Compartilhe

sábado, 8 de agosto de 2020

Você ainda não sabe, mas é cristão!

Se você fica indignado com o sistema vigente, com a corrupção, com o roubo, com a corrupção moral das pessoas que vão de encontro ao que não é bom e que tentam desencaminhar os demais com seus pensamentos e ações sombrios e acha que há um preço à pagar, afirmo que embora você não saiba,  você é cristão! Só falta conhecer verdadeiramente Jesus Cristo. Hodiernamente lutamos uma batalha contra tudo o que é errado, tudo o que é mal, o que tenta desencaminhar as pessoas e levá-las a miséria material, física e moral. Na verdade, sem sombra de dúvida é uma batalha entre o bem e o mal. O bem claramente estabelecido e representado na forma do cristianismo, dos ensinamentos de Jesus Cristo de Nazaré e o seu maravilhoso exemplo de vida, afinal ele é Deus. De outro lado temos os servos do mal, com suas falsas doutrinas, enganações, manipulações, mentiras, roubo, prostituição, corrupção, falsidades, representado pelo comunismo, marxismo, gramscismo, leninismo, entre outros pensamentos e  doutrinas do mal que tentam de todas as formas destruir as pessoas e as famílias, que é a base da sociedade estabelecida, supostamente em defesa de um bem comum, um coletivismo utópico que nunca existirá por meio de seus ensinamentos, atitudes e ações. Além disto vemos seitas, pactos, obscuridades, enganos "religiosos" que levam as pessoas à tristeza, à depressão, ao vazio existencial, corroborando para a miséria geral acima mencionada. Para finalizar este curto artigo, cito um maravilhoso trecho bíblico, que diz tudo o que precisa ser dito e entendido nesta hora: "Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16)

Preste atenção nestas palavras:

 1- "Deus amou", Deus ama sua criação e através de Jesus Cristo e sua obra, reconciliou o homem com a divindade, com Ele mesmo, Deus;

2- "o mundo" a salvação é para todos;

3- "de tal maneira", incondicionalmente, sem tamanho, pois como pecadores nada merecíamos, muito menos o amor de Deus e o preço que ele pagaria para a nossa salvação, unilateralmente;

4- "deu", de graça, sem preço para nós, o alto preço foi Jesus Cristo que pagou com seu sacrifício vicário, tomando nosso lugar naquela cruz, como o mais amaldiçoado dos homens;

5- "unigênito", o primogênito e único filho;

6- "todo aquele que nEle crê", que a salvação é para todos os que crerem de coração, que entregarem seus desígnios ao Senhor Jesus; que Jesus Cristo de Nazaré é o Messias de Israel; que foi gerado pelo Espírito Santo de Deus; que se manifestou em carne; que se deu pelos nossos pecados; que como ovelha muda foi para o abatedouro; que se entregou como sacrifício único, final e efetivo, tomando o nosso lugar naquela cruz; que ressuscitou no terceiro dia e vive; que é Deus manifestado como Filho;

7- "não pereça", quem crer em Jesus cristo não experimentará a segunda morte e

8- "vida eterna", os crentes em Jesus Cristo, não experimentarão a segunda morte, gozarão da vida eterna aqui e agora, vivendo desde já uma vida plena e abundante, sem o medo da morte física; entendem que somos pó e ao pó voltaremos, pois morremos com Cristo, mas seremos ressuscitados em corpo glorificado semelhante ao corpo de Jesus Cristo ressuscitado e, assim viveremos eternamente na glória do Senhor que será o nosso "Sol".

Não esqueça: se você não se enquadra neste mundo, neste sistema com todas as suas manipulações; se você se acha um peixe fora d'água, conheça Jesus Cristo além do que os templos "religiosos" ensinam. Templos de pedra não são a casa de Deus! Você não precisa estar submisso à um pastor ou outro que tenha cargo eclesiástico! Você não precisa dar dízimo! Deus não quer o seu dinheiro, só o seu coração! Quem precisa de dinheiro são os pobres, que necessitam que ajudemos e também de sabedoria e discernimento! Busque Cristo de coração e você verá sua vida mudar drasticamente. Você é cristão e não sabia!

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, do 

Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah!

terça-feira, 16 de junho de 2020

O pecado eterno. Como se precaver.

Queridos leitores.
"Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno." Marcos (3:28-29)
Vemos acima a importância de blasfemar contra o Espírito Santo de Deus. Há alguém que conhece as profundezas de Deus como o Espírito Santo que n'Ele habita? Exatamente, é o Espírito do Santo dos Santos, Deus de Abraão, Isaque e Israel (Jacó), O Deus todo poderoso, criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, dono verdadeiro de todas as coisas, doador da vida e de todo o Shalom.

