas coisas antes mesmo que possamos pensá-las ou fazê-las. Quando penso que não sou amável, o Senhor me ama. Quando penso que não mereço, o Senhor me ama. Quando penso que muito pequei, o Senhor me ama. Quando me iro, o Senhor me ama. Ele simplesmente ama. Ama incondicionalmente. Não há o que eu possa fazer para desmerecer o Seu amor. Posso entristecer o Seu Santo Espírito com meu erros, com meus pecados, justamente por não conhecer o Seu amor. Por isso devo procurar andar na retidão e na verdade, porque o Senhor me ama e preciso ser grato por este amor incondicional do ser mais poderoso de toda a existência, nosso Pai Celestial. Como entender um amor de Pai que entregou o próprio filho para que eu, um estranho e pecador pudesser ser salvo. O Pai que independentemente de minha compreensão me ama, me cuida e me supre em tudo.

A bíblia e a teologia nos ensinam que somos separados por Deus desde antes do início dos tempos e que Ele nos amou sempre. Não como o amor daquela moça em que haviam condições. Mesmo para aqueles que conhecem a Deus, Seu amor é algo surpreendente, misterioso e até incompreensível. Diferentemente da moça,  Deus que é fiél, jamais nos deixará por causa que não estamos numa boa situação financeira, como aconteceu comigo. Pelo contrário, é principalmente nestas horas que Ele mais nos sustenta e "marca presença". É nestas horas que Ele demonstra ainda mais o seu amor. É nestas horas que Ele, sabendo de tudo o que acontece na linha do tempo da nossa existência está tranquilo e nos apoia, pois sabe dos planos que tem para as nossas vidas, coisas que não conseguimos enxergar com nossos olhos naturais. É nestas horas que Ele nos sustenta e nos consola, não como um ombro para chorar, mas para nos levantar para que possamos receber todas as bençãos que Ele tem preparado para cada um de nós.

Nosso Deus é assim. Quem O conhece sabe que não é Deus representado por alguma imagem escondida num canto secreto da casa. Não é Deus de quem ouvimos falar e que dizem que criou todas as coisas. Trata-se do Deus Vivo, Deus de amor, Soberano, Onipotente, Onipresente e Onisciente que se contrapõe a todo pecado, maldade, desamor e religiosidade, pois acima de tudo é o único bom e Santo.
"Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8:39)

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.