Compartilhe

sábado, 31 de outubro de 2015

A responsabilidade de cada um

Queridos leitores.

Infelizmente ainda gosto de assistir filmes. Creio que é algo que preciso eliminar da minha vida, estou trabalhando nisto. Estarei sendo muito radical? Será? Procuro ser bastante criterioso nos filmes que escolho, embora um sem número de vezes tive que parar a assistência porque fui surpreendido por cenas verdadeiramente impróprias e não me refiro somente a cenas sensuais em filmes que não se esperava tais coisas.

Estava assistindo um filme de ficção, onde um robô possuia consciência, inteligência como humanos. Sem considerar a alma do ser humano, mas somente na criação e transferência de consciência. No entanto o robô que possuia uma mentalidade infantil, foi ensinado por criminosos para o crime. Foi enganado de que o que fazia não era crime, pelo seus "pais" criminosos. Assim foi até um momento do filme,  quando então o "pai" criminoso manipulou a consciência do robô criança para o crime, que aceitou assaltar e talvez até matar. No entanto pôde-se ver, no decorrer do filme, cenas de violência num meio criminoso, sem lei, onde os bandidos, indepentemente de como se tornaram assim, terminaram até como supostos heróis. Esse algo de criança no robô e a intenção dos produtores, ainda não ficou muito claro. Não parece coisa boa. Talvez noutro artigo comente.

Quando acontece uma inversão de valores deste tipo onde os vilões se dão bem e terminam como heróis, mesmo quando morrem, com a simpatia e torcida da audiência, constata-se o que está acontecendo na nossa sociedade; cada vez mais violenta, sem rumo, manipulada, marginalizada e entregue à marginalidade, à própria sorte. Preparemo-nos para o pior, pois a criação de uma geração sem disciplina, sem respeito às instituições estabelecidas está em andamento neste momento, pois ao que parece, nestes nossos tempos, a indisciplina e o crime já compensam.

Numa segunda reflexão, as pessoas produzem filmes aparentemente despreocupadas com as suas consequências no mundo real. Estas pessoas precisam saber que não há como criar um filme, que será visto por milhares ou milhões de pessoas, sem que haja consequências no mundo real. Pensam que tudo se resume somente à telinha ou à telona e que as pessoas que assistem precisam separar as coisas, a ficção do real, afinal todos são adultos. Nada disto! Estas coisas afetam, direta ou indiretamente, psicológicamente e ou subliminarmente às pessoas. Talvez os produtores saibam disto e façam de propósito, porque muitos deles poderão estar à serviço do próprio mal. O que não podemos permitir é sermos manipulados por estes falsos entretenimentos que trazem graves prejuízos à nossa sociedade. Percebemos estas coisas em um filme considerado "inocente", mas já dá para imaginar as consequências daqueles que não são assim.

Cada um é responsável pelas consequências das suas ações. Há responsabilidades pelas consequências de produzir um filme com um conteúdo prejudicial às pessoas, ou de qualquer outra ação que fazemos e que trarão consequências negativas para a vida das pessoas. Se as consequências do que fizemos foram boas para todos, as consequências para nós também serão boas. O contrário acontece quando fazemos algo pensando somente em nós mesmos, no nosso sucesso financeiro, sem pensar que vamos prejudicar alguém. Nessa mentalidade só importa se ganharmos, se nos dermos bem, mas se prejudicar alguém, consequências "sinistras" virão contra nós mesmos.

Cada um de nós responderá por suas ações talvez diante dos homens, mas certamente diante de Deus. Não adianta esbravejar que não acredita em Deus. Não precisa crer! Certamente as consequências virão, tão certo quanto o ar que respiramos, mas que não vemos, é somente uma questão de tempo. Trata-se de algo que no meio "religioso" se conhece muito bem. Colhe-se o que se planta. Lei da semeadura.
"O que semear a perversidade segará males; e com a vara da sua própria indignação será extinto." (Provérbios 22:8) 
"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6:7) 
"O ímpio faz obra falsa, mas para o que semeia justiça haverá galardão fiel." (Provérbios 11:18)
"Segundo eu tenho visto, os que lavram iniqüidade, e semeiam mal, segam o mesmo." (Jó 4:8)
Fiquemos todos na Paz, que excede todo o entendimento,
do Nosso Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

2 comentários:

Lourdes Lenz disse...

Mano sou polémica nestes assunto de(filmes) muitos crimes aconteceram em base do mesmo.

Lourdes Lenz disse...

Mano sou polémica nestes assunto de(filmes) muitos crimes aconteceram em base do mesmo.