Hodiernamente as pessoas não possuem limites nas suas falas. Não entendem que a palavra tem poder, não vigiam as suas conversas. Tratam levianamente todas as coisas, crendo que tudo é permitido. Ledo engano! Assim como os palavrões se tornaram comum nas suas bocas, como a mais bela palavra, blasfemam contra Deus e contra Espírito Santo que n'Ele habita.

Muitos falam coisas inaceitáveis de Deus, do seu Espírito Santo, como se não houvesse preço, consequências, como se Deus não estivesse ouvindo, até mesmo por não crerem n'Ele, em muitos casos. Todo aquele que crê em Jesus Cristo, que se converteu, que sofreu metanoia, que tem Deus em Seu coração, que entregou sua vida ao Senhor, tem em si o Espírito Santo de Deus e é selado por Ele. É propriedade exclusiva do todo poderoso, é filho de Deus! 

Se alguém que fala "no Espírito", na "unção do Espírito Santo" ser dito por outros, de má fé, que está possuído por espíritos malignos é algo que não tem perdão! É pecado eterno! Mas isto não significa aceitar charlatões, falsos profetas, que verdadeiramente recebem espíritos estranhos ou enganam as pessoas que estão falando em nome de Deus, que falam inspirados pelo Espírito Santo de Deus, quando na verdade falam por si próprios, pelos seus interesses, para obter dinheiro e poder sobre a vida dos outros. Destes temos que nos resguardar. A Senhor diz que sejamos símplices como as pombas e astutos como a serpente. Jesus Cristo não era tolo, em carne era a pessoa mais sábia do mundo, assim como Deus é a própria sabedoria! Percebe? Jesus sabia sempre com quem estava lidando e por várias vezes disse que os escribas e fariseus eram hipócritas, falsos e raça de víboras. A falsidade reinava naqueles homens. É necessário saber discernir, para não blasfemar contra o Espírito Santo de Deus! É Deus que nos dá o discernimento! Devemos ser imitadores de Jesus Cristo, seguir seus passos de tão perto que comamos a poeira dos seus pés. Assim, certamente saberemos discernir o verdadeiro do falso, o joio do trigo. Jesus deu a solução: 
"Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis." (Mateus 7:17-20).
Deus nos deu Jesus Cristo para que em nós não mais houvesse condenação, mas se pecarmos, blasfemarmos contra o Seu Espírito Santo, o resultado é bem diferente. Não há preço mais caro, nada mais triste  do que Deus retirar sua mão protetora de nós ou o afastamento do Espírito Santo de Deus. É Deus que nos dá a razão e a alegria de viver. O pouco com Deus é muito! Um simples pãozinho com manteiga, com Deus, é "o pãozinho com manteiga", maravilhoso, recebido de Deus, uma grande benção, que nutre a carne e o espírito.

Na política muitas vezes votamos errado, muitos candidatos a cargos públicos usam um marketing enganador, mentiroso e falso. Tudo porque não pesquisamos a vida pregressa destas pessoas. Pelos frutos os conheceríamos, mas não pesquisamos. Como tolos caímos nas suas mentiras. Isto tem causado muitas dores, muitos danos, muitos prejuízos ao povo brasileiro, até vidas! Depois que a pessoa está no poder mostra as suas garras afiadas. Assim começa a buscar seus próprios interesses, que invariavelmente são dinheiro e poder. Para tirar estas pessoas do poder sempre é muito difícil, pois maquinam formas de não serem destituídos. De forma semelhante agem os falsos profetas que amedrontam as pessoas supostamente em nome de Deus, ameaçando com maldições, falta de prosperidade e desgraças diversas caso abandonem o seu domínio. Precisamos tomar posse da sabedoria que Deus já nos deu! Está disponível é só receber! Não nos deixar ser enganados é absolutamente necessário! Devemos ser astutos, mas de coração manso, justo, honesto e verdadeiro. A esperteza em detrimento dos outros não é sabedoria, não é astúcia bíblica, é tolice! Astúcia não é desonestidade, falsidade, esperteza e má fé! Não é querer se dar bem, enquanto o outro é prejudicado. Se alguém agiu mal, como fazem os falsos profetas, eles colherão os frutos de seu plantio. A lei da semeadura não falha! Com o ensino de Jesus Cristo saberemos discernir se alguém "está verdadeiramente no Espírito" ou não! Assim jamais blasfemaremos contra o Espírito Santo de Deus!

Para finalizar, é necessário que saibamos que estar intimamente ligado à Deus, é absolutamente necessário para que vivamos uma vida plena e abundante, que Jesus Cristo prometeu que teria, todo aquele que n'Ele crê de coração!

Fiquemos todos na paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah.

As recompensas de Deus aqui e agora.

Queridos leitores.
Sempre falamos que Deus é bom o tempo todo. Que o tempo todo Deus é bom! No entanto o entendimento geral é que as coisas boas de Deus, o galardão, nos será dado quando partirmos desta para melhor, como diz o chavão popular, ou seja no plano espiritual. Isto me faz lembrar um trecho bíblico que diz: "Ora, se vós, que sois maus, sabeis das boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?" (Mateus 7:11)

Vejam que é o próprio Jesus Cristo de Nazaré falando. Deus verdadeiramente dá boas coisas aos que n'Ele creem, isto é o que diz a palavra. Então: quando queremos agir imediatamente, mas deixamos de fazê-la, em Deus, esperando mais um tempo, Deus nos recompensa com bençãos. Como exemplos: quando deixamos de comprar algo que gostamos muito, para esperar o tempo certo, somos recompensados por Deus. Quando deixamos de comer algo que gostamos muito para jejuar, melhorar a saúde, ou para um tempo de intimidade com Deus, Ele nos recompensa. Se pensamos em fazer o mal, mas não fazemos, Deus nos recompensa. Se pensamos em ajudar o próximo, fazer o bem e ajudamos e fazemos o bem, Deus nos recompensa. Se estamos vendo algo, como um filme que deveria ser inocente, mas se a coisa se transforma de repente, em algo desagradável à Deus que tenta manipular nossa mente, mas paramos de vê-la, Deus nos recompensa. No entanto esta situação pode trazer alguns problemas, porque podemos começar a fazer todas estas coisas boas esperando recompensas, o que é um grande erro. Devemos fazer estas coisas de coração, pelo motivo correto. Devemos fazer estas coisas como princípios de vida, por amor à Deus e como um estilo de vida cristão. Se fizer tais coisas pensando nas recompensas, não funciona, não contabiliza para Deus! Deve-se fazer o bem por fazê-lo. Se fizermos as coisas pelos motivos corretos, além de sermos grandemente abençoados, inclusive materialmente, obtemos a tão almejada sabedoria. Esperar e fazer as coisas no tempo certo é uma grande sabedoria, um grande exercício da longanimidade e da paciência. Nos transformamos em pessoas melhores, sábias, longânimas, pacientes, verdadeiramente abençoadas por Deus. Este é o povo de Deus, que crê e confia no Senhor Jesus Cristo de Nazaré, que espera o tempo certo das coisas, que faz o bem sem esperar recompensas, mas que sabe, no seu íntimo, que o Senhor, o Pai Celestial, dá aos seus enquanto dormem depois de um dia de trabalho e vida entregue e dedicada ao Senhor.

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

O sumiço do amor

Queridos leitores.
Gostaria muito de falar de belas coisas, pois estamos rodeados delas. Nosso maravilhoso Deus nos encheu de belezas, inclusive nos rodeou de pessoas, familiares, amigos, pelos quais só temos que agradecer. No entanto vivemos num mundo conturbado, decaído, onde reina o desamor. O amor parece que sumiu! Vê-se hipocrisia, mentiras, falsidades, fofocas e tudo o mais que o Senhor condena que se faça! A religião, o religar com Deus, tornou-se uma mentira, uma maneira de pessoas mal intencionadas obterem recursos financeiros, mentindo e enganando outros que tentam buscar à Deus. Dizem que amam seus semelhantes, seus irmãos, mas os manipulam, mentem e enganam com coisas e ensinos obscuros.

Sabe-se que a comparação mais próxima do amor de Deus é o amor de mãe, mas até isto já foi corrompido e vemos pais e mães fazerem coisas terríveis aos seus filhos, demonstrando a desumanidade dos homens. Uma sociedade corrompida criou uma geração de pessoas, sem princípios, sem escrúpulos, sem limites, pois a moderna psicologia afirmou que não se pode dizer não às crianças, que não se pode discipliná-las. Desta forma criou-se esta  geração de pessoas, que podem tudo, que não respeitam o próximo, que não temem à Deus, que pensam estar sempre certos, que não suportam ser contestados, que não possuem limites ou escrúpulos. Numa sociedade deste tipo, talvez só possamos contar com o amor de nossos pais, verdadeiramente. Os bons pais! 

Vê-se maridos e esposas, não mais querendo o bem um do outro, mas apenas querendo estar certos nas suas afirmações, convicções e pensamentos, ignorando a verdade, desejando apenas serem servidos nas suas necessidades conjugais. Falar de ódio, raiva e inveja nestes relacionamentos parece inapropriado, mas não é! Neste cenário cessa a intimidade e o  casamento automaticamente acaba. Então constata-se que talvez nunca tenha havido o amor verdadeiro, mas apenas a satisfação de desejos carnais. Numa enfermidade, por exemplo,  do esposo ou da esposa, parece haver uma imposição de culpa por parte do cônjuge sadio contra o cônjuge enfermo, que diz: "viu, não cuidou da saúde!", ou "eu avisei!" ou ainda "você nunca quis tomar remédios, veja no que deu!" ou, pior ainda quando dizem: "Deus está no controle de tudo e pode te recolher!", quando há alguma controvérsia entre os envolvidos e uma suspeita é atribuída ao cônjuge . O descarte, o desaparecimento da pessoa parece não ter nenhuma importância! Parece não haver amor! Deus realmente está no controle de tudo, mas o que está se vendo aqui é o desamor, a desconsideração a desvalorização da vida da pessoa que deveria ser amada. O consolo, o cuidado, a consideração e a misericórdia parecem ter sumido também! Desta forma, aparentemente, podemos contar somente com a consideração, com o amor, somente do nosso Deus e de nossos pais, pois o "amor" das demais pessoas parecem-nos somente um falso amor, interesseiro e hipócrita! 

Tudo isto nos leva a mais um questionamento: há ainda pessoas boas no mundo, verdadeiras, honestas, do bem, com a capacidade de amar verdadeiramente? Certamente sim, mas estão cada vez mais difíceis de serem encontradas. Tudo fica bem, é suportável, quando corre tudo bem! Se alguma coisa dá errado, se acontece algo inesperado, não desejado, o tempo fecha! O mascarado falso amor, se descortina e as maldades vem a tona, revelando quem as pessoas verdadeiramente são! Até nos atos tidos como bons há falsidades, pois as boas ações estão baseadas num tipo de culpa, na aparência de bons, tal qual faziam os fariseus na época de Jesus Cristo. Na verdade, estas pessoas, não estão interessadas nos demais, estão focadas nos seus egocentrismos, no seus orgulhos, nas suas maldades, nos seus problemas, nas suas próprias necessidades e nas suas fobias, que por sua vez, lhes foram justamente causadas pelo mal que acolheram, que deixaram entrar nas suas vidas.

Haverá salvação para a humanidade? Certamente sim, mas quem será salvo? Todos? Esta é uma questão para o Senhor nosso Deus! Se quisermos ter esperanças de salvação, um coração sincero, verdadeiramente temente à Deus é necessário, mas isto é cada vez mais raro. O Senhor já nos precaveu de que viria um tempo em que reinaria o desamor e assim estaríamos próximos do fim dos dias, da Sua volta! Tomara que este tempo seja abreviado, que o Senhor tenha misericórdia do seu povo! Estará a "noiva", a Igreja de Cristo, verdadeiramente pronta? Será esta "noiva", a verdadeira noiva de Cristo, ou já foi corrompida como quase tudo e ouvirá do Senhor: "Não te conheço! Afastai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade!".

Maranata, venha Senhor Jesus, pois o teu povo, a tua verdadeira Igreja, está cercada de lobos vorazes, disfarçados de ovelhas, com suas vozes mentirosas e enganadoras, atacando cruelmente, sem piedade, até mesmo supostamente em teu nome!

Que possamos ficar na Paz, que Excede todo o entendimento, do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushua Hamashiah!

domingo, 29 de setembro de 2019

O nascer e o pôr do sol

Queridos leitores.

Porque o nascer e o pôr do sol são tão fotografados, especialmente em alguns lugares também especiais? Porque a lua sobre o mar é tão fotografada, especialmente em alguns momentos do ano, quando parece se agigantar? A resposta além de óbvia é muito simples: porque são lindos, coisas maravilhosas e fantásticas. Será somente isto, ou há mais? Estamos tão acostumados com estas maravilhas que não percebemos algumas coisas. Que coisas são estas?

Meus queridos, a cada nascer do sol, a cada pôr do sol ouço o Senhor, nosso Deus dizer: "Eu Sou". Ele explica ainda, "Eu Sou o que Sou!". Sim! O Senhor que sustenta todas as coisas diz, "Eu Sou o que Sou!". Eu Sou o único e outro igual a mim não há; Eu Sou o Deus que se revelou a Abraão, Isaque e Jacó, o Deus de Israel; Eu Sou o Deus onipresente, onisciente e onipotente; Eu Sou o Sol da Justiça; Eu Sou a ressurreição e a vida; Eu Sou o Deus que te socorre; Eu Sou o Deus que está contigo em todos os momentos, nos dias bons e nos não tão bons; Eu Sou o Deus da provisão; Eu Sou o Deus que te consola; Eu Sou o Deus que te ouve sem te julgar; Eu Sou o Deus que te ama, mesmo que você pense que não mereça; Eu Sou o Deus que quando todos te abandonam, Eu Sou contigo; Eu Sou o Deus que te compreende sem necessidade de você se explicar; Eu Sou Aquele em quem você pode confiar; Eu Sou Aquele que deu a vida pela sua, que foi condenado no seu lugar, mesmo sendo Deus me entreguei por você; Eu Sou Aquele que mesmo sendo rei, O Rei dos reis, fui servo, servi, lavei pés, curei, reconciliei e salvei; Eu Sou aquele, que mesmo sendo onipotente, se entregou, por amor, aos carrascos, aos verdugos, para que você tivesse uma vida abundante e plena; Eu Sou Aquele que faço o sol nascer e se pôr; Sou Eu que faço as fases da lua para que ela resplandeça com seu brilho prateado; Eu Sou que criei todas as coisas visíveis e invisíveis aos homens! Se você está sozinho, Eu Sou; se você precisa de consolo, Eu Sou; se você precisa de livramento, Eu Sou; se você precisa de provisão, Eu Sou; se você foi abandonado por todos, Eu Sou; se você está enfermo, Eu Sou; se você perdeu alguém querido, Eu Sou; Eu Sou Aquele que escrutina todos os corações, que conhece a fundo as ações, os desejos e as intenções de cada um; se você pergunta porque coisas ruins acontecem, eu digo, Eu Sou e te dei livre arbítrio sobre a sua vida; se você crê em mim, Eu Sou e te darei a vida eterna; Se você não crê em mim, Eu Sou, porque Eu Sou o caminho, a verdade e a vida, sou sempiterno, sem início e sem fim. Existo mesmo que você não creia; se você me busca de todo coração, Eu Sou, porque me achará e serei seu Deus e você meu povo, meu filho amado! Baterei na sua porta, entrarei e cearei contigo e com todos da sua casa, porque somente Eu Sou o Eu Sou o que Sou!

Nada pode nos separar do amor de Deus!! (Romanos 8:38-39)

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré, Yahushuah Hamashiah,
O Grande Eu Sou o que Sou!

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Jesus volta e chora!

Queridos leitores.

Muitas vezes me vejo pensando se Jesus Cristo chegasse ao mundo como chegou há quase dois mil e vinte anos atrás. Uma provável fala sua não me sai da mente. Estou aflito para expressar, mas antes vamos as considerações.

Quando Jesus veio ao mundo através do Espírito Santo de Deus e de Maria (Miriam o nome verdadeiro de Maria no original hebraico), de forma legal, nascido de uma mulher, caiu direto em um sistema religioso vigente que havia matado profetas e cometido diversas atrocidades em nome de uma religiosidade legalista e supostamente de Deus. Faziam holocaustos mas Deus os rejeitava veementemente. Deus virava seu rosto para suas ofertas, enojavam a Deus, porque eram hipócritas. Há tempos Deus havia reprovado os sacerdotes por estes mesmos motivos. Não o povo, mas eles mesmos roubavam a Deus. Vemos claramente isto em Malaquias, livro destinado aos sacerdotes. Pregavam o que não viviam e nem esforço para melhorar faziam. Viviam na iniquidade, que é a perpetuação do pecado. Colocavam um grande peso, um jugo pesado sobre as pessoas, mas eles mesmos não obedeciam a lei, pois sua tradição valia mais. Estavam amaldiçoados. Em Mateus 23 vemos Jesus chamando severamente a atenção desta classe religiosa, fariseus, saduceus, escribas e mestres da lei. Dizia que eram túmulos caiados, bonitos por fora, mas por dentro cheio de imundícias e de podridão. Disse que faziam novos prosélitos, mas os tornavam filhos do inferno duas vezes mais do que eles próprios. Gostavam de ser reconhecidos e de terem os melhores lugares nas sinagogas e onde quer que fossem. Diziam ser de Deus, mas não o conheciam. Apedrejavam a mulher adúltera, mas eles mesmos adulteravam. Frequentavam a casa das viúvas com pretexto de longas orações, mas sua intenção era outra. Jesus chegou a chamá-los de raça de víboras. Não disse estas coisas sorrindo ou com voz amena. Jesus chamou-lhes a atenção duramente, pois temia por suas almas. Este sistema religioso perseguiu Jesus durante todo o seu ministério tentando matá-lo. Até que Judas executou o seu terrível papel de traidor, com um beijo, entregando Jesus por trinta moedas de prata, aproximadamente o salário de um ano de um trabalhador normal. Moedas que Judas arrependido devolveu aos sacerdotes. Com esta quantia estes sacerdotes compraram o Campo do Oleiro, um pequeno sítio, para servir como cemitério de forasteiros. Vejam que foram os próprios sacerdotes que mandaram matar Jesus e pagaram Judas pela sua traição. A que lei obedeciam? Certamente não a de Deus. E assim Jesus foi crucificado pelo sistema religioso, pelos sacerdotes, pelos judeus, por seu povo que tanto esperava o Messias que ali estava na sua frente, o próprio Eu Sou.

Trazendo para os dias atuais vemos o sistema religioso estabelecido nas suas mais diversas denominações. Constatamos assim que se trata do mesmíssimo sistema religioso agindo, talvez de forma muito pior do que aquele primeiro. Passo a descrever o que acontece hodiernamente. Hoje as denominações são grandes empresas lucrativas com seus falsos dízimos veterotestamentários, baseados da lei cerimonial que já foi prescrita na cruz do Calvário com a morte de Jesus Cristo. Chegam a contratar bacharéis de administração para gerenciar suas "empresas denominacionais". Tudo em nome da legalização da instituição junto ao governo, para não cair na clandestinidade. Interessante é que a igreja primitiva de Jesus Cristo funcionava nas casas. Seria então clandestina? Perseguida sabemos que sempre foi, porque não é agora? Cristão verdadeiros sempre foram perseguidos, mesmo quando procuravam morar em lugares remotos, até no mato e montanhas. Eram perseguidos e mortos pelo sistema religioso, inclusive mulheres e crianças. Muitos foram queimados em fogueiras julgados pelos líderes religiosos, pelas regras por eles mesmos adaptadas, conforme suas vontades. Milhares de pessoas morreram porque alguém, um religioso, assim decidiu. Este sistema religioso tem muito sangue inocente nas suas mãos e isto não passará despercebido por Deus. Deus certamente é justiça. Assim como o comunismo assassinou mais de cem milhões de pessoas mundo afora, quem for adepto e seguidor desta ideologia é cúmplice de todas estas mortes. Da mesma forma quem compactua com o sistema religioso vigente é cúmplice de todos os seus erros e assassinatos, mesmo que diga que não concorda com o que foi feito. Aqueles que sabendo disto os seguem, estão enganados ou são maus, porque compactuam com tudo o que aquelas lideranças fizeram e ainda fazem. Desta forma também serão responsabilizados diante de Deus. Há um ditado antigo, mas muito verdadeiro que diz: "Diga-me com quem andas e te direi quem és!"

Então Jesus chega novamente na terra, no mundo material, encontra a situação acima e diz:

"Ai de vós, presbíteros, padres, pastores, profetas, bispos, apóstolos e demais do clero. Sim, vós que gostais de ser reconhecidos e ser chamados pelos seus títulos eclesiásticos. Vós que gostais de ter o domínio da vida dos outros, estabelecendo regras e normas para eles cumprirem, mas quando o problema bate na vossa porta, na vossa casa, vós considerais que tudo é permitido e agradável à mim. Hipócritas! Vós mesmos, que percorreis terra e mar para fazer um novo convertido, mas somente com intenção de adicioná-lo no vosso banco de dados como seu mais novo dizimista. Vós dizeis que números não importam, mas mentis, porque seus pensamentos estão voltados para cifras. Vós dizeis que é mais fácil fazer um novo convertido do que buscar o que se perdeu, que fica mais caro recuperar o perdido do que trazer um novo "irmão" dizimista. Vós não sabeis que isto é contra a minha palavra? Ai de vós líderes religiosos que tendes carteira assinada, que sois  profissionais da fé, que vendeis meu precioso sangue vertido naquela cruz para seus interesses financeiros. Justificais dizendo que o boi tem direito de comer o pasto enquanto trabalha. Hipócritas! Dei a vós a salvação de graça, porque a vendeis? Não tendes outros labores? Eu vejo o aumento do vosso patrimônio, enquanto há pessoas jogadas nas ruas sem atendimento, passando todo o tipo de privação, mas vós dizeis que tendes medo, que é inseguro hospedar um desconhecido. Vendei tudo e dai aos pobres e me siga! Não conheceis a parábola do bom samaritano, ou achais que os tempos são diferentes? O órfão vós não ajudais, a viúva só atendeis para não serdes importunados, como fez aquele juiz e o estrangeiro vós nem vos importeis. Usais seus falsos dízimos para comprar equipamentos de som e instrumentos musicais novos. Comprais também terrenos para estacionamentos dos vossos novos carros, com vaga reservada. Comprais condicionador de ar para a comodidade e conforto dos que creem em mim, nas reuniões semanais, que tem como ponto alto pedidos de dinheiro. Quantos órfãos vós poderíeis atender com este dinheiro? Pregais maldosamente Malaquias 3:10, que tinha como alvo os sacerdotes infiéis daquela época. Vós justificais que usais parte do dinheiro do dízimo para a evangelização, mas não sabeis que se o dízimo fosse devido, nunca poderia ser usado para evangelização, porque foi criado na lei mosaica, levítica, cerimonial para outros fins? Criais todo o tipo de material e vendeis a preço de ouro. Fazeis suas romarias, que mais parece uma feira, com todo o tipo de comércio, supostamente em meu nome. Cultuais nestes locais seus falsos deuses e seus ídolos tolos. Vós chegais ao absurdo de aceitardes dízimos, ofertas e até as primícias através de máquinas de cartão, em nome da modernidade. O que vós quereis é abarrotar suas contas bancárias de dinheiro, oprimindo e ameaçando meu povo com o devorador. O vosso tesouro, o vosso coração está no dinheiro, nas coisas deste mundo. Vós não sabeis que se os dízimos fossem devidos só poderiam ser pagos em produtos agrícolas e gado, ou seja, comida e entregue no templo em Jerusalem? Isto nada tem a ver comigo! Porque vós desprezais o meu sacrifício na cruz e obrigais as ovelhas a pagarem estes falsos dízimos amaldiçoando-as? O que vós tendes na cabeça? O que pensais? Vós jogais um pesado fardo, um tremendo jugo sobre as ovelhas, mas vós mesmos não viveis uma verdadeira vida em mim. Suas vidas miseráveis só veem o que está diante dos vossos olhos, as coisas deste mundo. Como os fariseus vós gostais de ser reconhecidos e instalados nos melhores lugares aonde vão. Estou farto de suas lindas oratórias cheias da minha palavra, mas vazias de coração e de amor verdadeiro. Vossos apelos emocionais para submeterem as pessoas me deixam a ponto de vomitar. Vossos dízimos não me servem para nada. Vossas ofertas me enojam. Viro meu rosto de vós. Vossos corações estão cheios de iniquidade! Vós não temeis aquele que me enviou, vós não me temeis? De onde pensais que viestes? Vós sois criações das minhas mãos, porque rebelai-vos contra quem os criou? Porque dizeis que amais aos seus irmãos, mas mentis para eles? Se vós não amais seus irmãos como me amareis? Vós orais por um catecismo desconhecido, obscuro e tenebroso. Vós não me amais porque não obedeceis os meus preceitos! Dizeis que sois de minha parte, mas não me conheceis! Eu vos rejeitarei e direi, apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade! Este dinheiro que conseguintes com mentiras e enganações valerá o preço que vós pagareis? Como escapareis da condenação do inferno? ".

E assim Jesus chora copiosamente!


Fiquemos todos na Paz que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

A ira de Deus

Queridos leitores.
O trecho bíblico que me referirei está em Lucas 23:34.
"E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes."
Gostaria de interpretar este trecho bíblico com vocês para chegarmos ao cerne desta mensagem.

Jesus encontrava-se numa situação terrível, estava no Gólgota (caveira), sendo crucificado, sofrendo dores excruciantes, asfixia, pois para respirar precisa firmar os pés no apoio, que não era para ajudar, mas sim para causar mais dor e prolongar a agonia, pois quando fazia isto, as dores eram lancinantes, com espasmos, uma luta pela vida. Teve suas vestes repartidas, provavelmente entre quatro soldados romanos, seus executores, pois este era o costume e direito deles. Sortearam suas túnicas externas e demais partes da vestimenta, como sandálias, etc., evidenciando a desgraça em que o condenado se encontrava. Zombavam dele, romanos e judeus, inclusive do sistema religioso, dizendo que ele salvara os outros, mas não à ele próprio, pois se fosse verdadeiramente Deus, o faria. Estava sofrendo a mais profunda humilhação e execração pública, pois a cruz era uma punição para os piores, mas ele era inocente.  Jesus estava morrendo, próximo do fim estava sua vida, antes da ressurreição. Jesus foi crucificado pelo sistema religioso vigente, o judaísmo, o qual ele contestava por causa da hipocrisia. Foi considerado pelos religiosos como impostor e causador de problemas. Uma situação terrível e uma dor inimaginável sofreu Jesus. Mas mesmo em meio de todo este sofrimento e de toda esta situação de infortúnio, Jesus diz: "...Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem...". Em quase todas as situações de análise deste texto, vemos como mensagem principal o pedido de perdão de Jesus para seus executores e zombadores. Seu grande e voluntarioso altruísmo, sem precedentes conhecidos. No entanto quero me ater noutra visão deste texto. Jesus pede ao Pai para perdoar-lhes. Mas porque faria isto sabendo que havia um plano e que aqueles homens somente estavam cumprindo o que já estava definido pelo próprio Deus? Eram somente instrumentos do infortúnio de Jesus, assim como foi Judas na sua traição. A resposta é clara! Cada um responderá pelas suas ações, pelo seu livre arbítrio, independente dos planos de Deus, pois poderiam ter rejeitado o mal, mas não o fizeram! Optaram pelo mal, por zombar, machucar, matar e trair. Mas ainda esta não é a questão que quero salientar. Quero trazer em tela a ira do Senhor, Deus Pai. Jesus, mesmo rumo a morte,  intercedeu pelos seus executores e malfeitores, pois sabia da ira do Pai, que poderia facilmente destruí-los. Deus Pai poderia mandar descer fogo do céu e devorá-los, mesmo eles sendo cumpridores e instrumentos do que já fora escrito. Fogo como o que Elias fez descer dos céus para devorar os soldados. Ou o Pai poderia mandar seus anjos, ou mesmo a peste e a morte imediata consumindo à todos naquele local, semelhantemente ao que aconteceu depois que o povo hebreu adorou o bezerro de ouro no deserto, enquanto Moisés estava no monte falando com Deus.  Se não fosse a intercessão de Arão, o povo teria sucumbido. Sim, podemos pensar que se não fosse o pedido de Jesus, aquele povo teria sido consumido, embora fosse o plano de Deus aqueles acontecimentos. Aqueles executores eram gentios. Os judeus eram manipulados pelos fariseus, a classe religiosa. Não havia ainda a graça. Jesus não falava certamente de perdão para a salvação das almas, mas sim da eminente destruição a que estavam expostos pela ira de Deus por tudo que seu filho estava sofrendo. Sofrimento do próprio Deus. Somente as coisas de Deus podem ser assim explicadas, puros paradoxos. Trazendo para os dias atuais, todo este acontecimento com Jesus Cristo, temos a percepção da ira de Deus, pois ele é amor, mas também é justiça. Além da lei da semeadura que diz que colhe-se o que se planta, todos nós responderemos por nossas ações, por nosso livre arbítrio. Podemos escolher sermos bons, fazer boas escolhas rejeitando o mal, ou podemos escolher o mal e sofrer as consequências. Jesus é intercessor daqueles que creem nele, que nele depositam sua confiança, que clamam por Ele. Há possibilidade de se clamar por alguém em quem não se acredita que possa resolver o problema ou a aflição? Creio que não! O que temos que saber é que os frutos de nossas ações virão cedo ou tarde, mas certamente virão! A mão de Deus é pesada para aqueles em que há sangue inocente nas suas mãos e não falo somente de assassinatos. O Senhor é o único Deus e os que creem nele, seus filhos, que o servem, são seus pequeninos amados, que escolheram o Bom Caminho que é Jesus. Um pai amoroso porventura dará pedra a um filho que lhe pede pão? Quanto mais o Pai fará justiça e vingança contra aqueles que se voltarem contra os seus. Tudo o que fizerem contra os do Senhor se voltará contra eles próprios. Talvez fosse melhor nem terem nascido, como dizem as escrituras. No entanto o Senhor ouve as intercessões, como ouviu o pedido de perdão de Jesus para seus executores. Se o Espírito de Deus, o Espírito de Jesus Cristo, que disse ser e é o Grande EU SOU, mora naqueles que nele creem, é obvio que seus sacerdotes (quem nele crê e segue seus mandamentos), podem interceder, como fez Jesus Cristo. Aqueles homens que o matavam não mereciam a misericórdia, segundo o entendimento humano, pois estavam assassinando o inocente filho de Deus, mas Jesus, a própria vítima da execução intercedeu por eles, pediu que o Pai os perdoasse por causa da extrema ignorância daqueles. Deus é tão maravilhoso que sempre dá uma saída, mesmo que ninguém mereça, pois só Ele é bom. Tenhamos todas estas coisas em mente e que vivamos uma vida na fé em Deus, na verdade e na justiça, sabendo que escolher o "Bom Caminho" é absolutamente necessário! Não esqueçamos que para aqueles a quem muito é dado, mais será exigido! Temer a Deus é também absolutamente necessário!

Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento, 
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.